quinta-feira, 29 de março de 2012

Comissão de Direitos Humanos diz em Campos Belos que há ausência total do Estado na região



A precariedade do sistema de segurança pública em Campos Belos e nas demais comarcas do Nordeste goiano e a “ausência total” do poder público na região foram os principais pontos do diagnóstico feito pela comissão especial do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) que visitou a cidade na última terça-feira. 

A constatação foi feita pelo vice-presidente do Conselho, Percílio de Sousa Lima Neto, que integrou o grupo que participou de audiência pública na comarca, com a participação das autoridades locais, dos segmentos sociais organizados e da população em geral. 

“O sentimento de abandono revelado pela população acaba por gerar uma descrença nas instituições”, avaliou.

A visita do CDDPH à região foi motivada pelo atentado sofrido pelo promotor de Justiça Douglas Roberto Chegury, titular da Promotoria de São Domingos e que também presta auxílio à Promotoria de Campos Belos. 

O integrante do Ministério Público de Goiás sobreviveu a uma emboscada na última quinta-feira (22/3), quando foi atacado por um pistoleiro numa estrada vicinal que liga São Domingos a Campos Belos.

 Além de Percílio, a comissão especial do Conselho que esteve presente à audiência era composta pela representante da Ouvidoria Nacional da SDH, Carol Fernandes Camelo, e pela procuradora de Justiça de Goiás Ivana Farina Navarrete Pena, que é membro do CDDPH.

(Texto: Ana Cristina Arruda/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Fotos: Promotoria de Campos Belos)


Ministra Maria do Rosário deverá discutir situação com Marconi Perillo



A partir das informações coletadas no encontro, adiantou o vice-presidente do CDDPH, a intenção é estimular uma ação conjunta do governo federal e o Estado de Goiás na busca do enfrentamento a esses problemas, sobretudo no reforço de políticas públicas para atender o Nordeste goiano.

Percílio vai entregar nos próximos dias o relatório da visita à ministra Maria do Rosário Nunes, titular da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, órgão ao qual o CDDPH é vinculado.

 No documento, ele pretende sugerir um encontro entre a ministra e o governador Marconi Perillo para tratar das questões relativas aos direitos humanos na região.

Titular da Promotoria de Campos Belos e um dos incentivadores da visita da comissão do CDDPH, André Luís Ribeiro Duarte considerou bastante positivo o encontro do grupo com a comunidade, sobretudo por representar um reforço nas reivindicações por maior atenção ao Nordeste do Estado.

(Texto: Ana Cristina Arruda/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Fotos: Promotoria de Campos Belos)
 

Autoridades e comunidade participaram de audiência contra a violência




A audiência pública no auditório do júri, no Fórum de Campos Belos, mobilizou cerca de 50 pessoas de vários segmentos sociais, além de autoridades, como o juiz Paulo Afonso de Amorim Filho; o delegado Tiago Martiniano; o prefeito Neudivaldo Xavier de Oliveira Sardinha; o representante da OAB local, Antônio Marcos Ferreira; vereadores, entre outros.

Do Minitério Público, também participou do encontro o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Denis Augusto Bimbati Marques, que está participando das investigações sobre a tentativa de assassinato de Douglas Chegury. 


(Texto: Ana Cristina Arruda/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Fotos: Promotoria de Campos Belos)

terça-feira, 27 de março de 2012

Padre, prefeitos e vereadores foram assassinados na região da Chapada dos Veadeiros

Padre Rubens foi assassiando em Campos Belos em maio de 2010

Segundo informa o promotor de Justiça André Luís Ribeiro Duarte, titular em Campos Belos, nesta reunião de hoje com a Comissão de Direitos Humanos da Presidência da República serão relatados os vários casos de ofensas a direitos humanos ocorridos no Nordeste goiano nos últimos anos.

Exemplos são os assassinatos de dois prefeitos,  de Alto Paraíso de Goiás (em 2010) e de Monte Alegre de Goiás (1999), de um vereador em Campos Belos e do padre Rubens Gonçalves, da mesma cidade, crime ocorrido em 2010.

Outro problema que será apresentado à comissão é o dos assaltos a bancos que vêm atemorizando a região, em ações que têm sido denominadas de novo cangaço, por deixarem as cidades reféns das quadrilhas.

A ideia é mostrar aos integrantes da comissão a precariedade da segurança pública no Nordeste de Goiás, em busca de apoio nas demandas relacionadas a este assunto, salientou o promotor.


Assassinaram o padre da cidade 

O pároco da cidade foi brutalmente assassinado, por um homem armado de pistola e com um disparo a queima-roupa.

Uma discussão em torno do aluguel de um salão paroquial acabou na morte do padre Rubens de Almeida Gonçalves, de 35 anos.

O padre, morto com um tiro na cabeça, foi socorrido pelo avião do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que estava na cidade no momento do crime. O padre já chegou sem vida ao Hospital de Base de Brasília.


O homicídio aconteceu por volta das 9h. O padre estaria conversando com o suspeito do crime no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora da Conceição.

 Leia mais...





Homens fortemente armados assaltam agência bancária em São Domingos

Comissão de Direitos Humanos chega a Campos Belos



Uma comissão especial do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) estará nesta terça-feira (27/3) em Campos Belos, cumprindo uma agenda de trabalho relacionada ao acompanhamento das investigações sobre o atentado sofrido pelo promotor de Justiça Douglas Roberto Chegury, titular da Promotoria de São Domingos e que também presta auxílio à Promotoria de Campos Belos.

O promotor sobreviveu a uma emboscada na última quinta-feira (22/3), quando foi atacado por um pistoleiro numa estrada vicinal que liga São Domingos a Campos Belos.

O CDDPH é vinculado à Secretaria Especial de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República.

A comissão especial é composta pelo advogado Percílio de Sousa Lima Neto, vice-presidente do Conselho; pela representante da Ouvidoria Nacional da SDH, Carol Fernandes Camelo; pela procuradora de Justiça de Goiás Ivana Farina Navarrete Pena, que é membro do CDDPH, e pela assessora do Conselho Sindia Cristina de Carvalho Sousa.

Eles participarão, às 10 horas, de audiência pública com todas as autoridades locais e a sociedade civil, no auditório do Tribunal do Júri, no Fórum da comarca de Campos Belos.





(Texto: Ana Cristina Arruda/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO).


Procurador-Geral diz que região é esquecida



Na conversa com os jornalistas, o procurador-geral do estado de Goiás, Benedito Torres, que esteve em campos Belos na sexta-feira, 23,   lembrou que, por muitos anos, o Nordeste goiano tem sido uma região “esquecida”, onde a demanda pela presença do poder público é crescente.

Com a chegada dos promotores empossados no ano passado, incluindo Douglas Chegury, a preocupação do MP com as comarcas ali instaladas começou a tomar a forma de um projeto especial de atuação, cuja implantação teve início há cerca de um mês.

Neste sentido, ações em várias frentes de atuação deverão ser intensificadas, visando suprir as principais carências apresentadas pela população.

Investigações do atentado no nordeste goiano



O grupo especial do Ministério Público de Goiás, que atuará por um prazo pré-definido, vai se somar a uma outra força-tarefa que já está em ação no Nordeste goiano, composta por integrantes do MP e das Polícias Civil e Militar.

Este grupo, que conta com promotores e agentes do Centro de Segurança Institucional e Inteligência (CSI) e do Grupo de Atuação Especial de Combate a Organizações Criminosas (Gaeco), está encarregada da apuração sobre o atentado.

Na entrevista coletiva concedida na sexta-feira, 23 , logo após retornar de Campos Belos, onde esteve durante toda a manhã, o procurador-geral de Justiça informou que as investigações sobre o atentado já avançaram, mas não adiantou detalhes sobre o que foi apurado, para não prejudicar o trabalho.

Ele relatou, contudo, que o depoimento do promotor foi colhido, bem como de algumas testemunhas, além de ter sido realizada a reconstituição do crime.

O veículo que Douglas Chegury dirigia quando sofreu a emboscada foi encaminhado para perícia na Polícia Técnico-Científica em Formosa.

Atentado contra promotor de São Domingos repercute em todo o país



O atentado contra o promotor teve repercussão em todo o País, com ampla cobertura da imprensa nacional.


As manifestações também foram intensas nas redes sociais, com mensagens de apoio tanto ao promotor quanto ao MP goiano.


No início da noite, o procurador-geral de Justiça recebeu um telefonema do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que colocou o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) à disposição para colaborar no caso.


Além da manifestação do procurador-geral da República, o MP de Goiás recebeu a solidariedade e o apoio de diversas instituições, incluindo o governo do Estado.


O governador Marconi Perillo colocou à disposição das investigações delegados, policiais militares e civis, veículos e helicópteros, visando contribuir tanto com as buscas ao promotor – que esteve desaparecido por cerca de nove horas – como pelo autor do atentado.


Por meio da sua assessoria de imprensa, o governador também manifestou sua posição sobre o ocorrido, informando que considerou o ataque ao promotor um ataque a todo o MP, “instituição que se destaca na proteção à cidadania, aos interesses da sociedade”.


Ele pontuou ainda que o governo de Goiás tem total interesse em que os responsáveis sejam presos e que seja feita justiça.


O MP recebeu ainda a oferta de colaboração da Polícia Federal, que se colocou à disposição para auxiliar na apuração dos fatos desde o dia do atentado. Outro apoio importante assegurado à instituição foi do Tribunal de Justiça do Estado.


Os Ministérios Públicos de todo o País também ressaltaram a indignação com o ocorrido, por meio de manifestações ao procurador-geral de Justiça, bem como com a divulgação de nota de repúdio, a ser publicada nos jornais, assinada conjuntamente pela Associação Goiana do Ministério Público, Associação Nacional dos Membros do MP (Conamp) e Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).


Outra manifestação por escrito foi feita pelo Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Goiás (Sindsemp), que também publicou nota de repúdio em relação ao atentado.


(Texto: Ana Cristina Arruda – Fotos: João Sérgio/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO).

segunda-feira, 26 de março de 2012

"Roger e Leo" lança CD no dia 14 de abril. Caravana sairá de Campos Belos para ver o show




A dupla sertaneja ROGER E LEO lança, no próximo dia 14 de abril, o mais novo CD dos cantores.

O show de lançamento vai ocorrer na casa Dom Quichopp, em Águas Claras, Distrito Federal. 

Duplas e cantores terão participação especial no show, como Fred & Anry, Marcos & Gustavo, Willyam Pierro, Léo & Bruno e Trio Bailão de Minas.

O destaque do CD é a música “Livre para Voar”, com a participação de Maida e Marcelo. A dupla já vem trabalhando a trilha junto a rádios e emissoras de TV e promete que vai "pegar". 

Roger, um dos cantores da dupla, é natural de Campos Belos e manda um "recadinho" para os conterrâneos da cidade. “Venha a Brasília participar deste momento muito especial da dupla. A festa vai ser boa demais”, avisa Roger.

Uma caravana da cidade já está prevista para vir ao Dom Quichopp no dia do show da dupla.


Então, anote em sua agenda, dia 14 de abril, a partir das 22h.

domingo, 25 de março de 2012

Vá com Deus João Mineiro

Esta semana foi dura para nós, educados nos anos 80. Perdemos o nosso grande Chico Anísio, o "véi de Maranguape". Hoje mais uma perda, aos 76 anos, João Mineiro, da saudosa dupla sertaneja João Mineiro e Marciano.

Se você curtiu a dupla, relembre "Viola está chorando", na tela abaixo. No canal Youtube há uma página exclusiva da dupla.




Greve dos professores: justiça cobra explicações


O Governo do estado de Goiás tem 72 horas para se manifestar à justiça sobre as leis estaduais que achataram ilegalmente a carreira dos educadores da rede estadual, quando incorporaram as gratificações de titularidade ao vencimento dos trabalhadores.

A decisão foi proferida na sexta-feira passada, 23, pela justiça, que somente depois de ouvir o estado, decidirá sobre a ação civil pública representada pelo Sintego (Sindicato da Categoria).

Enquanto isso, a greve continua.  Uma das reivindicações da categoria é a volta da titularidade, uma gratificação para especialistas, mestres e doutores, que segundo os professores, foi retirada pelo governo. A greve já dura mais 40 dias.  

sábado, 24 de março de 2012

Atentado contra promotor deixa Goiânia perplexa e mexe até com presidência da República

Carro do promotor ficou abandonado na estrada

Goiânia está perplexa com o atentado sofrido pelo promotor de justiça de São Domingos, nas imediações da cidade de Campos Belos, nordeste do estado.

Na esfera federal o clima também é de perplexidade.  

Na próxima segunda-feira uma  comissão da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em Brasília, vai a Campos Belos acompanhar as investigações.

Os delegados que participam das investigações já classificaram o atentado como ato de terrorismo.

Na manhã de hoje viajaram para acompanhar o caso de perto o procurador geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, o coordenador do centro de Apoio Operacional Criminal e da segurança Pública, Bernado Boclin Borges, o chefe de gabinete da procuradoria-geral, Lauro Machado, e o presidente da Associação Goiana do Ministério Público, Alencar José Vital, que são promotores.

Eles se juntarão hoje aos promotores ligados diretamente à investigação e demais autoridades da Segurança Pública incumbidas do caso que já estavam na região.

Integrantes do MP também já estavam na área, saídos de Goiânia e de Belo Horizonte, onde ocorria um encontro de promotores da área de combate ao crime organizado.

A força-tarefa foi montada no mesmo dia do atentado, reunindo promotores e agentes do centro de Segurança, Inteligência e Informação; do Grupo de Atuação especial de Combate a Organizações Criminosas e das diferentes polícias.

A posição do procurador-geral de justiça foi de reação firme do MP ao ataque sofrido pelo promotor: “ Se o Ministério Público vinha incomodando na região, agora incomodará ainda mais. Como Procurador-geral estarei no comando da reação porque este foi um atentado a todos os promotores de Justiça, a toda  nossa instituição”, declarou o procurador-geral.  

Caso promotor: Associação Goiana do Ministério Público lança nota de repúdio


Nota de Repúdio

A Associação Goiana do Ministério Público – AGMP , entidade de classe que congrega os Promotores e Procuradores de Justiça do Estado de Goiás, vem a público REPUDIAR o atentado contra a vida do Promotor de Justiça Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, ocorrido na manhã desta quinta-feira, dia 22 de março de 2012, nas proximidades da cidade de São Domingos-GO.

A agressão praticada contra o membro do Ministério Público afronta o profissional e seus familiares, bem como a Instituição e a própria sociedade, destinatária de sua atuação firme e destemida em defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais.

Fatos como este não abalam nem intimidam os membros do Ministério Público no exercício de sua missão constitucional.

Ao contrário, reforçam o ideal de intransigente busca por justiça.

A AGMP acompanha a elucidação do crime e a responsabilização rigorosa de todos os envolvidos. Ao promotor de Justiça atacado, esta entidade de classe itera irrestrito apoio e solidariedade.


Fotos exclusivas do carro do promotor no local do atentado






A caminho da cidade de Campos Belos, a cerca de 12km do povoado Porteiras, município de Divinópolis de Goiás, o veículo foi alvejado a tiros por um  indivíduo utilizando capacete.

A polícia militar de Divinópolis de Goiás foi comunicada pelo morador local, Pedro Henrique,  que um automóvel,  marca fiat siena, estava abandonado na estrada.  

Ele disse também  que as duas portas estavam furadas de bala e uma capa de revolver jogada no chão ao lado da porta do passageiro.

A polícia militar de Divinópolis chegou momentos depois, comandada pelo sargento Cardoso e acompanhado do soldado Aldeni e cabo Cirineu.

Os militares constataram que não havia ninguém,  nem marcas de sangue e logo perceberam que se tratava do carro do promotor de justiça da cidade  de São Domingos.  

De imediato  fez-se uma comunicação à  polícia militar de Campos Belos.

Depois de buscas no intuito de localizar o promotor nas imediações do veículo, somente por volta das 18h a guarnição da polícia militar, comandada pelo cabo Donizete, encontrou o representante do Ministério Público, em uma estrada vicinal,  cerca de 5km do local. 

O promotor estava cansado e molhado.

Ele foi conduzido à casa de saúde de Campos Belos, onde permaneceu até o dia seguinte. 

Polícia reconstitui tentativa de homicídio a promotor de Justiça



A Polícia Civil realizou na última sexta-feira (23) a reconstituição da tentativa de assassinato ao promotor Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, de 39 anos, ocorrida entre os municípios de Campos Belos e São Domingos,  na última quinta-feira (22). 


No caminho precário e quase deserto, a equipe de força-tarefa realizou todos os procedimentos que irão contribuir nas investigações. 


Uma equipe da TV Globo/Anhanguera acompanhou a reconstituição. Assista à matéria...

“As investigações estão ocorrendo muito bem. Está comprovado que se trata realmente de uma tentativa de homicídio. 


E, além disso, a situação encaixa-se em um ato de terrorismo, pois, é uma espécie de atentado à democracia e ao Estado de Direito”, explica o delegado responsável pelo caso, Vicente Paulo de Oliveira.

Segundo a polícia, o promotor contou que no momento em que ocorreu a tentativa de assassinato ele estava sozinho.


Então, um homem que estava de capacete caiu da mata e atirou pelo menos três vezes contra o veículo dele. Porém, nenhum dos disparos o atingiu. 


Logo em seguida, ele abaixou-se, abriu a porta do passageiro e ainda consegui revidar os tiros até espantar o suspeito.

Assustado, o promotor conseguiu correr no meio da vegetação e foi encontrado somente a 5 km de onde teria passado pela emboscada.


 “Quando a pessoa está perdida ele tende a andar em círculo, mas a gente não sabe quanto tempo exatamente ele ficou andando. 


Porém, o encontramos sem ferimentos e com o nível de adrenalina muito alto”, relata o comandante da Polícia Militar de Campos Belos, Leandro Carvalho.


Texto e imagens do Portal G1






sexta-feira, 23 de março de 2012

Equipe da TV Globo/Anhanguera segue os passos da investigação

Uma equipe da TV Globo/Anhanguera está em Campos Belos, seguindo passo a passo as investigações para encontrar os pistoleiros.

Na noite desta sexta-feira, o Jornal Anhanguera deu ampla cobertura ao caso do promotor de São Domingos.

Goiânia está mobilizada e perplexa com a tentativa de assassinato do promotor que investiga, principalmente, crimes ambientais.

Veja a matéria desta noite do Jornal Anhanguera, com a repórter Gioavanna Dourado.

"Nenhum pistoleiro vai calar o Ministério Público"

Procurador-Geral do Ministério Público de Goiás, Benedito Torres




A força-tarefa que investiga o atentado ao promotor Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, de 39 anos, fará a reconstituição do crime.


A tentativa de assassinato aconteceu na manhã de quinta-feira (22), entre as cidades de São Domingos e Campos Belos, no norte de Goiás.



Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (23), o procurador de Justiça Benedito Torres falou da reconstituição, mas não fixou uma data para a produção da prova pericial.



Segundo Torres, outra força-tarefa, composta por 10 promotores, dará continuidade ao trabalho do promotor na região.



Douglas ficará de licença por pelo menos uma semana, para se recuperar do estresse causado pela tentativa de homicídio.



"Nenhum pistoleiro vai calar o Ministério Público", disse Benedito Torres, em entrevista coletiva.



O promotor da comarca de São Domingos atuava principalmente no enfrentamento de garimpos, madeireiras e carvoarias.



Por telefone, o promotor contou à reportagem da TV Anhanguera como foi a emboscada.



Ele seguia de São Domingos para uma reunião em Campos Belos por uma estrada de chão, quando, de repente, um homem apareceu na margem da pista e começou a atirar.



"Eu consegui sair pela outra porta do carro e me embrear no mato. Aí eu fiquei circulando até que foi encontrado pela Polícia Militar", contou.



Nesta sexta-feira, Douglas prestou depoimento no fórum de Campos Belos, de onde saiu escoltado.



De lá, ele seguiu para a estrada vicinal onde ocorreu a tentativa de assassinato, a cerca de 40 quilômetros de São Domingos, onde sérá feita a reconstituição do crime.



Matéria do Portal G1 Goiás. 

TV Globo está em Campos Belos para acompanhar caso do promotor



Uma equipe de reportagem da TV Globo está em Campos Belos, acompanhando a grande repercussão do atentado de morte contra o promotor da cidade vizinha de  São Domingos.


Veja a matéria veiculada na manhã de hoje em Goiânia

Em GO, promotor vítima de atentado deixa hospital e vai a reunião com MP


O procurador-geral da Justiça de Goiás Benedito Torres, o chefe de gabinete da Procuradoria-Geral, Lauro Machado, e dois promotores de Goiânia foram na manhã desta sexta-feira (23) para Campos Belos, no norte de Goiás, a 484 km de Goiânia.


Eles visitaram o promotor Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, de 39 anos, antes de sua saída do hospital. 

O promotor foi vítima de um atentado na quinta-feira, 22, quando trafegava pela rodovia GO-110.


Ao deixar o hospital, o promotor participou de uma reunião no fórum com os representantes do Ministério Público de Goiás e policiais militares.


Essa reunião marcou o início do trabalho pela busca de suspeitos de atentarem contra a vida de Douglas Chegury. 

Policiais militares de Goiânia também foram até a cidade para reforçar o trabalho na região.


Sete delegados da Polícia Civil se reuniram com o comando da Polícia Militar e o superintendente da Polícia Judiciária de Goiás.


O carro em que o promotor estava quando sofreu o atentado foi levado para o município de Formosa, onde deve passar por uma perícia nesta tarde.


Emboscada



O promotor de Justiça da comarca de São Domingo sofreu um atentado na quinta-feira (22). 

O carro onde ele estava foi atingido por vários tiros na GO-110, entre Campos Belos e São Domingos, próximo à divisa de Goiás com o Tocantins.


De acordo com o Ministério Público, o promotor Douglas Chegury está no MP há um ano e desde então, tem sido atuante.


Ele desenvolve um trabalho de combate aos crimes ambientais na região, com diversas medidas relacionadas a desmatamento ilegal e carvoarias. 

Também integra a articulação para criar um projeto especial do ministério para o nordeste goiano.




Com informações do Portal G1.
 

Associação de juízes diz que atentado contra promotor é também contra o estado democrático de direito



O juiz Gilmar Luiz Coelho, presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (ASMEGO), se solidariza com o promotor de Justiça de São Domingos de Goiás, Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury, seus familiares e demais membros do Ministério Público (MP) em Goiás, em face do atentado contra o promotor ocorrido na tarde desta quinta-feira.


Para o presidente da ASMEGO, o atentado contra Douglas Roberto é um atentado contra o Estado Democrático de Direito e atinge a todos os operadores do Direito.



“A Associação dos Magistrados do Estado de Goiás presta sua solidariedade e apoio ao promotor de Justiça, à sua família e amigos e aos demais integrantes do Ministério Público goiano, instituição honrada e parceira da ASMEGO.



A associação se coloca também à disposição do órgão para colaborar com o que for necessário para que o atentado contra o promotor Douglas Roberto seja esclarecido o mais rápido possível e seus autores, punidos”, frisa o juiz Gilmar Luiz Coelho.



Douglas tem 39 anos e integra o MP-GO há um ano. Ele foi agente da Polícia Federal e delegado da Polícia Civil do Distrito Federal. Aprovado em concurso para promotor do MP-GO, assumiu o cargo em 13 de junho de 2011.



Tem sido um promotor bastante atuante, desenvolvendo um trabalho na região de São Domingos de Goiás para o combate aos crimes ambientais com diversas medidas relacionadas a desmatamento ilegal e carvoarias.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Promotor de São Domingos sofre atentado




Uma força-tarefa reunindo promotores e agentes do Ministério Público de Goiás (MP-GO) lotados no Centro de Segurança, Inteligência e Informação (CSI); do Grupo de Atuação Especial de Combate a Organizações Criminosas (Gaeco); das Polícias Federal, Civil e Militar, está empenhada em esclarecer um atentado a tiros sofrido nesta quinta-feira, 22,  pelo promotor de Justiça de São Domingos de Goiás, Douglas Roberto Ribeiro de Magalhães Chegury.

Por volta das 12 horas, o veículo em que Douglas viajava para uma reunião na Regional de Saúde de Campos Belos, foi alvejado várias vezes na estrada, mas ele escapou do veículo, um Siena, se escondeu na mata até encontrar apoio, muitos quilômetros depois do local da emboscada, cerca de 40 quilômetros antes de Campos Belos. 

O carro foi encontrado por policiais que informaram os promotores André Luís Ribeiro Duarte, de Campos Belos, e Julimar Alexandro da Silva, de Alto Paraíso de Goiás, que aguardavam Douglas para a reunião. Desde então iniciaram buscas na região.

No final da tarde o promotor foi encontrado com ferimentos leves. Douglas, de 39 anos, integra o MP-GO há um ano. 

Ele foi agente da PF e delegado da Polícia Civil do Distrito Federal. Aprovado em concurso para promotor do MP-GO, assumiu o cargo em 13 de junho de 2011. 

Tem sido um promotor bastante atuante, desenvolvendo um trabalho na região para o combate aos crimes ambientais com diversas medidas relacionadas à desmatamento ilegal e carvoarias. 

Também integra a articulação para criar um projeto especial do MP para o Nordeste Goiano, visando representar a sociedade local nos problemas comuns entre os municípios.

Apuração imediata

O procurador-geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres Neto, e sua equipe assessora estiveram mobilizados durante todo o período em que o promotor esteve desaparecido, articulando com autoridades da Segurança Pública de Goiás e da União, em busca de informações precisas e para a adoção das medidas necessárias visando identificar e punir os autores do atentado. 

O coordenador do CSI, promotor José Carlos Nery, foi designado pelo PGJ para acompanhar a apuração no local da agressão ao promotor.


Nesta sexta-feira, o procurador-geral e assessores cancelaram todos os compromissos e vão ao Nordeste Goiano acompanhar de perto as investigações, o que foi informado às 20 horas pelo PGJ pessoalmente ao promotor, quando conseguiu conversar pelo celular com Douglas.


O ataque terá uma reação firme do MP, destaca Benedito Torres:

 “Se o Ministério Público vinha incomodando na região, agora incomodará muito mais. 

Como procurador-geral estarei no comando da reação porque este foi uma atentado a todos os promotores de Justiça, a toda nossa instituição”, declarou. 

Em 16 de fevereiro passado nós publicamos  matéria sobre o promotor - Promotor recusa a senta-se à mesa com a Agetop

(Texto: Marília Assunção – Foto: João Sérgio / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Os professores merecem respeito



Por Dinomar Miranda, 

Brasília - Há um mês os professores de Goiás entraram em greve. 

Desde segunda-feira passada, 12, os professores da rede pública do Distrito Federal e agora a Confederação Nacional dos Trabalhadores da educação convoca uma greve geral para todo o país.

Na manhã desta quinta-feira (15), cerca de 15 mil trabalhadores em educação de todo o Mato Grosso do Sul, segundo estimativas da Polícia Militar, participaram de uma passeata pelas ruas do centro de Campo Grande. 

A mobilização, organizada pela Federação dos Trabalhadores em educação de Mato Grosso do Sul, superou as expectativas de 10 mil trabalhadores, divulgada anteriormente.

O que eles querem? simplesmente a  valorização da profissão.

É inadmissível para um país, que está prestes a entrar para os “grandes” do mundo, tratar com tanta irresponsabilidade o bem mais precioso de qualquer nação: o valor humano.

O professor em nosso país trabalha mais do que o triplo em comparação aos trabalhadores “comuns”.

Antes de irem para a sala de aula, preparam o assunto na noite anterior. 

No dia seguinte cumprem uma jornada estressante e exaustiva de mais de oito horas na prática do ensino. Outras tantas horas gastam  em casa corrigindo provas, tarefas, produzindo relatórios.

Ainda têm aqueles que, para aumentar um pouco mais  a renda,  estendem a rotina para a parte noturna.

Não esquecendo da grande maioria que se mata em especialização, mestrado, doutorado  ou pós-doutorado, na ânsia constante do aperfeiçoamento.  

E para esta fatigante rotina nos rincões do Brasil percebem, em média,  menos do que  dois mil  reais por mês, convivendo com toda a falta de estrutura escolar  e a corrupção desenfreada de prefeitos e secretários.

Mês passado foi definido o piso nacional do magistério em R$ 1.451. Ou seja, nenhum professor país a fora pode ganhar menos do que isso.

Porém, a malandragem dos governadores e gestores escolares é obscena.

Eles estão tirando as gratificações por função e especialização, o que teoricamente  mantém os salários como estão, tudo sob o pano de fundo de não estourar o orçamento.

É contra isso tudo que os professores do Brasil estão lutando neste momento.

Um país que possui uma das maiores economias do mundo, tido como celeiro do planeta e  preste a ser potência mundial, não pode se dar ao luxo de negligenciar criminosamente a educação de seu povo, notadamente os mais jovens.

E nesta oportunidade é necessário enfatizar a urgência de uma escola integral para todos os alunos.

Só a educação é capaz de diminuir a violência, de aumentar o nível de cidadania e de democracia, de aumentar o poder de renda e propiciar a  mobilidade social.

Só a educação é capaz de dar uma alforria aos menos afortunados.

A questão salarial dos profissionais e a reestruturação da gestão escolar são dois caminhos indispensáveis para se começar a trilhar o caminho de uma educação decente e coerente com este novo país que se avizinha.

De Campos Belos (GO): Escolinha K10 mede forças com o Goiás e Atlético Goianiense

Por Morgana Tavares, A Escolinha de Futebol K10, presidida pelo ex-jogador de futebol profissional Kássio Fernandes, compareceu pe...