Suicídios em Arraias (TO): Aumento de casos faz Ministério Público recomendar que município implante ações de prevenção


O Ministério Público do Tocantins (MPE) recomendou ao prefeito de Arraias, Cacildo Vasconcelos (PP), a implantação de políticas públicas e campanhas de prevenção ao suicídio no sistema de saúde. 

De acordo com o promotor de Justiça João Neumman Marinho da Nóbrega, a ação foi motivada pelo aumento no número de casos de suicídio no município, desde agosto já foram noticiados três.

No documento, a promotoria também sugere que o município implante estratégias que possam detectar situações de risco de suicídio, como uma linha SOS, por exemplo. O prazo concedido para que a prefeitura informe, por escrito, se concorda com o cumprimento da recomendação, é de dez dias.

Saúde Pública

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, já que mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. 

Pelo menos o triplo disso tentou tirar a própria vida e outras chegaram a pensar em suicídio.

Para o órgão, apesar dos números, o assunto ainda é tratado como tabu. Evita-se o assunto, o que estaria colaborando para o crescimento de casos. 

Segundo o Centro de Valorização da Vida (CVV), entidade que atua gratuitamente na prevenção do suicídio há 53 anos, o suicídio pode ser prevenido, principalmente com o estudo e a divulgação do tema, já que as pessoas que tentam suicídio pedem ajuda, mas, normalmente, não são compreendidas.

Fonte: Portal Cleber Toledo 

Já Publicamos 


Jovem comete suicídio em Arraias (TO), o segundo caso em dez dias. Tema é tabu na sociedade




Comentários