quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Prefeita afastada de São Domingos (GO) recebia Bolsa Família, diz Ministério Público


O Ministério Público de Goiás, por meio dos promotores Douglas Chegury e Paulo Brondi, concluiu hoje (7/10) inquérito civil público, instaurado em junho deste ano, com o objetivo de apurar a suspeita de que a prefeita afastada de São Domingos, Jovita Ribeiro da Silva, recebeu indevidamente o benefício do governo federal denominado Bolsa Família.

De acordo com os promotores, na apuração, ficou comprovado que, nos anos de 2013 e 2014, Jovita Ribeiro recebeu o Bolsa Família ilegalmente, enquanto exercia o cargo de vereadora.

Em fevereiro deste ano, por estar na presidência da Câmara, ela assumiu interinamente a prefeitura, depois da cassação do mandato da então prefeita Etélia Vanja Moreira Gonçalves, determinado pelo TRE-GO em razão da prática de corrupção eleitoral, abuso do poder e captação ilícita de recursos.

Ocorre que, por decisão judicial, Jovita Ribeiro também foi afastada da prefeitura em junho deste ano, para que fosse concluída a ação civil de improbidade administrativa proposta pelo MP contra ela e o vereador João de Lú Gomes da Silva. 

Na ação, ambos são processados pela emissão de cheques do Poder Legislativo em favor do vereador João de Lú a título de antecipação de subsídios, os quais foram trocados com agiota da cidade.

Logo que soube do início das investigações, a fim de destruir as provas, a então presidente da Câmara e o vereador João de Lú procuraram o portador dos cheques e destruíram os documentos.

Com a conclusão do novo inquérito civil público, os promotores encaminharão uma cópia de todo o apurado durante as investigações ao Ministério Público Federal, já que a competência para julgar o caso é da Justiça Federal, por envolver recursos federais.

Fonte: MPGO

Um comentário:

  1. Dinomar, se não me engano agiotagem é crime previsto no código penal,emprestar dinheiro sem a autorização do Banco Central mediante a cobrança de juros é crime.A Constituição Federal em seu artigo 174,paragrafo 4º adverte,existem especificamente dispositivos na lei de usura.Mas o que eu gostaria de solicitar a Vossa excelência que é um jornalista bem conceituado que indagasse o promotor por qual motivo nesse caso a lei Federal que especifica e é clara de forma nenhuma atinge o cidadão que praticou esse ato criminoso de agiotagem?Com um agravante, o mesmo tem uma concessão da Caixa Econômica para gerir uma casa lotérica.Vai perguntar???? Aguardando uma resposta.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.