Seminário na Chapada dos Veadeiros reúne 47 pesquisas



Por Sandra Tavares,

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, unidade de conservação (UC) administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Goiás, acaba de realizar, em parceria com a Universidade de Brasília (UnB Cerrado), a terceira edição do Seminário de Pesquisa.

Ao todo, foram apresentados 47 trabalhos, cujos resumos foram compilados em uma publicação distribuída durante o evento. 

Os estudos foram os mais variados. “Fizemos questão de escolher temas diversificados, que iam desde uso público a atropelamento de fauna, buscando trazer para o debate o que está mais latente na realidade da região do parque”, explicou Carla Guaitanele, chefe da unidade.

Para a coordenadora Geral de Pesquisa e Monitoramento da Biodiversidade do ICMBio, Kátia Torres Ribeiro, que participou da abertura do seminário, é imprescindível que as unidades de conservação façam eventos desse gênero tanto para conhecerem as pesquisas quanto debaterem com a comunidade acadêmica os temas de interesse da UC.

O seminário teve como tema Pesquisa, Sociedade e a Gestão de Áreas Protegidas e ocorreu entre os dias 14 a 16, em Alto Paraíso (GO). Contou com a presença de pesquisadores – alguns deles deram palestras –, estudantes universitários e comunidade local.

O presidente do ICMBio, Cláudio Maretti, e o analista ambiental do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação do Cerrado (Cecat), Alexandre Sampaio, também, compareceram ao evento e fizeram intervenções.

O presidente do ICMBio aproveitou para realizar uma visita técnica no parque e participar de reunião do conselho que discutiu a ampliação do parque. 

Ele conheceu trilhas que podem ser abertas aos visitantes, outras com acessibilidade, mas ainda não inauguradas, e áreas que podem vir a integrar o parque, caso ele seja ampliado.

O seminário de pesquisa científica é realizado desde 2013 e busca aproximar gestores de unidades de conservação, comunidade científica e a sociedade em geral. 

O evento contribui para a divulgação do conhecimento científico que pode auxiliar nas ações de conservação da biodiversidade na Chapada dos Veadeiros.

Fonte: Comunicação ICMBio