Artigo: Aos mestres e mestras, com carinho


Por João Beltrão Filho


Publicado originalmente no jornal Diário da Manhã

Com a satisfação de quem pisa o fértil solo de um jardim florido, alegro-me em colher o espaço a mim cedido por este conceituado jornal, para, no ensejo do festivo dia de 15 de outubro, oferecer uma singela e espontânea mensagem de gratidão e agradecimento aos professores, professoras e educadores, que no árduo ofício de lapidar almas contribuíram de forma decisiva para o engrandecimento da nossa formação e certamente ajudou a minorar as asperezas de muitas vidas, fazendo de nós cidadãos de bem, acendendo em nossas mentes e nos nossos corações a chama primeira do saber, do conhecimento, dos princípios morais e cívicos, da ética, do respeito, da dignidade, da honestidade e da responsabilidade.

Somos cônscios de que o conhecimento é, sem qualquer dúvida, a mola-mestra que nos impulsiona a realizar sonhos, por mais improváveis ou impossíveis que eles nos pareçam ser e que sem a ajuda fundamental de nossos professores e professoras, às vezes relegados, desvalorizados e quase sempre injustiçados por aqueles que conduzem o poder e que o adquiriram possivelmente pela preciosa contribuição de um grande professor ou de uma grande professora, certamente não seríamos o que hoje somos.

Assim, necessário se faz destacar a importância dos professores e professoras a quem outrora respeitávamos e chamávamos de Mestres e Mestras como instrumento modificador em nossa sociedade. 

Que a sapiência e o conhecimento que “sugamos” deles não sejam em quaisquer circunstâncias usados para menosprezar aqueles que não tiveram a mesma oportunidade que tivemos, pois bem sabemos que frequentar escolas ainda é, para a maioria da população do nosso País, um sonho quase impossível. 

Por isso, quem estudou não pode omitir-se da responsabilidade de trabalhar para a construção de um país melhor, mais justo e mais digno, com mais prosperidade e menos miséria. 

Desta forma, é nosso dever defender o direito de outros terem a mesma oportunidade que tivemos o direito a uma educação de qualidade, de preferência gratuita e ao alcance de todos. 

Reconheço a importância da escola e dos nossos professores e professoras nas nossas vidas, embora não podemos negar que a falta de condições de trabalho, cursos de formação, especialização, reciclagem e principalmente de salários dignos são crônicos e cruciais problemas que desestimulam nossos educadores e degradam nossas escolas. 

Não obstante, esses problemas não devem ser motivo para o desânimo, acomodação ou só reclamação. 

Mas, sim, motivo de compromisso com a busca incessante da melhoria da educação e das instituições de ensino na constante busca pela sua melhor qualidade. 

Considerando que o homem é o único ser que não aprende nada sem que alguém o ensine (o João de Barro, por exemplo, nasce sabendo construir sua casa), agradeço indistintamente aos professores e professoras que nos talharam para a vida (alguns já estão no andar superior), todavia, recebam esta homenagem neste dia e que o Deus onipotente, por intermédio do seu Filho Jesus Cristo o Mestre dos Mestres, na sua infinita bondade, recompense as caras energias que gastaram e gastam ao exercer a mais sublime das profissões a de ser PROFESSOR e PROFESSORA. 

Parabéns a todos os MESTRES e MESTRAS de Campos Belos, de Goiás e de todos os rincões do meu Brasil, os de ontem, os de hoje e os de amanhã, e na ocasião desta importante data rogo a Deus que ilumine as mentes e abrande os corações dos políticos e governantes brasileiros que cotidianamente fazem da educação o carro-chefe de suas campanhas políticas para que eles cumpram suas promessas e ofereçam aos professores, professoras e trabalhadores na educação melhores condições de trabalho, segurança, capacitação, reciclagem e principalmente salários decentes, para que, de fato e de direito, a educação brasileira seja um processo continuado de modificação na nossa sociedade, pois só a educação de qualidade e a busca constante do conhecimento são capazes de, senão igualar, ao menos aproximar o pobre do rico. 

Deus nos deu o rio, esforcemos todos para encontrar o barco que nossos professores e professoras nos ensinarão a remar correnteza acima.

Louvores e graças aos que nos ensinaram e nos ensinam todos os dias das nossas vidas. 

Saúde, paz e bem a todos.


(João Beltrão Filho, técnico em Agropecuária pela Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde/GO, gestor público pela Universidade Estadual de Goiás, especialista em Educação Ambiental pela Universidade Cândido Mendes/RJ, poeta, escritor e diretor de Planejamento da Prefeitura Municipal de Campos Belos/GO)