Prefeita interina afastada de São Domingos é acionada por novos atos de improbidade


Os promotores de Justiça  Douglas Chegury e Paulo Brondi propuseram uma nova ação de improbidade administrativa contra a prefeita interina afastada de São Domingos, Jovita Ribeiro da Silva, na qual é pedida sua condenação por haver desviado mais de R$ 3 mil destinados ao pagamento de empréstimos consignados de servidores. 

De acordo com a ação, um servidor da Câmara Municipal revelou que, no mês de março de 2015, quando Jovita ocupava a presidência do Legislativo, um dos cheques emitidos ilegalmente em favor do vereador João de Lú foi apresentado ao Banco do Brasil e deixou a conta da Câmara descoberta, com saldo negativo. 

Assim, ao ser informada do fato, a vereadora desviou o valor de R$ 3.057,31, destinado ao pagamento de empréstimos consignados de servidores junto ao Banco Gerador, e utilizou a quantia para cobrir o débito bancário.

No pedido, os promotores requerem que Jovita da Silva seja condenada nas sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429/92), entre elas a suspensão dos direitos políticos, o ressarcimento do dano provocado ao erário, a perda do cargo público e o pagamento de multa, além do pagamento de R$ 50 mil, a título de danos morais coletivos.

Segundo esclarecido na ação, a prefeita interina de São Domingos Jovita Ribeiro da Silva encontra-se afastada do cargo por ordem judicial até que seja concluída ação de improbidade administrativa proposta contra ela e o vereador João de Lú Gomes da Silva. 

Durante a investigação realizada pelo MP-GO descobriu-se que a vereadora, quando presidente da Câmara, emitiu dez cheques em benefício do colega vereador a título de antecipação de subsídio, os quais foram trocados com um agiota da cidade. 

Após o fato chegar ao conhecimento dos demais vereadores, os mesmos foram ameaçados e ela tentou corrompê-los para que não levasse o fato a conhecimento do MP. 

Ela ainda resgatou os cheques, rasgou e colocou fogo nos mesmos, tentando destruir provas. 

Ocorre que, durante a investigação, apurou-se a prática desse novo ato de improbidade administrativa por parte da prefeita afastada. 

Fonte: Ministério Público de Goiás

Comentários

  1. e essa mulher ainda é prefeita de são domingos? pilantragem poca é bobagem meus amigos. a coisa tá feia, a coisa tá preta, se não for fio de Deus tá na unha do capeta!vai falta cadeia na região

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os cometários publicados são de inteira responsabilidade do autor. Este Blog não se responsabiliza por quaisquer tipo de cometário feito pelos leitores, poderão ser penalizados judicialmente por quaisquer tipo de abuso do direito de livre manifestação.