Agricultoras de São João da Aliança (GO) recebem incentivo por meio do Crédito Fomento Mulher


Agricultoras familiares do Distrito Federal e entorno foram beneficiadas com o Crédito Fomento Mulher. 

Em São João D´aliança, a 160 quilômetros de Brasília, das 79 famílias do assentamento Mingau, 21 já tiveram o crédito de R$ 3 mil liberado para investir em implantação de projeto produtivo no seu lote. 

A previsão é a liberação de mais de 2,5 mil contratos do Crédito Fomento Mulher na região até o final do ano.

O Crédito Fomento Mulher é uma linha de crédito específica para mulheres da reforma agrária. 

Apoia projetos de segurança alimentar e nutricional até R$ 3 mil, com taxas de juros de 0,5% e aporte de 80% do governo federal – ou seja, as assentadas só precisam devolver ao banco 20% do valor do crédito atualizado. Além disso, elas têm até um ano para pagar.

Cleonice de Paula dos Santos Oliveira, 40, já sabe onde irá empregar os recursos disponibilizados pelo governo federal. 

“Vou ampliar a panificadora que tenho aqui no lote”, diz ela orgulhosa. Ela e o marido, Jorge de Oliveira, 52, trabalham juntos na produção de pães, cucas, biscoitos e pizzas que duas vezes por semana são distribuídos na cidade de São João D´aliança e arredores. 

Além da panificadora, os dois mantém a criação de animais de pequeno porte e o plantio de hortaliças.

Assentados deste 1999, o casal tentou outros empreendimentos, como a produção de polpa e geléia de frutas do cerrado. “Temos 18 hectares e precisamos agregar valor à produção”, diz a agricultora.

Assistência técnica

São João da Aliança (GO) está localizada na entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. O município tem oito projetos de assentamento do Incra que abrigam 494 famílias de agricultores. Todos os assentamentos são atendidos por assistência técnica. 

“Na região de São João D´aliança universalizamos a assistência técnica", diz o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no DF e Entorno, Marco Aurélio Bezerra da Rocha. 

O superintendente ressalta que a região da Chapada dos Veadeiros é um polo turístico, fator que pode representar uma possibilidade no incremento da renda das famílias. 

“A comercialização de alimentos orgânicos e produtos agroindustrializados no município para os turistas que visitam a Chapada pode trazer um incremento da renda dos assentados”, diz.

Fontes: Incra e MDA

Comentários