sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Vigilância interdita hospital de Divinópolis (GO) por, entre outras irregularidades, jogar placenta em latão aberto







A Superintendência de Vigilância de Saúde do estado de Goiás interditou o hospital municipal de Divinópolis Goiás, cidade no nordeste do estado, distante cerca de 350 km de Brasília. 

O hospital foi interditado no dia 30 de outubro e até a data de hoje nem o prefeito e tão pouco os gestores de saúde do município tomaram alguma providência para regularizar a situação.

É desumano e irresponsável o que tem ocorrido naquele hospital. 

São muitas as irregularidades encontradas pelos fiscais e apontadas no relatório técnico nº 023/2012. Dentre elas a de que os resíduos sólidos (lixo) biológicos, como placentas e descartes de cirurgias, são depositadas em um latão, localizado entre o ambulatório e o hospital, sem nenhuma proteção. 

O documento também aponta que o hospital realiza curativos, suturas e medicação injetável no mesmo ambiente, com grande risco de contaminação. 

O relatório informa que o hospital tem uma sala disponível para medicação injetável, mas não está funcionando por falta de mobiliários. 

Na inspeção dos técnicos, foram encontrados dentro da geladeira frascos de vacina de um lote com data vencida. E o mais grave, consta no livro de registro que o medicamento foi usado recentemente. 

A inspeção também identificou que aparelhos importantes, como o Raio X, não estão funcionando. 

Ontem (22), os fiscais elaboraram mais um termo de intimação (nº 003105), determinando que os gestores façam imediatamente as adequações e as correções das irregularidades apontadas. 

O relatório aponta também que há mais de 15 dias as salas de vacinas estão fechadas e que a população está sem a prestação do serviço. 

Os recém-nascidos não estão recebendo as doses, inclusive de vacinas imprescindíveis  como a BCG, que deve ser administrada nas primeiras 12 horas após o parto, bem como a Hepatite B. 

Segundo Artenio Guimarães, Subcoordenador de Vigilância em Saúde para a região nordeste de Goiás, a supervisão nos hospitais da região Nordeste faz-se necessária tendo em vista ser uma área carente e necessitada. 

Ainda de acordo com o  fiscal, o objetivo é levar a cada cidadão o direito garantido na Constituição Federal de 1988, no seu artigo 196, que garante a todo cidadão uma saúde de qualidade.




Um comentário:

  1. "Interditou o hospital municipal de São Domingos de Goiás, cidade no nordeste do estado, distante cerca de 350 km de Brasília." Dinomar creio haver um erro de edição ,o Hospital é de Divinopolis e nao São Domingos.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.

Proposta de emprego. Duas Vagas

A Loja Mundial de Campos Belos contrata! Interessados devem ir à empresa, que fica no centro da cidade, com curriculum em mãos.