segunda-feira, 29 de julho de 2013

Papa Francisco deu um show. Mas Igreja precisa avançar nos “tabus”


O Papa Francisco, em sua passagem pelo Brasil, deu um show de simpatia, humildade e compromisso com os mais pobres, falando a linguagem dos jovens, enfim, conquistou o coração dos brasileiros.

Mas nem tudo são flores na vida da Igreja Católica.

O Papa deixou de tocar em temas polêmicos e que precisam ser vistos, urgentemente, sob pena de a Igreja continuar a estar longe das pessoas, de seus fieis.

O nosso colega de Universidade, o jornalista Gerson Camarotti, numa entrevista exclusiva ontem para a Globo News e para o programa Fantástico, teve um bate-papo muito bom e transparente com o pontífice, mas deixou de tocar em assuntos pertinentes.

Vi o Papa Francisco dizendo que os jovens devem ir às ruas, devem participar de uma revolução. “Saiam das igrejas e vão para as ruas”, ordenou o Bispo de Roma.

Claro que entendi o que ele quis dizer e a igreja católica precisa muito dessa revolução dos jovens. 

Mas esta revolução tem que começar dentro da própria Igreja de Pedro, quebrando tabus inconsistentes e não sintonizados com a sociedade moderna.

Por exemplo, por que a mulher ainda não tem poder dentro da igreja? 

A mulher cada vez mais tem encontrado seu espaço e vem decidindo a vida de milhões de pessoas.

Por que a Igreja insiste em deixá-las em segundo plano?

E os métodos contraceptivos? O sexo sempre foi um tabu para os religiosos e que o tem apenas para a procriação. Mas a sociedade muda e não é mais assim.

O sexo hoje é feito entre as pessoas, na grande maioria das vezes, por prazer. E tem que ser assim. É bom para o casamento, é bom para a família.

Imagine se em cada relação sexual entre um casal, casado a 20, 30 anos,  fosse para procriação? 

E as pessoas, principalmente as brasileiras, com raríssimas exceções,  não pensam como a Igreja. 

A pílula anticonceptiva faz parte do dia a dia das mulheres brasileiras, desde muito cedo e a Igreja não aceita essa realidade.

A camisinha, também não aceita pela doutrina católica, é outro exemplo de falta de sintonia com a sociedade atual.

A camisinha é uma ferramenta importantíssima  nos métodos anticonceptivos e também muito eficaz na promoção da saúde pública, que protege as pessoas contras as inúmeras doenças sexualmente transmissíveis.

O celibato é incompressível. Quais as justificativas de um padre não poder constituir a sua família? 

Até porque se autorizado o casamento dos padres, seria até mais uma forma de eles (os sacerdotes) entenderem os problemas cotidianos que ocorrem dentro de uma família.

Hoje mesmo vi uma declaração do Papa Francisco, dada dentro do avião que o levou de volta a Roma, dizendo que a questão das mulheres se tornarem sacerdotes está sepultada para sempre e isto já foi definido pela Igreja.  

A justificativa, segundo o pontífice, é de que Jesus não escolheu, entre seus discípulos, mulheres.

Claro que não escolheria. 

A sociedade judaica daquela época era essencialmente machista, como ainda a é as sociedades islâmicas e outras orientais. Era a cultura de dois mil anos  atrás.

Mas isso já foi ultrapassado pelas sociedades modernas, principalmente as ocidentais, e a mulher já está em outro patamar de valorização.

Então, a Igreja se quiser mesmo fazer uma revolução tem que começar cortando a própria carne e rever alguns tabus que hoje já não faz mais sentido. 

2 comentários:

  1. igreja de pedro? ou igreja de Jesus Cristo ?

    ResponderExcluir
  2. Meu caro, a igreja ainda esta de pé porque sustenta o que os senhores chamam de "tabu" porque se começar a fazer tudo que a sociedade já esta fazendo só vai ser mais uma instituição falida, como hoje já encontra a nossa sociedade com tanta permissividade. Quanto as mulheres na igreja acho que deixariam de exercer seu principal papel de mãe e educadora caso venha a ser uma mulher casada sacerdotiza. Quanto ao casamento dos padres saiba que eles que fazem a escolha exatamente porque nao querem casar, porque se quizessem uma vida casado acredito que procurariam o matrimonio e nao o sacerdocio, ja que são coisas bem distintas e escolhiveis... já pensou um mulher com TPM celebrando missa??? já pensou um padre com um filho doente...sera que ele iria cuidar do filho doente ou iria celebrar uma missa?????// pense bem, as estruturas que estao no lugar devem continuar no lugar...

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.