domingo, 1 de junho de 2014

Combinado faz hoje 25 anos. Nasceu de ideais socialistas de Mauros Borges e no formato de "kibutz" israelense



O município de Combinado, sudeste do Tocantins, completa, neste domingo, 1, 25 anos de emancipação política. 

A cidade surgiu de projetos para colonização, desenvolvidos pela equipe do então Governador do Estado de Goiás, Mauro Borges Teixeira. 

A intenção de Mauro Borges era implantar núcleos em várias regiões do Estado de Goiás, principalmente nas áreas menos desenvolvidas. 

O nordeste de Goias foi escolhido, sendo essa a única da região, ainda pertencente ao município de Arraias, para a sua experiência socialista e comunitária. 

Sua ideologia de implantação baseou-se no “kibutz” desenvolvido em Israel e através dos Decretos nºs 63 e 64, de 27 de junho de 1962, foi declarada, então, de utilidade pública uma área de 6.500 alqueires, abrangendo as Fazendas Suçuarana e Caatinga, localizada às margens do rio Palmas.  

Em 1962, foram instalados setecentos e cinquenta colonos e distribuídos lotes agrícolas para implantarem quatro ruropólis (R-1, R-2, R-3 e R-4). 

A combinação dessas ruropólis deu origem ao nome de Combinado.  

Como o Golpe Militar de 1964, os projetos dos combinados foram associados, equivocadamente, aos focos de militâncias comunistas, tendo em vista a ideologia cooperativista que nortearam os projetos.

O combinado agro-urbano de Arraias foi duramente atingido em sua linha de implantação, transformando-se, apenas, num distrito de Arraias.  

A maioria dos colonos vendeu suas terras, que eram públicas, para particulares atraídos para a região sem nenhuma afinidade com a ideologia inicial de cooperativismo que embasou a implantação do combinado. 

Formação Administrativa

O distrito foi criado com a denominação de Combinado Agro-Urbano de Arraias (ex-povoado), pela lei estadual nº 9189, de 14-05-1982, subordinado ao município de Arraias. 

Em dezembro de 1987,  foi elevado à categoria de município com a denominação de Combinado, pela lei estadual nº 10402, desmembrado de Arraias, com sede no então distrito de Combinado (ex- Combinado Agro-Urbano de Arraias). 

Mas foi em 1 de junho de 1989 que realmente foi instalado como autônomo. 

Segundo o IBGE, em 2013, a população do município bateu exatos 4.827 pessoas. Quem nasce no município recebe o adjetivo gentílico de combinadense.

Aos combinadenses, nosso votos de felicidade e de sucesso. Que o povo da cidade continue a labuta firme, honesta e cara na formação de uma cidade mais rica, próspera e justa.

Os nossos votos são extensivos a todos os seus moradores, sejam eles natos ou adotados de coração. 

Com informações do IBGE



2 comentários:

  1. Em 1°de junho de 1989 tomou posse o primeiro prefeito eleito ELOÁ TEIXEIRA que regularizou o distrito em cidade.

    ResponderExcluir
  2. DESABAFO DE MORADOR DE COMBINADO:
    DINOMAR MIRANDA SOU MORADOR DE COMBINADO A MUITOS ANOS, E ESTOU INDIGNADO COM A SITUAÇÃO QUE NOSSA CIDADE SE ENCONTRA TA LARGADA AS TRAÇAS SEM RESPONSABILIDADES DA ATUAL PREFEITA E SECRETÁRIOS MUNICIPAIS,O CIDADÃO PROCURA A PREFEITA E NUNCA ENCONTRA ELA QUANDO NÃO ESTA EM PALMAS OS FUNCIONÁRIOS NÃO SABEM DIZER POR ONDE ANDA,NÃO FICA UM SECRETARIO SEQUER NA PREFEITURA,FUI ESSES DIAS TIRAR UMA NOTA FISCAL NO TRIBUTOS NÃO TINHA NINGUÉM PRA ME ATENDER E TEM SECRETARIO QUE RESPONDE PELA PASTA,MAIS NUNCA ESTA LÁ,SALÁRIOS DE SERVIDORES ELES ATRASAM 2 MESES E PAGAM 1,ONDE ESTA INDO O DINHEIRO DO MUNICÍPIO?E O COMERCIO TA SENDO PREJUDICADO POR ESSES ATRASOS,HOJE 5 SECRETARIAS SÃO DE PARENTES,SENDO QUE O MARIDO TEM UMA É CLARO,O NEGOCIO EU COMO CIDADÃO DEIXO AQUI MINHA A MINHA INDIGNAÇÃO E CONVOCO A POPULAÇÃO COMBINADENSE VAMOS COBRAR A PREFEITA E SUA FAMÍLIA QUE ESTÃO NAS PRINCIPAIS CADEIRAS DA PREFEITURA SE NÃO DER CONTA DE ADMINISTRAR PEDE PRA SAIR.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.