domingo, 25 de outubro de 2015

Policial do Posto Rodoviário de São João da Aliança (GO) trabalha mal, muito mal


Não gosto muito de fazer publicações que revelam meus casos pessoais.

Mas às vezes os pego como exemplo, porque imagino que também sejam casos de muitos outros cidadãos. 

Foi o caso da "caixa de isopor" de Lavandeira (TO) e agora o abuso do Estado, de São João da Aliança (GO). 

Quem já andou em algum automóvel deste blogueiro, sabe da minha chatice quanto ao uso do cinto de segurança. 

Ando de cinto e obrigo os meus filhos, e todos os passageiros, a usarem o item de segurança, até mesmo dentro das pequenas cidades, como em Campos Belos ou até mesmo para ir à padaria. 

É um hábito, que se tornou automático.  Imagine em distâncias longas?

Mas hoje tive uma infeliz e péssima notícia. 

Fui notificado pelo Detran-GO de uma multa, exatamente na GO-118, na cidade de São João da Aliança, às 7h58, do dia 10 de outubro, um sábado, quando fiz o trajeto entre Brasilia e Campos Belos, durante o último feriadão. 

Tenho ainda boa lembrança que o único agente de trânsito que vi na cidade foi no posto da polícia rodoviária estadual, bem na entrada cidade.  

Em momento algum, qualquer agente de trânsito ou autoridade policial parou ou abordou o nosso veículo. 

Imagino que durante a passagem pelo posto da polícia rodoviária estadual, o policial tenha, possivelmente, achado que a minha passageira estivesse sem o cinto de segurança e emitiu a notificação. 

Apenas isso explica a emissão da multa.  

Obviamente se tivesse cometido a infração de trânsito, não estaria aqui reclamando. Seria muita cara de pau!  

E tenho que não sou a primeira vítima da canetada feroz, mas extremamente injusta e anticidadã. 

Afinal, multa de trânsito é uma penalidade de natureza pecuniária imposta pelos órgãos de trânsito aos proprietários, condutores, embarcadores e transportadores que descumprirem as regras estabelecidas na norma de trânsito e não apenas mera ferramenta de arrecadação.

Claro que vou recorrer e obrigar o estado a apresentar provas de que cometi a referida infração. 

E nota zero para o policial da PM de São João da Aliança que trabalhou mal, muito mal.