"Nenhum pistoleiro vai calar o Ministério Público"

Procurador-Geral do Ministério Público de Goiás, Benedito Torres




A força-tarefa que investiga o atentado ao promotor Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, de 39 anos, fará a reconstituição do crime.


A tentativa de assassinato aconteceu na manhã de quinta-feira (22), entre as cidades de São Domingos e Campos Belos, no norte de Goiás.



Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (23), o procurador de Justiça Benedito Torres falou da reconstituição, mas não fixou uma data para a produção da prova pericial.



Segundo Torres, outra força-tarefa, composta por 10 promotores, dará continuidade ao trabalho do promotor na região.



Douglas ficará de licença por pelo menos uma semana, para se recuperar do estresse causado pela tentativa de homicídio.



"Nenhum pistoleiro vai calar o Ministério Público", disse Benedito Torres, em entrevista coletiva.



O promotor da comarca de São Domingos atuava principalmente no enfrentamento de garimpos, madeireiras e carvoarias.



Por telefone, o promotor contou à reportagem da TV Anhanguera como foi a emboscada.



Ele seguia de São Domingos para uma reunião em Campos Belos por uma estrada de chão, quando, de repente, um homem apareceu na margem da pista e começou a atirar.



"Eu consegui sair pela outra porta do carro e me embrear no mato. Aí eu fiquei circulando até que foi encontrado pela Polícia Militar", contou.



Nesta sexta-feira, Douglas prestou depoimento no fórum de Campos Belos, de onde saiu escoltado.



De lá, ele seguiu para a estrada vicinal onde ocorreu a tentativa de assassinato, a cerca de 40 quilômetros de São Domingos, onde sérá feita a reconstituição do crime.



Matéria do Portal G1 Goiás.