Crime brutal de Goiás: suspeito faz reconstituição e diz ter degolado sozinho as 7 sete pessoas





Durante o primeiro dia de reconstituição da chacina em Doverlânida, a 413 quilômetros de Goiânia, nesta quinta-feira (3), o suspeito de 22 anos que confessou ter participado do crime diz ter matado as sete vítimas sozinho.

Para a Polícia Civil, confirmar se essa versão é verdadeira ou não é a grande questão da reprodução simulada do múltiplo homicídio.

"A Polícia Técnica entende que dificilmente ele poderia ter agido sozinho, o que não é impossível", explicou a delegada-geral da Polícia Civil de Goiás Adriana Accorsi, durante entrevista coletiva na fazenda Nossa Senhora Aparecida, onde sete pessoas foram degoladas no último sábado (28).

Segundo Adriana Accorsi, a teatralização das mortes é importante para checar as informações repassadas pelo suspeito, pois "a confissão é uma prova em parte".

A reconstituição começou por volta das 11h30 e seguiu até o início da noite, quando foi suspensa. O trabalho só deve ser retomado na próxima semana.

"Vão ser muitas horas de trabalho e a gente espera que essa prova pericial possa conduzir ao que de fato aconteceu com cada uma das vítimas", disse a delegada.