terça-feira, 30 de abril de 2013

Roger e Léo: Luau sertanejo em Combinado


A dupla Roger e Léo, que acaba de adquirir um baita ônibus, tem presença garantida no próximo dia 18 de maio (sábado), na cidade de Combinado, sudeste do Tocantins. 

O Luau Sertanejo ocorrerá na Casa de Show Stillus, uma das mais badaladas da região. A conferir...

Leitor: prefeito de Divinópolis não quer consertar bomba em poço artesiano


"Caro amigo Dinomar Miranda, o nosso prefeito, aqui da cidade de Divinópolis de Goiás, ainda está na época da ditadura. 

Na fazenda Quineira, de propriedade de Domingos Cândido Oliveira, existe um poço artesiano que abastece quatro famílias. Sendo que as mesmas dependem desta água para matar sua sede. 

No entanto, no dia 15 de janeiro a bomba queimou e os usuários procuraram o  secretário da área e foram informado de que o prefeito não iria consertar a bomba. A justificativa era de que estas famílias votaram contra ele. 

O prefeito não teve consideração, nem em quem votou nele. Se estas famílias quiserem beber água, tem que fazer uma vaquinha e comprar a bomba, pois o prefeito disse que a prefeitura não tem dinheiro. Realmente, R$ 1800 é  muito dinheiro para uma prefeitura. Isso é uma vergonha."


Assinado: Robson

Comentário deste blogueiro: 

Dois fatos chamam a atenção neste episódio em Divinópolis. Primeiro, o que tem haver a prefeitura com um poço artesiano em uma propriedade privada? E se o poço foi aberto e montado pela prefeitura, por que o fizeram numa propriedade privada? 

A segunda questão é que prefeito algum deve negar serviços públicos às pessoas da comunidade, mesmo aqueles que votaram contra ele. 

Este tipo de posicionamento é um retrocesso que remete a uma cultura coronelista do século passado, há muito ultrapassada. 

Na realidade, é muito estranho todo este episódio. 

De qualquer forma,  abrimos espaço para a prefeitura de Divinópolis explicar a situação e também às famílias interessadas no poço artesiano. 


Pobreza no Tocantins: secretário contesta matéria do Estadão e diz que é uma amontoado de preconceito e desinformação


Na manhã de segunda-feira, 29, o secretario de relações institucionais do Estado do Tocantins, Eduardo Siqueira Campos, comentou a reportagem publicada, ontem, 28, no Estadão, que mostra a contradição socioeconômica do Estado nos índices de pobreza e na produção do agronegócio no Estado, além do montante de recursos federais que o Estado recebeu da união. 

Para o secretario, a matéria é um amontoado de preconceito, de desinformação e de má utilização de números distorcidos.

O secretário diz não aceitar como argumento dizer que o Tocantins é um dos mais beneficiados com os recursos federais do Fundo de Participação do Estado (FPE).

Contrapondo as alegações e informações da reportagem, o secretario citou números sobre o analfabetismo e outros índices, que, segundo ele mostram o crescimento do Estado. 


"O Tocantins tinha mais de 65% de analfabetos, números iguais ao dos Estados do Maranhão e Piauí, hoje, esse número chega a 14% de analfabetos. 

O nosso Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) é um dos melhores. 

O IDH superior, e vamos para fases intermediárias. O IDH que era o último, hoje, se encontra na fase intermediária, passamos os Estados vizinhos”, pontuou.

O secretario alegou que a malha viária superou a dos Estados do Pará e Bahia e outros. 


“Hoje o professor do Estado ganha R$ 3 mil, o policial também”, ressaltou, complementando que o funcionário público circula entre o mais bem pagos do País, se referindo à data-base, aprovada recentemente pelos deputados estaduais durante o Parlamento Popular, em Araguatins e que prevê o reajuste de R$ 5,57 % sobre o salário dos servidores do Estado, que será pago dia 1° de maio.

Eduardo ainda afirmou que o Estado está atingindo números não de forma aleatória, nem gratuita, mas que isso é reflexo de “investimento e muito trabalho”. 


Sobre a matéria, o secretário afirmou se referindo ao repórter do Estadão: “ele não disse que tem uma frente pavimentando esses lugares em que ele visitou. 

Tem máquinas trabalhando lá. Estamos levando investimentos para a população de baixa renda”, frisou Eduardo.

Para o secretário, o governo está trabalhando na recuperação e na capacidade de credibilidade do Estado do Tocantins. “Estamos fazendo refinanciamento pelo Estado. Tínhamos um rombo, ou seja, precisávamos recuperar para poder ir para a frente. 


Temos trabalhos, como escolas, recuperações de hospital, infraestrutura, escolas indígenas, investimentos na infraestrutura. Eu diria, em todos os sentidos, nos temos que ter muito orgulho do que estamos fazendo. 

Eu convivo com as críticas de forma serena, quero discutir, números, dados", disse. 

O secretario finalizou a entrevista ao Conexão Tocantins afirmando que a economia do Tocantins tem crescido e que mostra números de seu avanço. 


Eduardo lamentou a visão e o enfoque da matéria que, segundo ele, distorcido. “Nos tivemos que fazer a adequação da questão orçamentário para poder voltar a prover investimentos. Investimentos em estradas e construção de novas, e apoios em municípios, eles não tem receitas para isso. 

O nosso grande problema foi que o Estado passou muito tempo sem manter sua malha viária, delegacias, hospitais”, salientou. 

Eduardo afirma que hoje o principal desafio do Estado é construir novas estradas e recuperar os antigos trechos da malha rodoviária, “isso é muita dedicação e trabalho”, disse. 

Fonte: Conexão Tocantins 

Leitor: obra da GO-118 não parou

"Dinomar Miranda, essa menina que postou esse comentário ai está muito mal informada, as obras da GO-118 já está no posto fiscal, entre Campos Belos e Monte Alegre. 

Ela deveria se informar melhor para postar coisas a respeito... As obras estão muito bem encaminhadas, inclusive dentro da cidade já começou a ser feito..."

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Nem começaram, já paralisaram as obras da GO-118

"As obras de reconstrução do asfalto da GO- 118 mal começaram e já estão paradas, vai entender este governo que adora fazer a gente de palhaço."

Laís Madureira

Pobreza no Tocantins: "Estadão não mentiu e nem foi preconceituoso"



O Estadão não mentiu em sua análise e nem foi preconceituoso ao mostrar uma verdade nua e crua. 

A diferença é que os pobres dos lixões dos grandes centros são mostrados todos os dias, inclusive nas novelas da Globo. 

Nosso sertanejo que morre de sede todo ano, que esta sendo expulso pelo avanço da soja e do eucalipto sobre seu espaço a mídia local esquece, não mostra de maneira alguma. 

Ademais a reportagem só mostrou uma parte bem pequena do problema. 

Não citou por exemplo as grilagens de terras, fraudes em documentos e a expulsão dos camponeses em nome desse "pseudo - desenvolvimento". 

Prova que a resposta do Portal de Noticias T1, circulada hoje apenas consolidou a verdade da reportagem. 

Ambas (tanto a do Estadão como a resposta do T1), merecem elogios, pois tratam do mesmo assunto mas com visões políticas diferentes. Aos que criticam o Estadão, fica o convite para conhecer os sertões do Tocantins que estão sendo tomados pela Soja e o Eucalipto. 

Ou discutiremos esse tema agora no momento em que está ocorrendo a ocupação desse espaço ou daqui a vinte anos quando os rios estiverem mortos, as cidades cheias de favelas e o AGROHIDRONEGOCIO reinando nos chapadões onde localizam as nascentes. 

Ai meus caros amigos será tarde!! Querem pagar pra ver? Então, esse é o momento de pensarmos que tipo de desenvolvimento queremos ao nosso Tocantins. 

Esse desenvolvimento queira ou não, passa pela orientação política dominante no estado desde a sua criação, e pelo que estamos assistindo seguirá os mesmos caminhos por exemplo do Oeste da Bahia, onde os rios estão desaparecendo e a agricultura predatória já está recorrendo aos lençóis subterrâneos (poços artesianos) para irrigar café tipo exportação. 

Assim também será o futuro do Tocantins, e diga - se um futuro sem volta. 

Valmir “Crispim” Santos
Geógrafo, Professor da Rede Estadual do Tocantins
Mestrando em Geografia e Ordenamento do Território pela
Universidade Federal de Goiás.

Pobreza no Tocantins: Jornalista Roberta Tum rebate Estadão


Preconceito e desinformação nas páginas tortas do Estadão

O Estadão lançou seu olhar de comiseração e piedade para o TO no fim de semana. Faltou olhar pela janela e ver que a pobreza é a mesma, tanto lá como cá. A diferença está entre a galinha e o lixo

Em pelo menos três matérias jornalísticas publicadas em suas páginas na internet que pude ler nesta segunda-feira, 29, o repórter Leonêncio Nossa dá um show de preconceito e desinformação ao traçar um paralelo entre o avanço das plantações de Soja no Estado e a pobreza, fruto da desigualdade social que se observa ao redor das áreas plantadas. Leia o conteúdo completo 

Deu no Estadão: " Em Tocantins, safra recorde e população na miséria"




Publicação: jornal O Estado de São Paulo
É tempo de silos cheios no Tocantins. A safra recorde de soja, porém, só traz para dentro das casas de palha a poeira do tráfego intenso de carretas duplas, tratores suecos e caminhonetes de luxo nas estradas de terra que cortam o horizonte que parece colar no céu de azul intenso.
Um quarto de século depois de sua criação, o Estado mais novo do País acumula profundas desigualdades econômicas. 
A fome e a anemia de crianças e adultos contrastam com a potência das colheitadeiras de última geração dos parceiros das gigantes Algar, Bunge e Cargill. 

A mortalidade infantil aumenta no ritmo da expansão da área agrícola na planície avermelhada.
O Estado foi criado na Constituinte de 1988 por esforço pessoal do deputado federal José Wilson Siqueira Campos, um ex-mascate e seringueiro que migrou do sertão cearense para o Norte de Goiás e, ainda no tempo da Arena, na ditadura militar, iniciou uma campanha com greves de fome para desmembrar a região.
Tocantins não conseguiu transferir para a população parte da riqueza dos grãos que avançam sem percalços o cerrado e chapadas. 
Nas cidades do Estado, o porcentual de pessoas na pobreza e na indigência ultrapassa 60%. Inspirado na ideia do projeto de Brasília, Tocantins só pode ser comparada com o Distrito Federal na gastança de dinheiro público. 
Não acompanhou o avanço dos índices sociais do restante do Brasil, vive uma realidade semelhante à do vizinho Maranhão e cumpriu apenas o objetivo de sua instalação: servir de feudo para um grupo que gira em torno de Siqueira.
Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram um crescimento "chinês" na produção tocantinense da oleaginosa exportada em sua maior parte para o gigante asiático: a safra 2012/2013 terá um aumento de 21,2% na colheita, atingindo 1,68 milhão de toneladas.

Povo na miséria


O casal Raimunda Batista, 38 anos, e Pedro Gomes, 40, sai todas as manhãs para capinar nas fazendas ainda não tomadas pelas "moscas gigantes de aço" - as modernas colheitadeiras - que reviram a terra, plantam e colhem sem precisar de enxadas. 
No horário do almoço, Raimunda volta para ver os oito filhos que passam o dia nas redes encardidas da casa de palha, sem energia elétrica e água encanada. 

Ela e o marido criam os filhos com R$ 150 do trabalho mensal na lavoura e R$ 250 do programa de transferência de renda Bolsa Família.
"Tenho fé em Deus que venço essa batalha", diz Raimunda, enquanto as crianças comem arroz com um caldo de carne em potes de margarina. 
A família mora em Palmeirante, um dos 79 municípios criados no Tocantins desde que o antigo Norte de Goiás foi desmembrado na Constituinte de 1988. O centro do município, formado por casas de barro e palha, fica entre uma área de eucaliptos e um campo de soja.
Tocantins não pode se queixar de repasses de verbas federais nem de controle dos órgãos de Brasília na aplicação do dinheiro. O Estado foi o quinto que mais recebeu recursos no ano passado. 
Os fundos de participação dos municípios e dos Estados garantiram R$ 3.400 por habitante. É o dobro do valor recebido por Estados do Norte e Nordeste, como Pará e Pernambuco, que receberam R$ 1.500 cada. 
Na Constituinte de 1988, uma manobra política incluiu Tocantins na região Norte, o que garantiu ao Estado privilégio na distribuição de dinheiro da União. Mas não passa de 15.º no ranking nacional de qualidade de vida.

Transferências 


Neste ano, Tocantins, com um milhão e trezentos mil habitantes, recebeu R$ 241 milhões dos fundos de Participação dos Estados e Municípios. Piauí, com dois milhões a mais de moradores, recebeu R$ 229 milhões. 
Em Barra do Ouro, outro município criado após o desmembramento, a agricultora e comerciante Eriane Ribeiro de Oliveira, 56 anos, afirma que o dinheiro federal fica no ralo da burocracia e da corrupção.
"O governo manda dinheiro demais, mas não chega para quem precisa", diz. "Um dia apareceu um deputado aqui, disse que ia mandar um trator para ajudar nas plantações das pessoas necessitadas.
Eu falei para ele: 'Não precisa mandar, porque a máquina vai direto para a fazenda de quem não carece da ajuda'."
Em Palmeirante, o lavrador Santana Fonseca Chaves, 41 anos e aparência de uma pessoa de mais idade, diz que o dinheiro do Bolsa Família recebido pela mulher Maria José, 38, não é suficiente para manter os oito filhos na escola.
 "Antes (da criação do Tocantins) era tudo do jeito que está agora", afirma. "Às vezes aparece uma novidade, mas continua a mesma coisa", ressalta. Dois de seus filhos sofrem problemas mentais.

Batida entre carro e moto deixa uma pessoa morta em Campos Belos, neste domigo




O acidente ocorreu na tarde deste domingo (28), na GO-452, rodovia que liga Campos Belos ao distrito de Pouso Alto, nordeste de Goiás, a 600 km de Goiânia. 

Segundo a Polícia Militar de Goiás, o acidente, ocorrido próximo ao aeroporto de Campos Belos, envolveu uma parati e uma motocicleta, que se chocaram de frente.  

Ainda de acordo com a polícia, que chegou ao local minutos depois do acidente, o condutor da motocicleta morreu na hora e o motorista da parati foi socorrido por uma equipe do SAMU. 

A polícia civil foi acionada para fazer a perícia do local da ocorrência e os veículos foram apreendidos e levados para o pátio da Polícia Rodoviária Estadual, em São João da Aliança.

domingo, 28 de abril de 2013

Combinado (TO) faz mais uma ação em favor da água, nesta segunda-feira


Nesta segunda-feira (29), a comunidade estudantil da cidade de Combinado, sudeste do Tocantins, fará mais uma ação do "Projeto Gotas que Valem Ouro". 

Sob coordenação da professora e bióloga Iamara Váz, em parceria com uma equipe da FOZ/Saneatins, de Palmas, o projeto contará com um caminhão de teatro, que distribuirá brindes, panfletos e fará apresentações teatrais para conscientizar as pessoas quanto ao uso correto da água. 

A FOz/Saneatins é parceira de todas as ações do projeto idealizado pela bióloga Iamara Váz, que começaram no mês passado e vai até junho. 

O objetivo é conscientizar a comunidade de Combinado (TO), além, claro, de propiciar transformações culturais, através de métodos didáticos-educacionais junto ao alunos, tão eficientes, em prol da cidadania. 

Já publicamos: 

Cidade vizinha de Novo Alegre (TO) sofre com a falta de água e escassez de mananciais 

Preocupado com a possibilidade de seca do córrego Ribeirão Alegre, principal poço de abastecimento de água do município, o prefeito de Novo Alegre, Wilson Souza e Silva (PSD), busca junto aos demais entes governamentais soluções para o problema que vêm incomodando também a população da pequena cidade do sudeste tocantinense. Leia mais 

sábado, 27 de abril de 2013

Jovem de Monte Alegre dá lição ao Brasil, com humildade e perseverança


Com o dinheiro que ganhou limpando sapatos de profissionais como juízes, desembargadores e advogados, o engraxate Joaquim Pereira, de 24 anos, acaba de se formar em direito em uma instituição particular de Goiânia.

Mesmo com o diploma em mãos, ele não abandonou o ofício que aprendeu quando era criança e que lhe rende cerca de R$ 2 mil por mês. Leia no Portal Globo G1 e assista ao seu impressionante depoimento. Esse cabra vai longe. 

GO-447, entre Divinópolis e Monte Alegre não tem previsão de asfalto


Os moradores de Divinópolis, Prata e Monte Alegre, na região nordeste de Goiás, ainda vão continuar esperando pelo velho sonho da pavimentação da GO-477. 

É que, segundo informações da Agetop, a GO-447 que liga o município de Divinópolis de Goiás ao trevo da GO-118, passando pelo povoado do Prata, em Monte Alegre, ainda aguarda projeto e não tem previsão de início. 

Se forem priorizadas, passadas as questões de projeto e licitação, existe possibilidade de as obras serem iniciadas ainda em 2013, segundo a Agetop. 

Pelos visto, se as comunidades mão pressionarem Goiânia, ficarão por mais longos anos a espera da obra. 

A sugestão é a de sempre: pressão sobre as autoridades que nas eleições passam por aí pedindo votos. 

Com informações de Roberto Naborfazan

sexta-feira, 26 de abril de 2013

MbAC Fertilizantes diz que "Gruta da Lapa Bom Jesus" não será afetada




" Área está fora de qualquer zona de risco em relação às atividades da companhia" 
Segundo a MbAC Fertilizantes, a Gruta da Lapa Bom Jesus, um dos principais pontos turísticos dos municípios de Arraias (TO) e Campos Belos (GO), foi pauta dos quatro encontros realizados recentemente com as comunidades das duas cidades. 

De acordo com a empresa de mineração, que tem um projeto de implantação de uma grande fábrica de extração de fosfato na região, no início de abril, cerca de 250 pessoas participaram das reuniões comunitárias, que tiveram como objetivo tirar dúvidas sobre as atividades ambientais da empresa.

“Procuramos informar aos moradores sobre um dos temas recorrentes na região, com relação à Gruta da Lapa Bom Jesus. Reunimos a população para detalhar nossas ações neste sentido”, diz  Waldemir Queiroz, diretor de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Comunidades – SSMAC. 

Segundo Waldemir Queiroz, a empresa está devidamente licenciada pelos órgãos ambientais responsáveis para exercer suas atividades na região. "Além disso, constantes análises mostram que não há nenhuma possibilidade de interferência do projeto Itafós Arraias SSP na área da gruta”, assegura.

Ainda de acordo com o diretor, representantes da MbAC Fertilizantes conversaram abertamente com a população e explicaram que as ações da companhia ocorrem com um distanciamento superior ao exigido pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), que é de 250 metros, operando a uma margem de segurança entre 700 e 1.250 metros. 

“Nosso compromisso é levar informação direta, nos aproximando cada vez mais de todos os envolvidos no empreendimento”, informa.

Para o professor e vereador de Arrais, Wesley Siqueira Braga, reunião atingiu o objetivo proposto. “Pude esclarecer, ouvir e compreender o que propõem para a nossa cidade. Gosto desta iniciativa, isso mostra o quanto a MbAC Fertilizantes é transparente”, explica Wesley.

As reuniões comunitárias, promovidas pelas  MbAC Fertilizantes, acontecem semestralmente. A comunidade pode também entrar em contato direto no Centro de Referência, localizado na Praça Doutor João de Abreu, 9, no centro, ou pelo telefone 0800 648-1621.

A Gruta da Lapa
As imponentes serras de Arraias guardam surpresas no ventre da terra. Uma dessas curiosidades é a Gruta da Lapa - um complexo de quatro grandes salões, medindo aproximadamente 40 metros de comprimento por 20 metros de altura. 

As formações de estalactites e estalagmites lembram figuras humanas e de animais. A caverna tem labirintos e pequenas piscinas de águas transparentes. É totalmente escura e há sinais de fraturas no piso do segundo salão, onde há um córrego subterrâneo.

Todo esse cenário não pode ser visitado sem guias e equipamentos apropriados. Segundo o geólogo Venes Teixeira, é preciso definir e marcar as trilhas. 

Outros cuidados imprescindíveis são o porte de lanternas para cada visitante e uso de máscaras especiais para evitar inalação de fezes de morcegos. O atrativo fica na Fazenda Furnas, a 22 quilômetros da cidade de Arraias.

Com informações do site "Viva Arraias"

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Ex-prefeito de Campos Belos, Fernando Terra, deixa UTI e passa bem




Por Roberto Naborfazan,
A reportagem de O VETOR falou ao telefone com o ex-prefeito do município de Campos Belos, Fernando Júlio Terra, que está internado desde a noite de Domingo, 21, no hospital Santa Genoveva, Goiânia.

"Seo" Fernando diz que, Graças a Deus e ao rápido atendimento médico, está muito bem. 

Ele passou agora a tarde por um exame de eletrocardiograma e aguarda o resultado. "Deixei a UTI, já estou em um apartamento, acompanhado de familiares. 

Aproveito para agradecer ao jornalista Roberto Naborfazan pela divulgação desse incidente e, também, as centenas de pessoas que me ligaram de várias partes do Brasil e até do exterior. 

As preces que foram feitas em nossa intenção foram bem recebidas e já estou bem" disse o ex-prefeito.


Susto

O ex-prefeito de Campos Belos de Goiás, Fernando Júlio Terra (PMDB), sentiu fortes dores no peito, no inicio da noite de domingo,21, quando estava em sua casa no setor Crimeia Oeste, em Goiânia.

Rapidamente encaminhado ao Hospital Santa Genoveva, "Seo" Fernando, como é conhecido, passou por exames, e foi feita indicação de cateterismo.

O ex-prefeito, que está prestes a completar 78 anos, já tem quatro pontes de safena e duas mamárias.

Fonte: O Vetor

Audiência pública em Cavalcante (GO) discute hoje criação do Parque Estadual Rio São Felix


Hoje, de 14 às 18h, na Câmara de Vereadores de Cavalcante de Goiás, ocorrerá a audiência pública com a comunidade.

O objetivo é discutir a criação do Parque Estadual Rio São Félix, em estudo para ser criado na área do município de Cavalcante. 

Ontem, quem foi ouvida foi a população de Monte Alegre de Goiás, que também poderá receber um parque estadual.  No município poderá ser criado  o Parque Estadual Serra da Prata.  

No Próximo dia 26, será a vez da comunidade de Alto Paraíso de Goiás. Na chapada dos veadores, nos municípios de Alto Paraíso e Nova Roma, será criado o Parque Estadual São Bartolomeu. 

É importante a população das cidades participarem ativamente das discussões, pois são diretamente interessadas. De um lado  a notícia é muito boa, pois o parque vai proteger o cerrado restante, com sua fauna e flora. 

Por outro, donos de propriedades poderão perder direitos, pois com a criação de parques, a área passa a ser propriedade da administração pública.  

Assim, é essencial que a comunidade se envolva ativamente no processo. 

Saiba Mais


Abrangência original do cerrado brasileiro 

O governo de Goiás inicia na próxima terça-feira (23) uma série consultas públicas para discutir a criação de três novos parques em áreas do Cerrado, no nordeste de Goiás: São Bartolomeu, Serra da Prata e Rio São Félix. 

As audiências serão realizadas pela Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Estado de Goiás (Semarh), com a assessoria da Fundação Pró-Natureza (Funatura), nos municípios goianos de Nova Roma, Alto Paraíso, Monte Alegre e Cavalcante.


As propostas foram elaboradas pelo governo levando em conta o estudo de Áreas Prioritárias para a Conservação no Estado de Goiás, elaborado WWF-Brasil e parceiros, em 2004.  


Financiado pelo Banco Mundial, o projeto forneceu subsídios técnicos para que o estado possa cumprir o seu compromisso com o Banco de duplicar a sua área em unidades de conservação de maneira eficiente e representativa. 

A análise identificou 40 regiões prioritárias para a criação de novas unidades.

 “A conservação de remanescentes naturais e de alvos específicos é fundamental para a manutenção de biomas tão ameaçados como o Cerrado. 


Por isso, a iniciativa de Goiás é muito positiva, pois irá proporcionar um aumento das áreas protegidas no Cerrado”, destaca a secretária-geral do WWF-Brasil, Maria Cecília Wey de Brito.

Além disso, de acordo com ela, irá contribuir para que o Governo brasileiro alcance as suas metas de conservação de parcelas representativas de todos os biomas do país. 


“Metas essas que foram estabelecidas de acordo com os compromissos firmados pelo Brasil na Convenção sobre Biodiversidade Biológica, das Nações Unidas”, destaca.

Considerado a “caixa d´água do Brasil” - pelo fato de abastecer grandes aquíferos e bacias hidrográficas do país - o Cerrado conta com apenas 3% de sua área protegida por Unidades de Conservação (UCs). 


O bioma já perdeu metade de sua vegetação natural e o restante está muito fragmentado, tendo 40% de sua área ocupada pela agropecuária.

Segundo informações da Funatura, essa região no nordeste de Goiás onde os parques estão sendo propostos abriga os maiores remanescentes naturais de várias formações únicas do Cerrado, algumas entre as mais ameaçadas de desaparecimento da natureza. 


O conjunto dos  três parques abrange desde os campos rupestres de altitude, cerrados, cerradões e a mata seca do vale do rio Paranã.

Todos esses ecossistemas possuem espécies únicas, que só existem ali, algumas ainda sendo descritas pela Ciência. 


Nessa região também estão as cabeceiras de rios que formam a bacia do rio Tocantins, cujas águas abastecem as cidades e são utilizadas nas atividades agropecuárias.

O Cerrado precisa muito dessas áreas para manter a sua biodiversidade e continuar nos oferecendo serviços ecológicos essenciais, como a água”, destaca.  

    

Espetáculo "Memórias de um Quilombo" estará em Cavalcante (GO)


O espetáculo Memórias de um Quilombo será encenado em Cavalcante de Goiás, a 300 km de Brasília, nos próximos dias 4 (sábado) e 5 de maio (domingo). 

A peça será encenada na praça Diego Teles, às 17h, com direção de Edymara Diniz. 

O espetáculo Memórias de um Quilombo é resultado de um projeto de pesquisa de mestrado do Programa de Pós Graduação em Arte da Universidade de Brasília – PPG-Arte/UnB na linha de pesquisa Processos Composicionais para a Cena realizada por Edymara Diniz Costa sob a orientação da professora Dra. Roberta Kumasaka Matsumoto. 

O objetivo é sistematizar uma metodologia de ensino do teatro visando a apreensão corpórea; a (re)significação de conceitos; o fortalecimento e a (re)apropriação da cultura local pelos jovens quilombolas da comunidade Kalunga. 

A montagem foi uma criação em processo colaborativo com os sujeitos atores envolvidos na pesquisa que também resultou na criação na cidade de Cavalcante Goiás do grupo de teatro Guardiões da Memória. 

Danças, cantigas, relatos da cultura local Kalunga e obras como Entramas: A história do beija flor coroado, de Paula Vilas, Ana Cristina e Ana Terra, foram inspirações para a criação do cortejo teatral do império Kalunga e das cenas que retratam fragmentos de memórias sobre a criação do quilombo, suas lutas contra a discriminação racial, seus projetos de identidade e suas festas.

Fonte: Nossa Agenda

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Vice-governador de Goiás abandona o DEM


Recebi ainda a pouco um e-mail da assessoria de imprensa do vice-governador de Goiás, José Eliton Júnior, que comunica o seu afastamento do partido Democratas (DEM). 

O vice-governador ainda não informou o seu novo partido, mas possivelmente deverá ser o PP.

Leiam a íntegra do e-mail: 

"O vice-governador José Eliton de Figuerêdo Júnior informa o seu desligamento do Democratas. Segundo ele, tornou-se insustentável sua permanência no partido em face dos acontecimentos públicos e notórios referentes a sua presença no Democratas. 

Os atos burocráticos para o aperfeiçoamento da desfiliação estão a cargo dos advogados."

Assessoria de Imprensa






Fomos recebidos na última segunda-feira no Senado Federal

Senador Pedro Taques (PDT-MT)

Ministra Maria Elizabeth, do STM

Na última segunda-feira (22), fomos recebidos no Congresso Nacional pelo senador Pedro Taques (PDT-MT), relator no novo código penal brasileiro. Na ocasião, acompanhamos os ministros do Superior Tribunal Militar em visita àquela Casa Legislativa. Leia Mais


Ministro Felix Fischer, do STJ

TCU e STJ

Este mês também fomos recebidos pelo Presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer, e  pelo Presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, em visita às duas Cortes. Veja Mais  

Estudantes de Combinado (TO) dão um banho de cidadania




A comunidade estudantil da cidade de Combinado, sudeste do Tocantins, deu  recentemente um banho cidadania. 

Centenas de estudantes, principalmente do ensino fundamental, participaram de diversas atividades ecológicas para marcar o Dia Mundial da Água, numa ação chama de "Projeto Gotas que Valem Ouro".

O projeto foi coordenado pela professora e bióloga Iamara Váz, da Escola Estadual Combinado. O principal evento foi uma caminha ecológica pelas ruas da cidade, com o objetivo de conscientizar a comunidade quanto ao uso racional da água.  


A professora, por sinal, é uma das mais atuantes defensoras e vozes da comunidade em questões ambientais. A educadora possui um blog na internet e publica as ações ambientais promovida com seus alunos. 

Recentemente, ela e diversos estudantes promoveram uma "Blitz da Conscientização" pelas ruas do município, distribuindo kits de orientação quanto de uso consciente da água. 

Diversas autoridades municipais também participaram do evento, que teve inclusive uma ação de plantio de mudas de árvores, em um dia muito rico e marcante para as crianças e adolescentes.

A culminância do projeto foi a apresentação cultural na escola, sob coordenação da professora Heloinna Maria






Câmara de Campos Belos presta conta dos 100 dias da nova legislatura



Por Ailton Pereira,

A nova composição da Câmara Municipal de Campos Belos conta com 11 vereadores, dois a mais do que na última legislatura. Desse total, apenas dois foram reeleitos em outubro de 2012 e nove são novatos. 

A primeira medida da Mesa Diretora apoiada por todos os vereadores foi a mudança de horário das sessões ordinárias, antes realizadas pela manhã, agora à noite. 

O intuito, segundo o presidente Márcio Valente, é que os cidadão possam participar e acompanhar os trabalhos da Casa.

No final fevereiro uma equipe de vereadores e servidores juntou-se à comitiva do Ministério Público, representado pelo Promotor Douglas Chegury, para verificar “in loco” a catástrofe ecológica que aconteceu na Serra Geral. 

Na acidente, a força das águas vinda das lavouras do lado da Bahia, abriu uma cratera de mais de 20 metros de profundidade, arrastando tudo para dentro do leito do Rio Mosquito, próximo a sua nascente. 

Da operação, resultou-se a abertura de inquérito civil público promovido pelo Ministério Público, para apurar os fatos, os responsáveis e as consequências.  

A Câmara, de acordo com presidente, vai criar uma Comissão Permanente do Meio Ambiente para acompanhar os assuntos ambientais pertinentes.

Na nova sede do Poder Legislativo, ainda faltam algumas adequações para melhor atendimento ao cidadão, como as instalações dos gabinetes dos vereadores. 

Entretanto, o ambiente já está mais aconchegante com a instalação dos aparelhos de ar condicionado e com a aquisição de alguns móveis, como mesas, cadeiras, armários e computadores.

Economia com celulares e Projetos de Lei 

A nova gestão, segundo Valente, tem feito muita economia diante da pouca receita, dentre elas a suspensão do crédito de celulares para vereadores e até o momento, também, não houve gasto com diárias. 

"Tudo isto está sendo visto como positivo esperando que continue na mesma linha", afirma.

O inicio das sessões ordinárias foi marcado pela apresentação de dez Projetos de Leis do Poder Executivo, nove já aprovados. 

Destaque para o Projeto de Lei nº 007/2013, que solicita prorrogação do prazo para a cobrança de tributos em agências bancárias e o de nº 006/2013, que parcela os débitos do município junto ao fundo previdenciário PREVCAMPOS. 

Dentre os do Poder Legislativo, é de relevo o nº 001/2013, que fixou a data base e o índice para revisão geral da remuneração dos servidores, bem como o nº 003/2013, que regulamentou os cargos efetivos e comissionados da Casa.

Outras proposituras são as indicações legislativas ao prefeito municipal indicando obras e serviços, bem como os requerimentos, solicitando informações, cópias de documentos, convocação de secretários a prestar esclarecimentos aos vereadores sobre as atividades de suas respectivas pastas.

Polêmicas 

Os cem dias também foram marcados por polêmicas. 

Entre elas, a negativa do presidente em ceder o auditório da Câmara para receber o vice-governador e sua comitiva, o que gerou um desconforto para a administração local. 

O episódio levou o líder do prefeito a pedir sua renuncia da 1ª Secretaria da Mesa Diretora. "Tudo isto porque o presidente gostaria que fosse aberto um espaço para os vereadores usarem da tribuna, o que foi negado pela chefia do gabinete da vice-governadoria", diz Márcio Valente. 

Outro assunto que gerou grande polemica foi a participação do presidente no programa “cidade em foco” da radio atividade FM. "Nós falamos dos gastos do prefeito, inclusive com diárias excessivas e outros pagamentos efetuados no mês de janeiro/2013". 

Apesar das polêmicas, o presidente Márcio Valente considera positivo os cem dias. "A Câmara cresceu e ganhou credibilidade junto a população. São 11 parlamentares e isso fortalece a democracia e amplia bastante o debate. O nosso conceito é de uma Câmara democrática, onde haja espaço para discutir ideias e a participação da sociedade. É liberdade de expressão dos parlamentares, independente da situação ou oposição, além de ser a casa da população", afirmou.