terça-feira, 10 de junho de 2014

Exemplo: uma promotoria voltada para o cidadão

Paulo Brondi em visita às 
comunidade Kalunga




Por Paulo Brondi, Promotor de Justiça

Há cerca de um ano, quando cheguei em Campos Belos e tive a noção da distância percorrida por algumas pessoas em busca de atendimento pela Promotoria de Justiça, fui tomado por uma certa preocupação em relação a essa gente: como imaginar que alguém pode vir de tão longe para apenas ser atendida pelo promotor? 

Fosse em busca de um médico, até seria de se entender... 

A partir disso, comecei a amadurecer a ideia de levar a Promotoria até esses locais, para ali proceder ao atendimento, ou seja, sair do gabinete confortável e sujar um pouquinho a barra da calça e o sapatinho preto. 

Mas, sabem como é, muita correria e a coisa foi ficando um pouco pra trás, embora não esquecida. Entretanto, alguns meses atrás, resolvi recolocar na estrada o "projeto de um projeto". 

Solicitei, então, que a Assessoria de Comunicação do MP elaborasse algo como um banner, no que fui prontamente atendido (colocarei mais fotos depois). 

Feito isso, era hora de por a mão na massa. Como companheiro de empreitada, então, contatei o meu irmão de instituição, expoente deste MP/GO, Dr. André Luís, que - eu já esperava - topou a parada. 

Ganhamos o entusiasmo de outro caro companheiro, Dr. Douglas Chegury.

E, assim, era o momento de traçar linhas mais concretas. André lá, eu aqui, marcamos uma data e uma localidade a ser visitada: ele, o Povoado de Olaria da Fumaça, eu, a comunidade Kalunga. Extremo sul (Itajá) e extremo nordeste (Monte Alegre) do estado. 

Deu-se tudo no último sábado, ainda que de forma tímida. Agradecemos a todos que participaram, ainda que indiretamente, seja doando a refeição, seja contribuindo para a divulgação, seja emprestando o apoio necessário. 

Tudo saiu conforme o esperado e o primeiro passo foi dado. Enfim, o treco nasceu e agora é tocar pra frente. 

Esperamos contar com o entusiasmo e a participação de outros colegas, em outras comarcas. 

O bacana do Ministério Público é isto: seu dinamismo e sua capacidade de se adequar às realidades sociais, sejam elas quais forem. É o que, com todo o respeito, diferencia-nos de todas as outras instituições.

Basta um pouco de compromisso. Esqueçamos a ideia do promotor estático que espera acontecer. 

A inércia não é nosso papel, não nos cabe. Enfim, que tudo valha a pena no final.






3 comentários:

  1. Não há necessidade de um promotor se colocar como um ditador da lei e muito menos amedontrar a população com sua figura de executor, bom exemplo para quem acha que além de promotor e Prefeito, Juiz, Padre, Papa,e Jesus Cristo nas hora vagas.Queremos um MP que respeita o povo o qual ele representa, piquinhas e disputas particulares só atrapala.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns aos grandes paladinos da justiça do nordeste goianos, Drs. Brondi, André Luis e Douglas Chegury. São incansáveis. Ao mesmo tempo em que punem prefeitos e políticos corruptos e demagogos eles vão até o povo. Vcs são demais.

    Grande beijo

    Cristina Chaves

    ResponderExcluir
  3. Lugar de corrupto é na cadeia e inelegível. Viva Joaquim Barbosa. Viva o povo sofrido do Nordeste. Viva os promotores do goias

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.