Polícia analisa imagens para identificar os arruaceiros de Caldas Novas


Duas pessoas assassinadas a tiro, uma morta e três feridas em acidente, sexo explícito no meio da rua, ambulância invadida, um carro incendiado por um grupo de rapazes, foliões pulando sobre um posto da Polícia Militar. 

Essa é parte do saldo do fim de semana em Caldas Novas (GO), cidade distante 330km de Brasília que recebeu milhares de visitantes por causa do 7º Caldas Country Show, um dos maiores eventos musicais de Goiás. 

Ainda não se sabe quem pagará pela sujeira e outros prejuízos ao patrimônio público e privado. 

Nem mesmo se serão cobrados e o tamanho total dos estragos, pois muitos dos crimes nem sequer chegaram a ser registrados. Mesmo filmados, vândalos continuam impunes.

Até então famosa pela tranquilidade e pelos benefícios das suas águas termais, Caldas Novas também ficou conhecida em todo o país pelo vandalismo. 

Muitos dos atos cometidos por jovens visivelmente embriagados, vestidos a caráter para a festa regada a cerveja e música sertaneja, foram parar nas redes sociais. 

Inclusive as cenas de moças e rapazes fazendo sexo sobre capôs de carros, em via pública, diantes de centenas de pessoas. Na internet também circulam os atos de danos a veículos e prédios. Imagens que facilitam a identificação dos agressores.

O delegado Ricardo Chueire, chefe da delegacia de Itumbiara (GO), responsável por todas as DPs da região, disse que agentes estão em busca dos turistas flagrados fazendo sexo em área pública. Investigadores analisam as imagens dos flagrantes. 


A reportagem tentou entrevistar o prefeito de Caldas Novas, Ney Viturino, e os secretários de Turismo, Ivan Garcia, e de Comunicação, Wilhes Alves, mas não obteve retorno às mais de 10 ligações. 

A equipe do jornal também tentou, sem sucesso, contatar a produtora do Caldas Country Show, GBM Produções. 

O site da empresa estava fora do ar, a página no Facebook não tinha dados sobre a companhia e o número telefônico disponível no Google constava como de outro local.

Informações do Correio Braziliense