quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Repercutiu no G1: Casal é espancado por grupo de homens na frente de bar em Arraias (TO)



Um casal foi espancado por vários homens na porta de um bar em Arraias, região sul do Tocantins. 

A agressão teria começado depois que o pastor Leidivaldo Pereira de Oliveira, 34 anos, encontrou com a esposa dele, de 35 anos, na frente do local e os homens começaram a mexer com a mulher. Segundo a Polícia Militar, quatro irmãos participaram da agressão, que aconteceu na noite desta terça-feira (27).

“Eu falei para eles respeitarem minha mulher. Nisso, um deles levantou e veio para cima de mim. Como eu não corri, vieram todos. Eles fecharam a roda e bateram na minha cabeça com uma garrafa, depois começaram a me chutar”, relatou. Segundo o pastor, a filha do casal estava no local, mas não foi agredida.

A PM contou que o homem ficou com uma grande lesão na cabeça. Oliveira disse que levou 11 pontos no local e teve a visão afetada pelos chutes. 

“Minha esposa disse que um homem agarrou uma pedra para jogar na minha cabeça quando eu estava caído, mas ela conseguiu segurar no braço dele e atrapalhar.”

Ainda segundo informações da polícia, a mulher recebeu chutes e pontapés, ficando com uma lesão na perna esquerda. "Foi Deus que me tirou de lá. Não sei como eu consegui correr um pouco. 

Depois conseguimos sair de lá." Após saírem do local, as vítimas acionaram a PM. A polícia disse que os suspeitos foram encontrados ingerindo bebidas alcóolicas em frente à casa de um deles. Os homens se esconderam dentro do imóvel e resistiram à prisão. Inclusive, teriam ameaçado os militares de morte.

Com apoio de mais policiais, a PM entrou na casa e prendeu dois dos suspeitos. Os outros fugiram do local pulando o muro, mas estão sendo procurados. As vítimas foram encaminhadas ao hospital da cidade. Já os irmãos foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil.

Leia no G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.