Banner 1

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Tempestade alaga ruas e causa estragos em Niquelândia (GO)




Moradores de Niquelândia mandaram diversos vídeos e imagens pelo WhatsApp à redação do Jornal Diário do Norte na cidade com cenas impressionantes da destruição causada pela fortíssima tempestade com rajadas de vento que assolou a cidade por pouco mais de uma hora entre às 17h30 e 18h30 da quinta-feira (26). 

No Bairro Alvorada, próximo à Avenida Bernardo Sayão, a chuva derrubou o muro de uma casa e a água que desceu da região do Anel Viário (ligação da GO-535 com a GO-237) invadiu o imóvel, causando susto e enormes prejuízos.  

Na Praça 13 de Maio – tradicional ponto de alagamentos em Niquelândia, na região dos bairros Nossa Senhora do Carmo e Santa Efigênia – uma família ficou ‘ilhada’ e precisou de amparo do Corpo de Bombeiros para sair da casa, dado o acúmulo de água que desceu com força do Setor Belo Horizonte. 

Na Avenida Brasil, principal corredor comercial da cidade, clientes abrigaram-se em lojas e os comerciantes tiveram que fechar suas portas às pressas para salvar mercadorias e demais pertences da enxurrada. 

Na Vila Mutirão, um dos bairros mais carentes da cidade, uma árvore caiu sob parte do telhado do Colégio Estadual Agostinho Nunes de Souza, mas ninguém se feriu. 

No bosque do Bairro Soares, a queda de uma árvore sobre a rede elétrica quebrou um poste e danificou a fiação, deixando os moradores sem energia até às 7 horas da manhã desta sexta-feira (26) até que o reparo fosse providenciado pela Celg. 

Em alguns pontos da cidade, choveu granizo a ponto do radialista Silvio Buller, da Rádio Mantiqueira 680 AM, decidir parar o carro que dirigia por questões de segurança dada a total falta de visibilidade na área urbana da cidade durante a tempestade. 

O Corpo de Bombeiros da cidade também atendeu uma ocorrência na rodovia GO-237 nas proximidades do Povoado Muquém, onde a queda de uma árvore de grande porte interditou a pista nos dois sentidos, nas proximidades da Fazenda Torre da Lua. 

Essa chuva forte - que também atingiu Goiânia, Anápolis e outras cidades - é consequência do fenômeno “cumulus nimbus” em que nuvens densas (que surgem com a combinação de calor e umidade elevada) provocam a criação de pedras de gelo e as descargas elétricas de raios. 

Na manhã desta sexta-feira (27), várias ruas da cidade estavam cheias de uma mistura de terra; cascalho; e lixo espalhado após sacos com dejetos terem sido arrastados pela correnteza. 

A Prefeitura de Niquelândia fez, recentemente, retirada/limpeza de entulhos de construções deixados nas ruas pelos moradores, o que amenizou um pouco a situação. 

Porém, de acordo com a Secretaria Municipal de Urbanismo, grande quantidade de bueiros no Setor Belo Horizonte (parte alta da cidade) tiveram seus pontos de vazão indevidamente fechados com concreto pelos moradores (para evitar mau-cheiro) o que provoca acúmulo de água na Avenida Brasil, onde não há galerias de águas pluviais. 

Fonte: Diário do Norte

Nenhum comentário: