Justiça proíbe realização de vaquejadas no Distrito Federal


O Juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal declarou ilegal a realização de vaquejadas em todo o Distrito Federal. Na decisão, divulgada na sexta-feira (16/10), o magistrado aponta que os animais usados nessa prática sofrem maus-tratos. 

A multa para quem descumprir a determinação é de R$ 100 mil por cada dia de vaquejada.

Também foi determinado que o Governo do Distrito Federal não concederá autorização ou permissão para realização de vaquejadas. Caso contrarie a decisão, GDF pagará igualmente multa de R$ 100 mil por dia de evento. Além disso, recairá sobre o governo a responsabilização civil e criminal por improbidade administrativa.

“A repercussão dessa decisão judicial fortalece ainda mais um ambiente que pode ajudar a eclodir na sociedade brasileira a percepção de que animais têm direitos e que esses direitos precisam ser preservados”, disse Bruno Pinheiro, presidente da Frente de Ações pela Libertação Animal (Fala).

Denúncia

Ativistas moveram uma ação judicial, por maus-tratos aos animais, para impedir uma disputa de vaquejada que ocorreria em Planaltina. Uma liminar, concedida em fevereiro deste ano, suspendeu o evento. Desde então, reacendeu a polêmica em torno do tema.

À época, os magistrados que analisaram o caso justificaram que a vaquejada expõe os animais a tratamento cruel. Os vaqueiros, em competição, tentam derrubar o boi dentro de uma área demarcada, puxando-o pela cauda, sujeitando o animal a lesões e mutilações.

Debate

Em maio deste ano uma audiência pública foi realizada na Câmara Legislativa para debater a regularização do evento e evitar maus-tratos aos animais. O autor da proposta, deputado Chico Vigilante (PT), argumentou que “a vaquejada é uma festa genuinamente brasileira”, e citou que mais de mil vaquejadas ocorrem durante o ano no país.

O deputado disse ainda que desde 2001 o peão de vaquejada é considerado atleta profissional pela Lei nº 10.220/2001. O parlamentar alegou que é preciso debater sobre as melhores condições de realização do evento. 

Citou como exemplo a necessidade de “pistas com condições necessárias para que o gado e o vaqueiro sofram menos”.

Fonte: Metrópoles

Comentários

  1. ISSO JA DEVIA TER ACABADO A MUITO TEMPO ... VAMOS PUXAAR O .... DE QUEM DEFENDE ESSA PRATICA PRA VER SE É BOM

    ResponderExcluir
  2. Muito bem penssado,demorou vaqueiros que arrumem outra profissão.

    ResponderExcluir
  3. A vaquejada e um esporte genuinamente seguido de lei e regularizado, com regras seguidas ao pé da letra. vaquejada nao e tortura vaquejada e cultura.

    aparece numa pista de vaquejada e fala que quer acabar com a festa pra ver o que vai acontecer.

    ResponderExcluir
  4. Quero ver enfrentar a justiça,ja que sao valentoes.

    ResponderExcluir
  5. nosssa!!!! fiquei triste adoro tanto esse esporte....

    ResponderExcluir
  6. Vaquejada e o esporte que corre muito dinheiro e proibir nao vai dar pq se proibir vaquejada o roubo e morte vai dobrar na vaquejada tem cavalo avaliado em 3 milhoes VAQUEJADA E CULTURA ... #EUAPOIOAVAQUEJADA

    ResponderExcluir
  7. Vaquejada e o esporte que corre muito dinheiro e proibir nao vai dar pq se proibir vaquejada o roubo e morte vai dobrar na vaquejada tem cavalo avaliado em 3 milhoes VAQUEJADA E CULTURA ... #EUAPOIOAVAQUEJADA

    ResponderExcluir
  8. #EUAPOIOAVAQUEJADA...

    ResponderExcluir
  9. Se for assim tem que liberar as drogas,movimenta muito dinheiro,sou contra maus tratos de animais,e tudo que é ilicito.Demorou já vai tarde.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os cometários publicados são de inteira responsabilidade do autor. Este Blog não se responsabiliza por quaisquer tipo de cometário feito pelos leitores, poderão ser penalizados judicialmente por quaisquer tipo de abuso do direito de livre manifestação.