domingo, 28 de julho de 2013

Polícia prende assassino de mototaxista. Veículo foi encontrado queimado em rodovia

Motocicleta roubada foi encontrada incendiada
 e destruída, na GO-118, na entrada da "Prata"
Está preso em Campos Belos, nordeste de Goiás, o autor do latrocínio (roubo seguido de morte) contra o mototaxista Erasmo Santiago de Souza, de 22 anos, ocorrido na quinta-feira passada na rodovia GO-118. 

O acusado contratou o mototaxista para uma corrida entre Alto Paraíso e Teresina de Goiás, um trecho de 70 km. 

Próximo à localidade de Poço Encantado, bem próximo a Teresina, o passageiro anunciou o assalto, matou a vítima e levou sua motocicleta e valores em dinheiro. 

Na sexta-feira, 26, a polícia prendeu o autor do assassinato na cidade de Monte Alegre. 

O acusado, identificado como P.J.M.C, de 18 anos, confessou o crime e está preso no presídio de Campos Belos, à disposição da justiça de Cavalcante (GO), Comarca onde ocorreu o latrocínio. 

Na manha deste sábado, 27, a polícia recebeu informações de uma motocicleta queimada na própria GO-118, próximo à entrada do povoado Prata, também município de Monte Alegre de Goiás.

Quando a polícia chegou ao local, identificou que o veículo incendiado e destruído era o mesmo produto do latrocínio de Alto Paraíso. 

Com o acusado foi encontrada uma quantia de R$ 342, proveniente do crime. 

O adolescente  preso vai responder pelo crime previsto no artigo 157, parágrafo terceiro, do Código Penal Brasileiro - latrocínio. 

As investigações continuam a cargo da Policia Civil para descobrir a motivação do crime. 

Segundo informações da própria polícia, há possível participação de outras pessoas, bem como a possibilidade de que o autor tenha envolvimento em outras atividades criminosas. 

Um comentário:

  1. É um absurdo isso... roubou pra que? qual a intenção de um cara desses, tirar a vida de uma pessoa a troco de nada, revoltante !

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.