terça-feira, 17 de junho de 2014

Estudantes da UnB em trabalho de campo na Chapada dos Veadeiros

 


O grupo PET-Educação teve a oportunidade de realizar um trabalho de campo na Chapada dos Veadeiros em conjunto com as as  disciplinas  Educação em Geografia da Faculdade de Educação e Estágio Supervisionado em Geografia do Departamento de Geografia do Instituto de Humanas da Universidade de Brasília para fazer um estudo geográfico do cerrado. 

A viagem foi realizada para nos proporcionar a experiência de vivência do contexto e assim termos subsídios para realizarmos o estudo do meio, tendo como tema norteador “Cerrado e sustentabilidade: um diálogo possível?”.  

O primeiro momento foi a saída de Brasília para São João da Aliança, ao chegarmos ao destino fomos recebidos por um casal de sertanejos no sítio Rebendoleng. 

Tivemos a oportunidade de conhecer um pouco sobre o trabalho o Sr. Geraldo Bertelli, que possui um conhecimento vasto, adquirido em sua prática de vida, sobre o cerrado, permacultura e sustentabilidade. Realiza um trabalho fantástico de permacultura, que consiste no reaproveitamento de materiais descartados, para a construção de sua casa e diversos utensílios, também preza pela conservação da natureza.

Conhecemos o entorno do sítio do Sr. Geraldo, ele nos mostrou o quanto o cerrado é diverso e cheio de riquezas medicinais, na cultura da industrialização que estamos imersos atualmente, conhecemos muito pouco sobre essa riqueza enorme que a natureza nos oferece. 

Mas em meio a tantos elogios a natureza, o Sr. Geraldo também demonstrou sua indignação pela falta de conscientização dos monocultores em relação à conservação do solo e o descaso do estado em reservar um local onde deveria ter ar puro e rico em vegetações diversas sendo utilizado para queimar o lixo produzido pela comunidade.

Por fim, fomos conhecer o maravilhoso Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, fizemos a trilha dos saltos, onde foi possível ver as escavações realizadas por garimpeiros para a coleta de cristais, hoje é proibido coletar cristais no parque, a maior parte dos moradores da cidade de São Jorge foram garimpeiros ou descendentes de família que empregava seu trabalho nos garimpos. 

A trilha desembocou em partes das corredeiras do Rio Preto onde foi perfeito o contato com a natureza.

Aqui chegamos ao fim do nosso incrível passeio por pequena parte das belezas naturais de nosso país. Acreditamos que todos devem viver essa experiência incomparável e enriquecedora.

Fonte: PET UnB




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.