Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 12, 2012

Buracos nas rodovias devem continuar até maio

Imagem
Respondendo aos diversos questionamentos, o presidente da Agetop ressaltou que a situação calamitosa das rodovias goianas é de conhecimento da administração estadual.


Entretanto, para reverter esse quadro, o estado tem planos e programas de recuperação, reconstrução e manutenção das estradas.

Segundo o representante da Agetop, a malha viária envelhecida, somada à mudança do perfil socioeconômico do estado e à falta de manutenção necessária resultaram no atual estágio de conservação das vias.

Sobre as reivindicações levadas pelo MP, o presidente da Agetop Jayme Rincon garantiu que o programa Rodovida, criado pelo governo de Goiás em 2011, e que deverá ser retomado este ano, deverá resolver as principais demandas.

A promessa é que as obras, por exemplo, da GO-118 sejam retomadas em dois ou três meses. O órgão informou que uma segunda frente de trabalho começará em Campos Belos, divisa com o Tocantis, e fará a reconstrução da rodovia no sentido a Brasília.

Um dos trechos, entre São …

Promotor de São Domingos se recusa a sentar-se à mesa com a Agetop e classifica estrada como “asfalto sonrisal”

Imagem
O promotor da cidade de São Domingos, nordeste de Goiás, Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, se recusou a sentar-se à mesa com os representantes da Agência Goiana de Transporte e Obras ( Agetop).

Ele cedeu seu lugar a uma vereadora de Divinópolis-GO, que foi visto como mais um recado duro aos gestores da Agetop. Um gesto de insatisfação com a maneira como o órgão tem tratado a comunidade regional.


O Promotor Douglas Chegury fez parte da tropa de choque do Ministério Público de Goiás, que reuniu centenas de autoridades de oito municípios para cobrar a imediata intervenção do governo nas condições precárias das rodovias estaduais.


Em suas palavras, Chegury chegou a classificar o capeamento das rodovias de “asfalto sonrisal”, uma referência à mistura de piche e areia, segundo ele, irresponsável, que as empresa contratadas pelo governo usam para fazer a manutenção nas ações “tapa buraco”.


“Nos queremos um solução prática, mesmo que seja arrancar todo aquele asfalto sonrisal…

Promotor diz que morre uma pessoa por semana nas estradas do nordeste goiano

Imagem
O promotor de Campos Belos André Luis Ribeiro Duarte disse, durante a reunião com a diretoria da Agetop, que morre uma pessoa por semana nas rodovias do nordeste goiano.
“O maior problema é a dignidade da pessoa humana que está sendo desrespeitada. Temos as estatísticas das mortes. Estão morrendo, inclusive,  policiais militares ao socorrer vítimas ou ao cumprir as funções de policiamento”, disse.
Duarte liderou e articulou a reunião, em que mais de 180 pessoas foram cobrar da Agetop o conserto imediato da rodovia GO-118 e de outras dezenas de rodovias e estradas vicinais que têm matado pessoas semanalmente em Goiás. “ É como um grito de socorro”, afirmou o promotor.

Promotor de Campos Belos disse que situação das rodovias chegou ao limite do tolerável

Imagem
Para o promotor de Campos Belos André Luis Ribeiro Duarte, que liderou e articulou o encontro, a reunião foi como um grito de socorro. 
Para ele chegou-se ao limite do tolerável. Que não há mais jeito de sustentar a situação das rodovias do nordeste goiano.  
O promotor afirmou que as rodovias estão sucateadas e que os mínimos direitos dos cidadãos estão sendo negados. “Não é apenas o direito de ir e vir que esta sendo desrespeitado. 
Estamos com problemas seriíssimos na educação. Não tem como fazer o transporte escolar na zona rural, pois as estradas não são pavimentadas e não há manutenção. É caótica a situação”, disse o promotor, no meio da reunião, aos diretores da Agetop.
Ainda segundo Duarte, o Ministério Público cobra dos prefeitos e eles nada podem fazer. “Os ônibus quebram nas estradas e as crianças ficam o dia inteiro ao sol ou à chuva a espera de socorro”.  
Para o promotor está sendo agora preferível não levar as crianças  para a escola.
A mesma situação de desespero se vê na s…

Buracos da GO-118: pressão do Ministério Público reúne cerca de cem pessoas na sede da Agetop

Imagem
Uma força tarefa do Ministério Público de Goiás colocou a Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) "contra a parede". 
Numa articulação organizada pelos promotores das cidades integrantes do nordeste goiano consegui-se reunir cerca de 180 pessoas na sede da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) , em Goiânia, para buscar soluções emergenciais para o estado de calamidade pública em que se encontram as rodovias no interior do estado.
A  reunião contou com seis promotores, oito prefeitos, mais de 40 vereadores, o juiz de direito de Campos Belos, representantes da sociedade civil, como sindicatos rurais, maçonaria, Rotary Club,  conselhos comunitários de segurança, associação goiana de vereadores, representantes da imprensa, pré-candidatos às próximas eleições e lideranças políticas de todos os municípios.
Pelo lado da Agetop, participaram o presidente da instituição Jayme Rincon e todo o seu estafe de diretores.
O deputado estadual Cláudio Meirelles (PR-GO) também par…

Viúva do ex-prefeito de Alto Paraíso recebe pensão do estado

Imagem
O Ministério Público de Contas de Goiás protocolou  representação contra a pensão especial concedida pelo Governo de Goiás à viúva do ex-prefeito de Alto Paraíso de Goiás Divaldo Rinco, assassinado em setembro de 2010.
Danúsia Stela Bravim Rinco recebe, desde a publicação da lei de concessão  em 27 de dezembro passado, R$ 5 mil mensais do governo do estado.
Inicialmente, o projeto de lei enviado pelo governador Marconi Perillo ao Legislativo previa pensão de R$ 2,18 mil, porém o valor acabou sendo mais que duplicado durante a tramitação.
Na justificativa, Marconi afirma que Danúsia tem três filhas ainda estudantes e não-independentes. 


O Executivo estadual alegou ainda que Divaldo Rinco foi eleito por três mandatos. “dedicou sua vida em prol do desenvolvimento da região nordeste de Goiás e teve sua vida brutalmente ceifada”.
O procurador de Contas Fernando dos Santos Carneiro apresentou no processo decisões do Tribunal de Contas da União e de outras cortes do país contra esse tipo de pe…