sábado, 25 de julho de 2015

Caserna: comandante do Exército, General Villas Boas, almoça com sargentos e cria um alvoroço nas redes socais

O comandante e os sargentos

General Villas Boas 
Há hierarquia dentro das Forças Armadas (mundo afora) é um dos pilares da ética militar e seguida a risca no Brasil. 

Na caserna, até os refeitórios são separados. Há, por exemplo, o rancho (refeitório) dos oficiais, o dos sargentos e o dos cabos e soldados.  

Isso em qualquer quartel do Brasil. 

Se num simples quartel, esta hierarquia é seguida sem titubeio, imagine o comandante geral do Exército, um general do último posto da carreira, sair do seu gabinete e, de surpresa, descer para almoçar com os sargentos. 

Toda essa história parece surreal no mundo moderno.

Mas a vida na Caserna ainda mantém a sua cultura. 

O gesto do General Villas Boas foi considerado de extra humildade e de forte liderança. 

O fato ocorreu esta semana no Quartel General do Exército ( Forte Apache), em Brasília. 

E obvio, ganhou as redes sociais, notadamente de militares e ex-militares.  

Veja o relato...

"Chegada a hora do almoço, como de costume, o Excelentíssimo Senhor Comandante do Exército Brasileiro, General Villas Boas, avisa que vai ao almoço.

 Logo os acompanhantes rotineiros o seguem, mas estranham o rumo tomado:
- Excelência, o refeitório é naquela direção ��
- General: não vou almoçar lá hoje. 

E continuou um trajeto na direção do bloco de refeitórios fora do bloco do Gabinete do Comandante. 

Enquanto isto transcorria, alguém já havia acionado o refeitório do QG e o barata voa, uma vez que o Cmt (Comandante)  de certo iria almoçar com seus Oficiais no respectivo refeitório.

Contudo, o que não nos causou espanto, a nós praças do QGEX (quartel general), o General adentrou ao rancho de ST/Sgt (subtenentes e sargentos), como se um de nós fosse, cumprimentando com aperto de mão a todos, como sempre o faz e se servindo na nossa linha, com nosso prato, nosso talher, dispensando todas as prerrogativas a que faz jus e que lhe foram ofertadas naquele momento, como equipe de serviço, pratos e talheres apropriados a sua posição, bem como mesa separada para o mesmo e acompanhantes. 

Mas acreditem, meus amigos, não foi visto só por mim, ele simplesmente agiu como o grande Comandante que sempre foi, permaneceu com sua tropa, continuou a cumprimentar, sentou onde quis, com quem quis, enquanto almoçava conversava com todos ao redor. 

Era possível perceber como aquele militar se sentia bem com sua tropa e com a comida, sem requintes, mas de muita qualidade, tanto no preparo quanto no sabor, que é a nossa do QGEx (quartel general do Exército, em Brasilia). 

Com este relato, compartilho com a ponta da linha o comportamento do nosso Cmt, que não chega à tropa, mas que somado as declarações e posicionamentos, tornados públicos, do nosso Cmt, nos permite ter uma visão de um novo EB (Exército Brasileiro) que se desenha a cada dia, com um líder que comanda do centro e não de fora. 

O sentimento que temos aqui é de tranquilidade quanto a ocorrência de mudanças positivas pra força e plena confiança na capacidade e compromisso do nosso Cmt."

Veja a repercussão 

Um comentário:

  1. Olá bom dia Dinomar....gostei do foi escrito...mas gostaria de saber se em um dia...as força armadas iram ser proficionalizar como outros países...pois na verdade só é profissional Só os de academia...essa...ou amam,eu me refiro ao combatente. ..soldado, os guerreiros... em vista que o desemprego no Brasil. ..por que não tornar profissional esses soldados. ..muito triste pois já cumprem missão no exterior e interior...não intendo esses comandantes que estão na ativa...não fique surpreso com um oficial sentado a mesa com os praças. ..na minha opinião, deveriam analisar essa idéia, pois o militar pode ficar só 4 anos no máximo. ..aí ele saem de lá perdido..as vezes sem poder voltar....como foi o meu caso...porquê não utilizar esses jovens que querem ficar e siguir uma carreira como Militar desde soldados até sargento. ...se especializar em algo dentro da arma que serve...será que pessoal vê. ..o Brasil está mudando.. é deveriam ver esses cargos como profissionalizante. ..eu no meu caso fiquei muito desepcionado com o exército. ..pois sempre quis ter uma carreira como Militar. ..pois fiquei só dois anos...mas ínfimo ... vejo hj é pelos nossos jovens que estão sendo obrigado a servir...contra sua vontade...é muitos que querem é não entram ou não conseguem ficar,mesmo tendo um bom comportamento. ...eu falo por min,caro amigo....obrigado por permitir esse comentário. ...obrigado

    José Marcos Silva Soares

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.