Natural de Posse (GO), jogador Souza é destaque no Náutico



Natural de Posse, nordeste de Goiás, a 320 km de Brasília,  o jogador Elierce Barbosa de Souza, conhecido como Souza, tem se destacado neste campeonato brasileiro, pelo Clube Náutico Capibaribe, de Recife.  

Souza marcou 11 gols em 13 jogos e segundo o técnico Alexandre Gallo, é uma peça essencial do esquema do Náutico. 

Para variar, o time perdeu ontem (17) mais uma fora de casa, 2 a 1 contra ao Coritiba,  mas o volante e valente Souza novamente teve uma participação muito boa. 

O jogador nasceu em Posse, no ano de 1983. Na cidade, Souza, que hoje tem 1,83 m, começou nos campos de várzeas e pela habilidade começou a chamar a atenção de "olheiros" do futebol.  

Logo encontrou algumas chances em times profissionais. Começou jogando em Brasília, bem próximo a Posse. Na capital federal, passou pelo Brasília-DF e Dom Pedro-DF.  

Do fraco futebol candango, foi contratado por um dos times mais tradicionais do país, o Palmeiras, de São Paulo, em 2008. 

Dois anos depois foi emprestado para a Ponte Preta. Continuou fora dos planos palmeirenses e em 2011 defendeu o São Caetano para então chegar ao Náutico, em 2012. 

Escanteado pela agremiação de origem, Souza indica ter preferência para seguir nos Aflitos, no entanto respeita o seu passado no Palestra Itália.

- É difícil falar em saudade do Palmeiras, pois agora estou num clube que me deu oportunidade de atuar, de trabalhar. Posso dizer que fui feliz quando estava por lá.

Após um início com oscilações, o volante Souza conseguiu se firmar no time do técnico Alexandre Gallo e hoje é visto como titular indiscutível no meio-campo do Náutico. 


Nos Aflitos desde o início do ano, a boa fase do atleta despertou a atenção do Palmeiras, detentor dos seus direitos federativos. 

Com o Verdão em crise, lutando para não cair e precisando rever os erros de 2012, Souza se tornou forte opção para a reestruturação alviverde.

De acordo com o vice-diretor de futebol palmeirense, Roberto Frizzo, o clube vem observando o atleta e não descarta seu retorno para a próxima temporada.


- Observamos todos os nossos jogadores que estão emprestados e, se houver solicitação da comissão técnica, traremos um ou outro de volta. 


O Souza é um que está jogando muito bem, conseguiu se encontrar no Náutico, está até fazendo gols. 

Claro que vemos com carinho a possibilidade de retorno. Ele tem contrato conosco, então vamos sentar no fim do ano e conversar – disse.


Feliz com o interesse do Palmeiras, Souza também enxerga com bons olhos um possível retorno.

- Para mim é muito bom ser sondado pelo Palmeiras, pois mostra que estou tendo um ótimo momento no Náutico. 


É um elogio, é gratificante, pelo futebol que venho jogando demonstra que o Timbu abriu as portas para mim. Tenho contrato com o Náutico até o final do ano, depois disso, conversarei com o Palmeiras sobre a minha situação. 

Tudo depende de como terminará o campeonato.


Na zona de rebaixamento e com sérios riscos de cair para a Série B, Souza acredita que continuar disputando uma Série A seria melhor para a carreira, mas cauteloso para não criar problemas com o dono do seu passe, o volante não descarta descer uma divisão em 2013.


- Como disse, tudo depende do final do Brasileiro, mas se tiver que voltar a jogar na Série B, não tem problema nenhum. 

Claro que se eu ficar numa Série A, ótimo, é melhor, porém o Palmeiras é um time grande e na Segunda Divisão continuar a ser grande como sempre. Não é tão ruim assim.


O bom futebol apresentado pelo volante de 24 anos não despertou apenas o interesse do Palmeiras. Outros clubes do Brasil e até um time do Catar o sondaram, mas segundo ele, os convites foram negados por conta da chance de se destacar no Brasileiro. 

O próprio volante revela que por muito pouco o time catarino não o tirou do Náutico, mas algumas conversas e bonificações o seguraram nos Aflitos.


- Recusei a proposta porque acho que não era o momento certo. Aconteceu há dois meses, no decorrer do Brasileiro e recusei depois de conversar com a diretoria. 


Não poderia largar o Náutico assim, antes de terminar o ano, num momento em que estou bem. 

Seria ingratidão com o clube que me abriu as portas. Também tive propostas de times brasileiros da magnitude do Palmeiras, me surpreendi. 

Prefiro não citar os nomes dos times, pois pode repercutir e não quero perder o foco dentro de campo.

O carinho pelo Náutico não faz com que Souza descarte um retorno para o Palmeiras no entanto, ele só tomará uma decisão no final do empréstimo.

- É verdade que estou num bom momento e as coisas estão acontecendo para mim, mas não posso dar um passo errado na minha carreira. 


Tenho que avaliar as propostas e situações com muita calma. 

Sou muito grato pelo Palmeiras ter me revelado, mas também tenho admiração muito grande pelo Náutico, clube que levarei no coração pelo resto da vida. 

Foi nos Aflitos que estou jogando muita bola. É analisar da melhor forma possível.


Com texto e informações do Globo Esporte