Não se sabe quem vai ganhar as eleições em Campos Belos


Há pouco menos de um mês das eleições para prefeito e vereadores, que ocorrem no próximo dia 7 de outubro, é temeroso arriscar um palpite sobre o vencedor para prefeito de Campos Belos. 

Há 15 dias fui à cidade e vi de perto as movimentações dos candidatos e das coligações. 

Cheguei na quinta-feira, dia 6, e perdi a carreata realizada pelos correlegionários do ex-prefeito Aurolino José dos Santos Ninha (DEM), candidato pela coligação Transparência, Honestidade e Trabalho (PDT / PSL / PPS / DEM / PMN / PV / PSDB). 

Mas as notícias vindas dos partidários foi de uma grande demonstração de força da candidatura do ex-prefeito, que reuniu centenas de veículos e outras centenas de pessoas pelas ruas da cidade. 

Um dia após a carreata, o clima era de "já ganhou" entre aqueles que apoia a candidatura do ex-prefeito. 

No comício, realizado logo após a carreata, que contou com a presença do vice-governador  de Goiás, José Eliton de Figuerêdo, o otimismo numa vitória da chapa deu o dom ao evento.  

Tumulto não deixou de existir. 

O candidato a vice-prefeito pela coligação Campos Belos para todos, Toninho da Ótica (PMDB), e o vereador Sargento Abreu tentaram, até o último instante, barrar o comício adversário. 

O argumento era de que a coligação de apoio a Ninha não estava autorizada a fazer o evento, acionando inclusive o órgão do  Ministério Público Eleitoral. 

Mas uma decisão judicial, estrategicamente  guardada sob os braços dos Democratas, garantiu a realização da passeata e do comício. 


Porém, na quinta-feira, 6, os partidários do atual prefeito Neudivaldo Sardinha (PP), candidato pela coligação Campos Belos para Todos (PP / PTB / PMDB / PR / PHS / PSD) fizeram uma "reunião partidária", espécie de um pequeno comício sem palanque. 

Neste, que estive presente, o clima também era de otimismo. Centenas de pessoas, com bandeiras, broches e camisetas estampando o número do candidato, fervilhavam no setor industrial. 

Sardinha fez questão de apresentar, enquanto discursava, todas as principais obras de sua gestão: iluminção pública, asfaltamento das principais vias, coleta de lixo, aquisição de veículos e máquinários, construção e reforma de creches e escolas.

No "palanque", também se viu foi candidatos tentando desqualificar a carreata adversária ocorrida no dia anterior. 

"Aquilo foi uma carreatazinha que não tinha setenta carros", bradou um candidato a vereador. 

"Disseram a mesma ladainha, promessa que há mais de 10 anos eles fazem: que vão trazer a água do rio Mosquito", gritava outro candidato. 

Tudo isso sob os aplausos efusivos de centenas de pessoas. 

Quem não pegou mesmo foi a candidata pelo PT, Elzita Caetano. 

A onda vermelha do partido dos trabalhadores, que jamais conseguiu emplacar na cidade, continua patinando.  

A candidata não tem força e não conseguiu mobilizar nem os jovens, nem partidários do PT, nem os sindicalistas... 

As eleições realmente estão polarizadas entre os dois candidatos: Ninha (DEM) e Sardinha (PP). 

No entanto, não se pode prever quem vai ganhar. A campanha está disputadíssima

Quem arriscar um palpite, tem boas chances de errar.  Somente uma pesquisa isenta, por órgão nacional e com bases científicas, poderia jogar uma luz. 

Só que custa caro e ninguém, nem mesmo os candidatos, se arriscaria a elevar os gastos em final de campanha. 

Logo que começou a campanha, fiz uma enquete aqui no blog e tinha a intenção repeti-la agora, próximo às eleições. 

Mas seria uma irresponsabilidade fazer uma enquete sem base científica, bem no auge da campanha e com os ânimos acirradíssimos. 

Somente teremos certeza no dia 7 de outubro, à noite. 

Fico triste apenas por uma coisa: já estamos quase chegando ao final da campanha  e poucas são as propostas apresentadas pelos candidatos.   

A campanha deles tem se pautado mais em desqualificar o adversário do que em apresentar propostas realistas e necessárias.  

É uma pena. Nós, cidadãos, esperávamos mais.