quinta-feira, 30 de julho de 2015

Quem é mais animal, e da pior espécie? Caçador americano lamenta ter matado leão símbolo do Zimbábue




O caçador Walter Palmer assumiu, nesta terça-feira, ter matado o leão Cecil, de 13 anos, considerado símbolo do Zimbábue. Segundo da agência de notícias "BBC", em nota, o americano afirmou que não sabia da fama do animal e lamentou tê-lo abatido. 

O morador de Minessota culpou ainda guias locais pelo fato de ter tirado a vida do bicho.

“Eu acreditei na expertise dos meus guias profissionais locais para assegurar uma caça segura. Mais uma vez, eu lamento profundamente que o exercício de uma atividade que eu amo e pratico com responsabilidade e dentro da lei tenha resultado na morte desse leão", disse.

Ainda de acordo com a publicação, Palmer afirmou que ainda não foi chamado por autoridades do Zimbábue ou dos EUA para falar sobre o caso. Ele garantiu ainda que, só depois da caça, soube que o leão morto por ele era Cecil.

A agência britânica confirmou ainda que dois homens do Zimbábue foram acusados criminalmente pela morte do animal. Se condenados, podem ser presos por até 15 anos.

Segundo o jornal "The New York Daily News", o americano é membro do Safari Club International, organização dedicada à conservação da vida selvagem, a educação das pessoas sbore o tema, bem como a proteção dos direitos dos caçadores.


Ainda de acordo com a publicação, há cerca de 5 anos, o morador de Minessota, usou arco e flecha para tirar a vida de uma onça, no mesmo país, em estratégia semelhante à usada para derrubar Cecil.

Em imagens publicadas em blog de caça, é possível ver o caçador posando com outras presas abatidas, como um alce e um carneiro selvagem. Já em uma comunidade no Facebook voltada para discutir a proteção da fauna, Palmer aparece exibindo um leão morto.

Segundo o jornal britânico “The Telegraph”, em 1 de julho, o americano teria pago R$ 175 mil para um homem atrair Cecil para fora do parque ambiental Parque Nacional de Hwange, onde ele vivia, para um local onde sua coleira, equipada com um GPS, não funcionaria.

Segundo o jornal, duas fontes independentes já tinha confirmado a identidade do caçador. Inicialmente, as autoridades acreditaram que um caçador espanhol tivesse matado o animal.

Grupos do Zimbábue estão irritados porque o leão, que foi encontrado sem a cabeça e liderava um bando de três fêmeas e suas crias, era a estrela do parque e gostava do contato humano.

“Ele nunca se incomodou ninguém. Era um dos mais belos animais”, disse o chefe da Força Tarefa de Conservação Zimbabwe, Johnny Rodrigues.

Um porta-voz de Walter Palmer disse que ele acredita que pode ter atirado no leão. “Até onde eu entendo, Walter acredita que ele poderia ter atirado nesse leão que tem sido referido como Cecil”, afirmou.

Fonte: BBC




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.