segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Náutico é censurado no Recife. CBF ainda não se pronunciou



O meu filho de treze anos é torcedor fanático do Náutico. Sempre que posso, assisto aos jogos com ele, inclusive para "aperreá-lo". 

Mas ontem, sábado, um episódio foi mais marcante do que o jogo em si, em que o time dos Aflitos bateu o Atlético Goianiense, por dois a zero. 

Ontem vi mais uma vez o fantasma do autoritarismo e da censura mostrar sua face novamente. 

O árbitro da partida não quis inciar o jogo enquanto não fosse retirada uma enorme faixa negra exibida pela torcida alvirrubra.  

E o que tinha de tão ofensivo nessa faixa, que foi capaz de adiar o jogo por quase 15 minutos?

Apenas uma frase: "Não irão nos derrubar no apito".  

A reclamação foi uma das formas que os torcedores do Náutico encontraram para chamar a atenção para os repetidos erros de arbitragem que vem prejudicando o time de Recife nos seguidos jogos do campeonato brasileiro.  

O time, que é considerado pequeno por algumas figuras do mundo futebolístico,  foi prejudicado contra o Vasco (gol legal anulado), contra o Internacional (também teve um gol legal anulado e um pênalti não marcado ) e contra o Cruzeiro (novamente um pênalti não marcado).

O árbitro da partida, Leandro Vuaden, chamou a polícia para retirar a faixa e ficou embirrado no campo até que ela fosse recolhida. 

Mas pera aí, é proibido estender faixa na arquibancada? 

Ainda mais uma faixa que não usa qualquer termo ofensivo, de baixo calão ou que denigra a honra ou a imagem de alguém, principalmente do juiz?

De onde esse árbitro tirou tanta autoridade? 

Iria passar batido, se o episódio não fosse, mais uma vez, a mais aberta censura.

E pior, está virando moda. 

Outro dia, noticiamos o caso de uma professora de Anápolis (GO) que escreveu no facebook algumas frases contra oito vereadores da cidade. 

Nada de ofensivo. Era uma  situação que ela achava que estava acontecendo e expressou suas ideias. Mas o juiz-eleitoral da cidade censurou a professora e mandou tirar o post do ar. Obviamente, foi aquela repercussão. 

Vez por outra noticio também a ditadura do judiciário, que proíbe blogs, jornais, rádios e canais de TV de "falar" sobre algum assunto. 

Esta notícia é desta semana e foi publicada no jornal Estadão(SP), veja: 

"Após o juiz eleitoral Adão Gomes de Carvalho revogar a censura imposta por ele próprio ao blog de João Bosco Rabello, diretor da sucursal de Brasília do Grupo Estado, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) lamentou a decisão anterior da Justiça do Amapá de ordenar a retirada de um texto da publicação."

Amigos, a nossa Constituição Federal é clara sobre a censura: 

Artigo 5º, inciso IX - "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença". 

Artigo 220: "A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição"

parágrafo segundo do 220  - "É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística".

Está virando moda e começa a nos prejudicar.... 

Estão prejudicando jornalistas, blogueiros, pessoas comuns, professor, a torcida de um time de futebol e inclusive escritores famosos, como Monteiro Lobato, com suas obras históricas. 


A coisa está ficando séria e chegou a hora de darmos maior atenção a este assunto.

Até agora a CBF ainda não se pronunciou quanto ao desvario do Sr. Leandro Vuaden. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.

Proposta de emprego. Duas Vagas

A Loja Mundial de Campos Belos contrata! Interessados devem ir à empresa, que fica no centro da cidade, com curriculum em mãos.