quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Final de semana violento em Campos Belos. Em um dos homicídios, homem foi morto a foiçada



Neste feriado de carnaval estive em Campos Belos. 

E de tanto falar que a cidade está cada vez mais violenta, tive o desprazer de logo encontrar um "rabecão" (como são conhecidos os veículos do IML) rondando a cidade.

Apesar de não ter tido festa de carnaval, onde são maiores as possibilidades de confusão, as mortes violentas na cidade não deixaram de ocorrer. 

O primeiro assassinato ocorreu no setor Bem-Bom, bairro próximo ao centro de Campos Belos. 

Um homem teria sido morto a facadas na noite do domingo de carnaval,  em um bar, próximo ao cemitério. 

O motivo foi banal e teria envolvido bebedeira e discussão por mulher.  

Um agente da delegacia de polícia confirmou a morte, mas não quis dar detalhes sobre a identidade do homem assassinado. 

O outro crime teria sido mais violento ainda. Segundo relato de uma testemunha, um rapaz foi morto por outro homem a golpes de foice.  

Ele teria sido acertado com vários golpes no pescoço e no peitoral. 

E pior, uma criança de doze anos teria presenciado toda a cena dantesca, que de tão brutal é capaz de repugnar e de horrorizar até pessoas acostumadas com barbáries. 

O crime teria ocorrido do outro lado do morro, próximo ao setor Brejinho.  

Ainda de acordo com a testemunha, o corpo do jovem foi levado para o distrito de Pouso Alto, local de origem da vítima. 

Se confirmadas as duas mortes neste feriado de carnaval, sobe para cinco o número de pessoas assassinadas em Campos Belos, em poucos mais de 45 dias deste ano de 2013. 


O primeiro assassinato do ano ocorreu logo no dia 6 de janeiro. O trabalhador Danilo Fernandes de França, 27 anos, foi morto no Balneário Rio Bezerra, localizado a 7 km da cidade.

Ele foi morto a golpes de garrafa estilhaçada, durante um briga dentro do bar. 

Na última quinzena de janeiro, mais duas pessoas foram assassinadas no município.   

Os homicídios ocorreram no mesmo fim de semana. Os dois homens foram mortos a facadas, em dois bairros distintos.

Um deles, um funcionário de uma mineradora, foi esfaqueado quando tentava conter um homem que agredia a companheira.  

O homicídio foi praticado no setor industrial, próximo à empresa de telhas Cerâmica Campos Belos.  

O outro assassinato também tem característica de passionalidade. Um jovem matou um outro rapaz por, segundos testemunhas, estar “mexendo” com a mulher dele.

O crime aconteceu do “outro lado do morro”, próximo ao setor Brejinho.


Acidente de automóvel  

Um acidente de carro,  envolvendo dois veículos na rodovia GO-118, próximo ao "Posto Asa Branca", também foi registrado neste feriado de carnaval em Campos Belos.

Um comerciante do ramo de beneficiamento de grãos vinha com sua família de uma fazenda próxima, quando teve o seu veículo atingido por um outro automóvel, que se movimentava no sentido Brasília. 

Com a colisão, o carro com a família do comerciante (esposa e filhos) foi arremessado para fora da pista. Graças aos cintos de segurança, todos tiveram apenas escoriações leve e não correm o risco de morte. 

Já os ocupantes do outro veículo, que segundo testemunhas teria sido o causador da batida, foram encaminhados a hospitais de Brasília e inspira cuidados.  

Ainda de acordo com relatos, garrafas de bebidas teriam sido encontradas neste último ao automóvel, que transportava três homens. 

Se algum leitor tiver mais informações sobre os casos relatados e desejar colaborar, ficaremos agradecidos com os novos dados. 


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Goiás Feminino: ajude a indicar as mulheres importantes do estado


75 Mulheres de Referência

Goiás no feminino


Como parte das comemorações dos 75 anos do POPULAR e dos 80 de Goiânia, promoção 75 Mulheres de Referência presta homenagem às mulheres de destaque do Estado. 

O leitor ajudará a escolher os nomes.  O campos-belense e oficial da polícia militar de Goiás, Giovanni Valente, já indicou três nomes:  as professoras Alaídes Cardoso Valente (Escola Professora Antusa em Campos Belos), Marta Maria Cançado Nogueira (Colégio Carlos Chagas, Alfa Beta, Marista e PUC em Goiânia) e Mônica Cançado Nogueira Valente (Giz de Cor e InterAmérica em Goiânia).

Seria interessante cada cidade do nordeste goiano e sudeste do Tocantins (que já foi Goiás e teve muitas pessoas importantes em prol do estado) indicar nomes para a lista. 

É hora do nordeste goiano apresentar os valores de sua terra. Estou estudando uma relação de mulheres importantes de Campos Belos, para depois apresentar os meus nomes. 

Não pode ser indicada pessoas falecidas. 

Quem se lembrar de algum nome e que queira indicar, podemos fazer uma lista pública e promover uma campanha. 



Quem desejar indicar os nomes diretamente ao jornal, basta mandar um e-mail para o endereço abaixo. 

Renato Queiroz
23 de janeiro de 2013 (quarta-feira)

A partir de hoje, os leitores do POPULAR poderão ajudar a eleger as 75 Mulheres de Referência do Estado. A promoção faz parte das comemorações dos 75 anos do jornal e dos 80 de Goiânia. 


Para celebrar as duas datas, O POPULAR publica uma série de reportagens especiais e promove eventos e atividades comemorativas que seguem até dezembro de 2013. A lista das 75 escolhidas será conhecida em reportagem especial publicada no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

O objetivo da promoção é homenagear mulheres que são referência na sociedade goiana em diversas áreas do conhecimento. Podem ser indicadas mulheres que atuam na política, economia, artes, cultura, meio ambiente, terceiro setor, educação, saúde, entre outras. 

Serão escolhidas para compor a lista, personalidades que contribuem para o desenvolvimento do Estado, mulheres de fibra capazes de influenciar o rumo e o progresso de Goiás.

Na primeira fase da votação, os leitores poderão sugerir suas indicadas pelo e-mail mulheresdereferencia@ojc.com.br

Podem ser indicadas mulheres de todas as áreas, mas para cumprir o objetivo da promoção – que é refletir um retrato atual da sociedade goiana – é vedada a indicação de nomes de pessoas já falecidas. 

Cada leitor pode indicar quantos nomes desejar, mas não pode votar mais de uma vez no mesmo nome. As 75 mulheres com o maior número de indicações formarão a lista do leitor.

Outras duas listas serão formadas a partir de votos da Redação do POPULAR e de um júri formado por seis profissionais e personalidades convidadas pelo jornal. A lista final com 75 Mulheres de Referência será formada a partir da ponderação entre as indicações das três listas. 

As indicações do leitor terão peso de 20%; as da Redação, 30% e as dos convidados, 50%. O prazo para a votação é até o dia 20 de fevereiro.

VISIBILIDADE

Nos seus 75 anos de história, O POPULAR acompanhou e registrou de perto a evolução e as conquistas das mulheres goianas. 

O manto da invisibilidade pairou durante muitos séculos sobre o papel, o significado e a importância das mulheres na história. 

O projeto 75 Mulheres de Referência pretende dar mais visibilidade para aquelas que trabalham cotidianamente para tornar o Estado, o País e o mundo um lugar melhor para se viver. 

É também uma forma de reconhecer os esforços femininos em suas áreas de atuação.

As últimas décadas registraram um avanço extraordinário na direção da igualdade de direitos entre os gêneros – basta lembrar que, durante a elaboração da Constituição de 1988, mulheres sequer tinham um banheiro feminino nas dependências do plenário da Câmara dos Deputados. 

Hoje uma mulher ocupa a Presidência da República. 

Mas ainda há muito o que avançar. Especialistas em gênero concordam que o reconhecimento da presença feminina em lugares de destaque na sociedade se tornou uma questão de justiça e equidade.

Regras da seleção

23 de janeiro de 2013 (quarta-feira)
■ A campanha para seleção de 75 Mulheres de Referência é uma promoção do jornal O POPULAR como parte da programação comemorativa dos 75 anos do jornal, em 3 de abril, e dos 80 anos de Goiânia, em 24 de outubro. 

A lista será publicada no Dia Internacional da Mulher, em 8 de março. 

O objetivo é homenagear mulheres que são referência na sociedade goiana, em diversas áreas do conhecimento (política, economia, artes, cultura, meio ambiente, terceiro setor, educação, saúde, etc.)que contribuem para o desenvolvimento do Estado. Mulheres capazes de influenciar o rumo e o progresso de Goiás.

■ Para cumprir o objetivo de fazer um retrato da sociedade atual, é vedada a indicação de nomes de pessoas já falecidas à homenagem.

■ A seleção de 75 mulheres que serão homenageadas no especial no dia 8 de março será feita a partir do cruzamento de três listas de mulheres indicadas: uma de convidados do POPULAR, uma dos jornalistas da Redação e a terceira dos leitores.

■ A lista do leitor será elaborada por meio de indicações no site do jornal O POPULAR. 

O leitor deve indicar, pelo e-mail mulheresdereferencia@ojc.com.br , nomes de mulheres que considere destaques e que merecem estar na lista, levando em consideração os critérios estabelecidos no primeiro parágrafo deste regulamento. 

Cada leitor pode votar em quantos nomes desejar, mas não pode votar mais de uma vez no mesmo nome. 

As 75 mulheres com o maior número de indicações formarão a lista do leitor.

■ A redação do POPULAR vai elaborar uma lista com 75 nomes que serão escolhidos por repórteres e editores em todas as áreas de cobertura jornalística.

■ A terceira lista de 75 nomes será elaborada a partir da indicação de seis convidados do jornal, profissionais e personalidades de referência na sociedade.

■ O POPULAR garante o sigilo das indicações feitas por leitores, jornalistas e convidados. Serão divulgados apenas os 75 nomes da lista final.

■ A lista final com as 75 Mulheres de Referência será formada a partir da ponderação entre as indicações das três listas. As indicações do leitor terão peso de 20%; as da Redação, 30% e as dos convidados, 50%.

■ A participação nesta ação implica a aceitação das regras do regulamento.
■ A comissão organizadora desta ação é soberana para avaliar e decidir sobre os casos omissos no regulamento.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Força tarefa de autoridades vai à Serra Geral verificar acidente ecológico. Promotor Douglas Cheguby liderou a comitiva




Mal assumiu a promotoria da Comarca de Campos Belos, o promotor Douglas Chegury já mostrou serviço. 

Ele liderou uma comitiva de autoridades municipais em visita ao distrito de Pouso Alto, local onde ocorreu um acidente ambiental sem precedentes na região. 

Em 23 de janeiro passado, toneladas de milhões de terra, lama e pedra desceram da Serra Geral, tríplice divisa entre Goiás, Bahia e Tocantins. 

A enxurrada de lama atingiu as proximidades da nascente do rio mosquito, um dos mais importantes do nordeste de Goiás e sudeste de Tocantins. 

O vice-prefeito de Campos Belos, José Cândido, o presidente da Câmara de Vereadores, Márcio Valente, parlamentares do município e outras pessoas ligadas ao meio-ambiente acompanharam o promotor na visita. 

No local, puderam verificar o estrago feito pelo desastre ambiental e as possíveis consequências, principalmente para a bacia hidrográfica do rio mosquito. 

Em seguida, as autoridades deram a volta e foram ao estado da Bahia conhecer a origem da tragédia. 

De fato, como relata um integrante da comitiva, a principal causa do deslizamento foi em virtude de um desvio de um curso de água, feito por um fazendeiro, já nas plantações do oeste baiano, no platô da Serra Geral.

Ainda segundo a fonte,  o promotor  Douglas Chegury prometeu acionar imediatamente autoridades estaduais da Bahia e de Goiás, além do Ministério Público baiano. 

E parece que a intervenção do promotor já surtiu efeito. No sábado passado, três fiscais do IBAMA se deslocaram até Campos Belos para averiguar, in locu,  as causas, consequências e extensão do acidente ecológico. 

O acidente também repercute no nordeste do estado. Hoje pela manhã, o promotor deu uma entrevista a uma rádio de Alto Paraíso de Goiás e teceu muitos comentários a respeito do acidente em Pouso Alto.

Infelizmente, o estrago feito pela lama que desceu a Serra Geral não recebeu a devida atenção dos órgãos de imprensa de Goiânia e tão pouco das autoridades estaduais. 

Como se vê, o nordeste goiano ainda continua não tendo nenhuma importância na capital de Goiás. 


Nascente do Rio Mosquito foi atingido pelo lamaçal 

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Douglas Chegury assume promotoria de Campos Belos




O promotor de Justiça Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, de  São de Domingos de Goiás, agora responde pela promotoria de Campos Belos  e Iaciara.

O promotor foi homenageado recentemente em Iaciara. Ele recebeu o título de cidadão iaciarense em razão dos relevantes serviços prestados à população e ao município.

A condecoração ocorreu durante a solenidade de inauguração do novo Fórum de Iaciara, ocorrida no dia 25 de janeiro. 

O promotor tem a fama de durão e particularmente não tolera ações e agressões contra o meio-ambiente. Ele liderou, no ano passado, uma cruzada contra as carvoarias e autores de desmatamentos ilegais no nordeste goiano. 

Ainda no ano passado, em março, Douglas Chegury foi alvo de uma tentativa de assalto, que, num primeiro momento, foi investigado como atentado em virtude de sua atuação firme na região.   

Em seu discurso, ao receber a condecoração em Iaciara, Douglas Chegury destacou que a inauguração da nova sede era motivo de celebração, mas também um momento de reflexão, tendo em vista que a Região Nordeste do Estado passou por séculos de exploração. 

Ele ponderou que ainda são necessárias melhorias na estrutura da Justiça na cidade, já que ainda não há um juiz titular na comarca, o que acaba sobrecarregando os substitutos.

Em Campos Belos, o promotor já está atuando, mas continua respondendo por São Domingos de Goiás. Ele substitui o promotor André Luiz, que está de férias. 

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Estou em Campos Belos e muito triste com este asfalto

Chegamos em Campos Belos na manhã deste sábado e passamos momentos  apertados nesta GO-118. Principalmente  no trecho entre Teresina de Goiás e Campos Belos.

Apesar de terem feito uma espécie de operação tapa-buraco, a pista continua muito perigosa, esburacada, deteriorada e um tormento para seus  usuários.

Também fiquei surpreso com o dito recapeamento urbano feito pelo governo estadual em Campos Belos.

Um pouca vergonha. Gastaram o dinheiro público a toque-de-caixa antes das eleições e fizeram um serviço de qualidade extremamente duvidosa.

Mas tenho certeza absoluta que nas contas com o governo, a empresa contratada cobrou sua fatura como se a obra se fosse um servição de primeira linha.

É meu povo, cada vez mais tentam nos ludibriar com o nosso próprio dinheiro. Até quando?!

Deslizamento na Serra Geral: especialista tranquiliza comunidades



Deslizamento de terra na Serra Geral, município de Aurora do Tocantins. 

Mesmo com algumas notícias relatando a gravidade do fato, devo informar que foi apenas mais um evento natural muito comum em formações geológicas com essas características. 

Essa formação geológica é composta principalmente de Arenito do Grupo Urucuia, que permite uma grande infiltração de água e o desgaste rápidos das rochas. 

Assim, a sustentação superficial do solo jovem fica comprometida naturalmente, podendo ocorrer eventos semelhantes constantemente. 

O deslizamento ocorreu em frente a Comunidade Pau Grande, 15 km após o Povoado de Pouso Alto, e teve danos (mudanças) apenas ao ambiente local, não interferindo de maneira significativa no cotidiano das pessoas que habitam a jusante do deslizamento. 

Quanto à informação que o evento poderia potencializar a contaminação do rio Mosquito com agrotóxicos oriundos das lavouras do Oeste da Bahia, é uma hipótese remota para não falar impossível, pois o curso d'água continua o mesmo, apenas com uma quantidade maior de sedimentos. 

Se fato semelhante vier a ocorrer, não será em razão do deslizamento, informa o Engenheiro Agrônomo Jhonathan Carvalho da AGRODEFESA de Campos Belos. Juntos visitamos o local do evento em 07/02, para certificar das mudanças causadas ao ambiente local. 

Portanto estejam todos tranquilos, pois o maior problema causado pelo deslizamento foi a suspensão temporária do abastecimento de água no Povoado de Pouso Alto, em função da quantidade de sedimentos carreados pela Rio Mosquito. 

Quanto a área atingida (cerca de 15 hectares), a própria natureza se encarregará de recompor a vegetação. 

Em relação a mudança no leito do rio Mosquito, cerca de 200 metros, não significa nada na sequência de seu curso. 

E não há nada que possa ser feito pelo Serviço Público pois o evento ocorreu num local de difícil acesso e não tem qualquer ligação com a atividade agrícola no Estado da Bahia. 

Como já citamos anteriormente esse foi mais um evento Geológico muito comum na região, claro em maior proporção, mas que pode ocorrer com frequência nessa região, inclusive em proporções maiores... 

VALMIR "CRISPIM" SANTOS

Geografo e Agente de Fiscalização Agropecuária.
AGRODEFESA/Campos Belos - GO.

Ônibus da São José quebra mais duas vezes e paciente perde médico



Por Jefferson Victor,
MOVIMENTO FORA SÃO JOSÉ – Ônibus da empresa quebra duas vezes entre Taguatinga –TO e Goiânia no dia 06/02/2013.


Um dos dois únicos ônibus adquiridos recentemente pela São José do Tocantins, quebrou  entre Novo Alegre e Campos Belos. 

Após mais de três horas de atraso, o ônibus saiu por volta de meia-noite rumo a Goiânia.


Ao amanhecer do dia, já entre Brasília e Goiânia, houve uma nova quebra, o que exigiu que um outro veículo viesse em socorro.


De acordo com declarações de passageiros, o ônibus substituto era uma verdadeira sucata, desprovido de tudo.


A chegada em Goiânia ocorreu por volta do meio-dia, o que causou indignação em todos os seus ocupantes.


Uma senhora que havia feito uma cirurgia em Goiânia, tinha conseguido marcar a revisão, com um mês de antecedência, devido à falta de vagas nos hospitais públicos. 

Sua consulta estava marcada para as dez horas e como chegou às doze, teve que voltar sem fazer o devido tratamento.


A paciente está indignada com a empresa, pois além do dinheiro e tempo perdidos, está precisando que parentes tentem marcar uma nova consulta, sabe-se lá pra quando.


Outra senhora, comerciante próxima ao Banco do Brasil de Campos Belos, está extremamente aborrecida com a São José. Ela tinha compromissos em Goiânia e também já havia comprado a passagem de volta com antecedência, e como ela narrou, resolveu as coisas pela metade.


De acordo com uma outra passageira, vários ocupantes disseram que iriam ligar para os órgãos competentes para reclamar da empresa. Pobres inocentes... Não adianta. Reclamar para a ANTT  e AGR, isso é como falar mal da raposa para as galinhas.


À medida que intensificamos o movimento, é grande o número de pessoas que compartilham, curtem e passam informações sobre o descaso da São José.


O ônibus extra que saiu de Goiânia para Campos Belos no último dia 7 de fevereiro, era segundo passageiros, uma sucata sem ar condicionado, bancos quebrados, vidros enterrados e o pior, a porta do imundo banheiro não travava, sendo preciso que passageiros a  segurassem enquanto o outro usasse.


Vejam só que constrangimento se tem que passar com essa empresa. Isso já está tomando rumando ao descontrole. Parece que querem mesmo mostrar que eles é que mandam e temos que obedecer.  Estão nos desafiando e nós vamos topar esse desafio!


Eles têm dinheiro e nós temos a justiça a nosso favor. 

Temos certeza que o Ministério Público que já foi acionado e vai tomar medidas duras contra esses insensatos administradores que enriquecem a custa do povo humilde da região e não se importam com o sofrimento dos outros.


As informações que nos chegam, dão conta que a São José está tranquila, seus advogados vão comparecer ao Ministério Público munidos de documentos emitidos pela ANTT.

Portanto, se acham blindados e que isso afasta qualquer responsabilidade, vão sair por cima. Apresentam os documentos e retornam com a certeza do dever cumprido.


Queremos aqui antecipar que esta tática não vai funcionar. Após os promotores analisarem as condições desses veículos que estão sendo liberados, certamente vão ter que mudar de estratégia, terão  que dar explicações de como conseguem esse milagre que é o licenciamento para esses veículos.


Tem um ditado que diz "quem vê cara não vê coração". Quem vê os ônibus da São José  e não  os observam de forma minuciosa, chega a imaginar que são bons, eles até cuidam da pintura, mas o resto  só Deus sabe como estão.


“Só se descobre que a melancia está podre depois de abri-la, sua casca está sempre verde e com aparência de fruta boa”.


Cada um tem a melancia que merece, escolha a sua.  Entre nesta luta !


 MOVIMENTO FORA SÃO JOSÉ.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Arraias (TO) solta o "grito de carnaval"





A festa carnavalesca de Arraias (TO), sudeste do Tocantins, a 350 km de Palmas, é considerada a mais animada e a mais tradicional de todo o estado. 

Cerca de 40 mil foliões mergulham, todos os anos, nas pequenas, apertadas, antigas e históricas ruas da cidade para celebrar os quatro dias de momo. 

O entrudo, uma brincadeira de molha-molha, é visto como a "cereja do bolo", pois vem passando de geração em geração, há décadas, e se transformou em um "bem cultural". 

Todo mundo entra na folia: idosos, crianças, turistas, moradores...

E a cidade já está toda enfeitada para receber os animados foliões neste ano, em trios elétricos, sons automotivos, barracões, blocos e troças carnavalescas. 

Apesar de muita gente já estar nas ruas caindo na folia, oficialmente a festa começa somente amanhã, sábado. 

Assista, acima,  ao vídeo-convite da festa momesca arraiana, com um resumo de como foi o carnaval 2012. 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

"Movimento Fora São José!" divulga vídeo de "sucatões" da empresa




“MOVIMENTO FORA SÃO JOSÉ!” - Funcionários da empresa tentam impedir filmagem dos sucatões na rodoviária de Campos Belos.

A rotina da pacata rodoviária de Campos Belos foi quebrada nesta sexta feira, dia 1º de fevereiro, com a presença de membros do movimento fora São José.

Com câmeras na mão a equipe buscava fundamentar suas reinvindicações e também desmascarar as informações prestadas pela São José , por  afirmar que alguns ônibus em circulação são apenas mais simples, e não sucatas como sugerem os manifestantes.

O movimento de forma pacífica chegou à rodoviária logo cedo, com o intuito de filmar todas as chegadas e saídas dos ônibus da empresa.

Tudo estava correndo bem, até que chegou o ônibus placa KCX 4510 – ANTT 520362 estacionou na rodoviária e estava sendo filmado quando funcionários tentaram impedir o trabalho da equipe não permitindo que os mesmos fizessem imagens do interior do veículo.

A equipe prontamente atendeu e se retirou do ônibus, mesmo assim foi possível colher algumas  imagens bem comprometedoras.

É impossível imaginar que aquele veículo transporta pessoas.

Nas argumentações da São José, seus ônibus estão dentro das normas estabelecidas pela ANTT. 

Se estão tão cientes assim que estão cumprindo com suas obrigações , pra que ter medo de mostrar.

A propaganda é a alma do negócio, deviam deixar que fossem mostrados os tão confortáveis e seguros veículos que disponibilizam para a região.

Tem sido grande o número de pessoas que compartilham as divulgações do movimento.

Neste final de semana os manifestantes ganharam importantes apoios de ex- funcionários da empresa, que prometem contar o que vivenciaram durante anos de convivência com o desrespeito e descaso da São José  com os usuários.

Alguns fatos já narrados estão sendo confirmados. 

O movimento  está procurando pessoas envolvidas para averiguação e futuramente estarão  sendo publicadas informações  que a população regional desconhece.

Líderes do movimentam tiveram informações que a São José está participando de um processo de licitação para ônibus coletivos em Anápolis. 

Já atuam em Palmas além de Brasília.

A linha de Campos Belos ainda continua sendo uma das mais lucrativas dessa empresa. Vejam só a simulação de faturamento mensal da linha Goiânia/Taguatinga- TO.

Cada ônibus tem 50 lugares. Com uma passagem média de R$ 95,00 a viagem de ida para Goiânia rende em média R$ 4.750,00 de passagem sem contar com as encomendas que ainda ajudam neste faturamento.

Em seu retorno, outros R$ 4.750,00 e mais uns R$ 3.000,00 de faturamento em transporte de mercadorias.

A cada 36 horas (período compreendido entre ida e volta) um só ônibus tem um faturamento bruto de cerca de R$ 12.500,00 multiplicando isso por vinte (devido ser completado o ciclo a cada 36 horas), dá um faturamento bruto mensal de R$ 250.000,00 (isso só um ônibus), daí se compreende porque tem tanta grana para desbancar as grandes empresas do ramo e ganhar licitações tão rentáveis.

Foi criado o e-mail movimentoforasaojose@hotmail.com para que você usuário conte a sua história e mostre o seu apoio ao movimento e que também a empresa possa fazer suas alegações."


MOVIMENTO FORA SÃO JOSÉ

Cinegrafista amador flagra desastre ambiental em Campos Belos (GO). Até agora nenhuma autoridade se pronunciou



Um cinegrafista amador filmou o estrago ecológico feito por uma tromba de água que caiu na tríplice fronteira de Goiás, Bahia e Tocantins.

A irresponsabilidade dos grandes produtores do oeste da Bahia causou um acidente ecológico sem precedentes na depressão da Serra Geral, já no estado de Goiás.

Desmatamentos inconsequentes, desvios de cursos d' água e adubação química sem planejamento estão na raiz da avalanche de lama e pedra que sucumbiu a nascente do Rio Mosquito, um dos mais importantes do nordeste de Goiás.

Dezenas de famílias goianas e tocantinenses estão correndo sérios riscos com  o acidente, por causa de uma possível contaminação da água com produtos químicos, além, é óbvio, da imensa tragédia para o cerrado goiano.

Após de 15 dias, até agora nenhuma autoridade dos estados se pronunciou. Assista ao vídeo... é impressionante e muito triste.


Já publicamos: 

Tromba d'água abre cratera de 7km e põe em risco água do rio mosquito





Ônibus da São José do Tocantins quebra novamente

"Mais uma para o pessoal do fora São José: 

O ônibus que sairia hoje as 20:30 (6/01) quebrou enquanto fazia o percurso Novo Alegre Campos Belos. Parece-me que teve o radiador perfurado em razão da péssima condição da estrada. 

Fiquei na rodoviária até as 21:00, momento em que a equipe mecânica saiu para dar socorro. Segundo disseram, esse mesmo carro fará o percurso Campos Belos-Goiânia. 

No que tange a mim, mesmo sabendo das consequências de perder as aulas do mestrado, não colocarei minha vida em risco, voltei para casa, desisti. 

Precisarei de bons advogados para justificar minha ausência para os professores: Jorge Santana, Pedro Fonseca e Heleno Godoy, mas não posso correr o risco de ter de pagar com a própria vida. 

Mais um salve para a São José!!!"

Larissa Beltrão