Banner 1

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

De olho nos comentários: "De fato, o Negro não tem vez, não tem oportunidade, não tem reconhecimento"

Pesquisas revelam que negros são as maiores
vítimas fatais de ações policiais  

Por William de Oliveira

Discordo sistematicamente do comentário retro. Entristece-me que pessoas ainda suponham não haver diferenças entre negros e brancos (principalmente social). 

A política de cotas é instrumento importantíssimo para inclusão do Negro na sociedade brasileira, a qual é demasiadamente racista e hipócrita. De fato, o Negro não tem vez, não tem oportunidade, não tem reconhecimento. 

Basta olharmos para o perfil das classes “a”, “b” e “c” para notarmos, onde infelizmente, é a posição dos negros (sub empregos, sub profissões, marginalizados, excluídos). 

De forma alguma supomos que os negros tenham condições intelectuais inferiores aos brancos, na verdade eles não têm é a oportunidade de desenvolver-se, tal como os brancos tem. 

Admitir isso é o passo inicial para alcançarmos uma sociedade mais justa. 

A política de cotas é na verdade, um modelo de política pública de emergência, ou seja, de caráter excepcional, imediato, temporário, que visa oportunizar aos negros, o acesso às Universidades para que se instruam, formem e tenham condições de modificar seu destino, sonhar e realizar o sonho de ter uma profissão. 

Graças à política de cotas, os negros representam hoje 10% dos universitários do país, percentual baixíssimo, mas já melhorado com relação ao período anterior as cotas. 

Viva à Política de Cotas, e quaisquer outras que visem à inclusão e igualdade social.

Por Willian Oliveira

Resposta a: 

Eu penso que o próprio governo ocasiona o racismo, como diz os Direitos Humanos, devemos tratar de forma igual os iguais e de forma diferente os diferentes, ou seja, um cadeirante é diferente de uma pessoa normal, pois sua capacidade de locomoção irá depender de outrem. 

Agora vejamos os negros, eles são de total semelhança com qualquer outro ser humano, seja ele loiro, pardo, ruivo o que seja, então consequentemente não tem porque os tratar de forma diferente, essa reserva de cota racial em universidades por exemplo, isso é uma falta de respeito com os nossos próprios irmãos mesmo. 

Negros e Brancos são iguais em tudo e por tudo , não tem porque os tratar de maneira diferente, a não ser que esse tenha alguma diferença realmente plauziva além de uma simples cor de pele.

Rafael Barbosa

Comentários no texto 


'Universidades começam a ter cores de nosso povo'. Dilma menciona Monte Alegre e Teresina (GO)

3 comentários:

RAFAEL BARBOSA disse...

Caro William, Inclusão social não se dá de maneira nenhuma através de tratamentos diferenciais mencionados por cor ou raça , se o Estado prega a igualdade do negro, então não tem porque subentender que o negro seja incapaz de concorrer igualmente com um branco ! Você está mencionando nessa postagem que realmente o negro é diferente, consequentemente o ruivo, o loiro, o índio todos tem que ter um tratamento específico ! é desses pensamentos , como o seu, que o racismo cria forças.
REFLEXÃO : OUTRO DIA, ME DEPAREI COM UM COMENTÁRIO NA FILA NO CORRESPONDENTE BANCÁRIO, QUE SE NÃO EXISTISSE COTA RACIAL NÃO EXISTIRIA NEGRO GRADUADO !
#CADAUMENTENDEISSOCOMOQUERNÉ

Anônimo disse...

E quer saber de uma , no mínimo seus pais te ensinaram que entre você e o seu coleguinha negro existiam sim diferença !
Pois eu fui ensinado desde pequeno que nem um cachorro merece tratamento diferente do ser humano em termos de respeito e atitudes repudiadas !

EMERSON MIRANDA DOS SANTOS disse...

QUEM NAO VE A EXCLUSAO DOS NEGROS AO LOGO DE SECULOS? O BRANCOS MANDAM. VEJAM OS JOVENS MORTOS PELO TRAFICO. A MAIORIA,99,9 SAO AFRODESCENDENTES