Sim, Agora é oficial: Campos Belos cresceu

Opinião

Por Renato C. Madureira

As memórias mais antigas registradas nos confins do meu cérebro remete à uma rua sem asfalto, umas poucas casas simples e a ingenuidade e alegria de uma criança. 

Esse é o cenário que convivi durante boa parte da minha infância. Lembro-me claramente das brincadeiras na rua com meus vizinhos e os “meninos da rua de baixo”, do campo de terra batida, das fogueiras em frente da “casa abandonada” e das explorações do morro que ficava logo ali ao lado.

Na adolescência o cenário já havia mudado um pouco, a rua agora está asfaltada, as casas continuam simples, porém em maior número com um ou outro lote vago e o morro ficou um pouco mais distante e menor com o avanço das moradias sobre ele. 

Nesse período o cenário deixa de ser bairrista para se tornar geral, as explorações agora são por toda a cidade. Mas as distâncias ainda são curtas, ainda vou ao colégio, ao supermercado, a igreja e a qualquer outro ponto da mesma a pé. 

Já é possível notar a diminuição de residências e aumento de lojas comerciais na “rua do comércio” e a diferenciação de setores, uns até com casas de alto padrão vulgarmente apelidado de “setor das mansões”.

Depois de um período fora (como ocorre com a maioria dos jovens dessa cidade), retorno e vejo hoje uma Campos Belos que se desenvolve a passos largos. 

É visível o aumento populacional com uma forte imigração nos últimos anos, um crescimento e fortalecimento do comércio local, vinda de faculdades, de grandes empresas, bancos e órgãos estaduais e federais e também, infelizmente,  um claro aumento de todos os problemas clássicos de uma metrópole.

Fica claro que devemos acompanhar esse crescimento, aproveitar as oportunidades e contribuir para com nossa cidade natal e/ou adotiva. 

Devemos cobrar e fiscalizar nossos representantes políticos para que esse crescimento seja controlado e planejado com a garantia de todos os serviços básicos de saúde, educação, saneamento básico...  

Apesar dos problemas que temos (e não são poucos) e os que ainda teremos o futuro se mostra promissor e esperançoso. 

Talvez em breve nossos jovens não tenham mais a necessidade de sair daqui, nossos pais de família tenham emprego e nossos empresários crescimento e estabilidade.  Por fim, que me perdoem nossas cidades vizinhas, temos muito orgulho de sermos camposbelenses e não de outra terra qualquer.