segunda-feira, 27 de julho de 2015

Boa notícia: MBAC, fábrica de fertilizantes em Arraias (TO), pode voltar a funcionar


A MBAC Fertilizer informou, hoje (27), que um fundo de investimento do segmento de fertilizantes fez uma oferta pela fábrica de fertilizantes fosfatados da Itafós Mineração, empresa controlada pela MBAC, em Arraias (TO). 

Com a entrada de investimento novo, a planta pode voltar a ser ligada. Em janeiro, os empregados foram demitidos e a produção interrompida.

O comunicado não diz se a operação se trata de venda ou aporte financeiro. 

Um documento sobre a revisão estratégica da empresa diz que a MBAC busca a venda da empresa, dos ativos no Brasil ou uma parceria estratégica. 

A mineradora canadense não especificou qual tipo de negociação foi oferecido na proposta.

A oferta, que envolve a recapitalização da companhia, não é vinculativa e está sujeita a uma série de condições, incluindo o acordo da dívida da MBAC com credores, uma reestruturação do Conselho Administrativo e o cumprimento das obrigações da empresa. 

As informações são de comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira (27).

O fundo de investimento, cujo nome não foi revelado, que fez a oferta para a MBAC concordou em estender um empréstimo-ponte para a empresa. 

Os fundos vão ser utilizados para preparar a planta de Itafós para uma possível retomada nas operações, que foram interrompidas no início deste ano. 

O dinheiro obtido com o empréstimo-ponte, que não teve valor divulgado pela empresa, também será usado para despesas gerais e administrativas.

O empréstimo-ponte possui uma taxa de juros de 15% ao ano e tem vencimento em 30 de setembro deste ano, mesma data em que encerra o período de exclusividade da oferta feita pelo fundo de investimento à MBAC.

A mineradora canadense disse que os termos e condições da proposta ainda estão sendo negociados. 

A MBAC informou que não pode garantir a conclusão da operação, que ainda estaria sujeita à aprovação do Conselho Administrativo, dos acionistas e da Bolsa de Valores do Canadá (TSX). 

A empresa disse que a oferta pode ser cancelada pelo fundo a qualquer momento sem nenhum pagamento de multa.

A MBAC também comunicou hoje a renúncia do presidente do Conselho Administrativo, Peter Marrone. 

Segundo a empresa, a saída do executivo abre caminho para a reestruturação da diretoria da empresa, condição prevista na oferta feita pelo fundo de investimento.

A Itafós Mineração, subsidiária da empresa canadense, e a MBAC estão sendo processadas separadamente por empregados demitidos. 

Outras empresas que pertencem à MBAC, como MBAC Brazil Holdings, MBAC Fertilizantes e MBAC International Holdings Cooperative também são alvos de processo.

O total das ações individuais e coletivas de ex-empregados contra a empresa é de US$ 1,6 milhão, que a MBAC já deve aos trabalhadores, mais US$ 11,5 milhões, requeridos por danos morais.

A companhia também está sendo processada pela Prefeitura de Arraias (TO), que cobra US$ 1,9 milhão de impostos não pagos referente ao Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), mas multa e juros de US$ 1,6 milhão.

A MBAC Fertilizers possui entre os principais acionistas a B&A Mineração, que tem como sócios o executivo Roger Agnelli, que foi presidente da Vale até 2011, e o banco BTG Pactual, do empresário André Esteves. 

A B&A possui aproximadamente 18,171 milhões de ações da MBAC, o equivalente a 11,95% de participação.

Fonte: Notícias de Mineração Brasil 

13 comentários:

  1. Boa noticia mesmo??? Estranho porque aqui neste blog o que mais vemos são pessoas torcendo para que a empresa decrete falência e suma do mapa. Será mesmo que o desejo dos leitores é que a empresa se reestruture? Sei não viu...
    Acredito que altos e baixos existem para tudo e todos, a expectativa é que esse baixo acabe e o melhor aconteça, voltem os empregos, volte a prosperidade da cidade e melhore e muito a economia local, quem tem um pouco de inteligencia sabe que a cidade precisa disso, que só com investimentos privados um lugar tão abandonado pelas politicas publicas pode crescer e trazer benefícios para quem sabe aproveitar. Dinomar poderia fazer uma reportagem para relatar tambem quantas mentiras foram contadas por ex funcionários visando lucro nas audiências (tinha superhomem que trabalhava em tudo, operava o campo, operava painel, fazia manutenção, pintava estruturas, cuidava da portaria e acho até que cozinhava, isso tudo ao mesmo tempo, e tem tambem os x-men, que bebeu acido, tomou banho em soda, cheirou reagentes, e ta vivo ainda kkkkk Claro um bom dano moral faz magica de todo jeito hahaha!!!) ... ahhh mas imparcialidade não vai permitir né..
    Agora serio, tomara que dê certo, todos querem ter oportunidades e bons empregos, e tomaram que saibam valorizar.

    ResponderExcluir
  2. Estou aqui orando para a empresa voltar a funcionar novamente, tantas pessoas desempregadas na Cidade com contas vencidas. Traga mais noticia boa para a nossa população. Espero que eu consiga entrar quando tiver funcionando.

    ResponderExcluir
  3. Tudo é questão de tempo... que a empresa vai retomar a produção, eu não tenho a menor dúvida. E o melhor, nos vamos ter nosso emprego de volta, porém os super-homens e os X-Men (como citado pelo "Silvio Santos" no comentário acima) vão ter que procurar seus advogados para ter seus empregos de volta, já que foram iludidos por eles...
    "Há tempo pra plantar e tempo para colher"

    ResponderExcluir
  4. o que ninguém quer aceitar ou intender é que o negocio é economicamente inviável. Não vai voltar a operar.

    ResponderExcluir
  5. Fico vendo o comentário de algumas pessoas sobre a empresa, sempre moraram nessa região vivendo a agricultura e ganhando salario minimo,e muito fácil cuspir no prato que comeram, e agora ficam torcendo para falência da empresa, outra coisa o prefeito ridículo de Arraias-TO, quando a empresa começou a ser montada essa região nunca recebeu tantas pessoas que fez a economia da região e a renda crescer, e ele não fez nada para receber as pessoas que vieram de fora, nem um supermercado descente, levou a empresa na justiça para poder embolsa parte do valor do IPTU, e um absurdo, a região já esta sofrendo um desemprego enorme pois mais de 60% do quadro da empresa era de pessoas regionais, e ficam torcendo para a falência da companhia, em vez de pedirem a Deus para que a empresa retorne com suas operações, eu não sou da região mais torço muito para que a mesma se recupere dessa crise.

    ResponderExcluir
  6. Ai vem um sabe-tudo, que tenta falar bonito..não deve nem imaginar como começa um processo de viabilidade econômica em mineração, alias, nem sabe o português deixou um "intender" para ser apreciado, será que quer credibilidade?

    ResponderExcluir
  7. Agora o que é de neguim que vão estar tirando os processos trabalhistas que entraram contra a Mbac não vai estar no gibi. Quem estava botando o terror vão voltar com o rabinho entre as pernas. Não da pra entender como alguém torce contra a empresa na nossa região. Parece que não enxergam a crise que a nossa região esta vivendo.

    ResponderExcluir
  8. Agora o que é de neguim que vão estar tirando os processos trabalhistas que entraram contra a Mbac não vai estar no gibi. Quem estava botando o terror vão voltar com o rabinho entre as pernas. Não da pra entender como alguém torce contra a empresa na nossa região. Parece que não enxergam a crise que a nossa região esta vivendo.

    ResponderExcluir
  9. Realmente se for verdade uma boa noticia,ultimamente só falatório e nada se resolve.

    Lembrando que tem que acertar com todos os funcionários que nela trabalhou ou melhor boa parte pois alguns já receberam.

    ResponderExcluir
  10. Maravilha que vem o progresso os empregos e a comida na mesa das famílias com mas facilidade ou segurança. 👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  11. Li todos os comentários desse post, defendo o nosso companheiro Dinomar, o mesmo não faz noticia, apenas a transmite da maneira mas transparente. Espero que a empresa se reestruture e que volte a produzir e gerar muitos empregos. Principalmente para as pessoas da região. O fato da empresa ser um ótimo investimento, não tira a obrigação e responsabilidade de que ela está sendo processada única e exclusivamente devido às atitudes à margem da lei.
    Se existem super homens, x-man nos processos, também não concordo em parte. Mas que na empresa houve desvio de função, isso aconteceu!
    Operadores auxiliavam na manutenção mecânica, transportavam ácido sem as roupas necessárias, trabalhávamos de turno e só tinha enfermeira até 00:00 ficávamos 8 horas por dia expostos e sem nenhum socorro, caso acontecesse algo.
    Por dias funcionários (operadores de fábrica) fizeram o controle de entrada e saída na empresa, o deveria ser feito por guardas treinados.
    Mas você que fez o primeiro comentário e que ainda está empregada na empresa, tem realmente que defender a empresa com umas e dentes, assim como eu fiz enquanto estive no grupo.
    Agora sejamos realistas, além de mandar as pessoas embora( o que é algo ruim) a empresa não pagou as rescisões, não homologou e por isso se não tivéssemos acionado a justiça, estaríamos 6 meses parados e nem o seguro desemprego receberíamos. Tenho sempre acompanhado o blog em busca de notícias boas sobre a MbAc.
    Tenho certeza que quando a empresa se reestruturar e pagar seus débitos. Esse blog será o primeiro a divulgar essa informação! Se a empresa não traz notícias boas, não está agindo conforme a lei manda, como noticiar algo diferente? Daí não seria justo com todos os leitores. Obrigado...

    ResponderExcluir
  12. É galera, são tantas as facetas em..
    Más, é tempo de crise e nessa hora temos que torcer pelo melhor da coletividade.
    Ficar nos lamentando não nos levará a nada.
    Com relação ao prefeito de arraias, quando a empresa veio, não era ele.
    Com facetas e lacunas obscuras ou não...Melhor ela funcionando do que parada.
    Abraço Dinomar e caros e cada dia mais antenados leitores..

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.