Greve dos professores: justiça cobra explicações


O Governo do estado de Goiás tem 72 horas para se manifestar à justiça sobre as leis estaduais que achataram ilegalmente a carreira dos educadores da rede estadual, quando incorporaram as gratificações de titularidade ao vencimento dos trabalhadores.

A decisão foi proferida na sexta-feira passada, 23, pela justiça, que somente depois de ouvir o estado, decidirá sobre a ação civil pública representada pelo Sintego (Sindicato da Categoria).

Enquanto isso, a greve continua.  Uma das reivindicações da categoria é a volta da titularidade, uma gratificação para especialistas, mestres e doutores, que segundo os professores, foi retirada pelo governo. A greve já dura mais 40 dias.