quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Começam as obras de reconstrução da GO-118



A reconstrução da rodovia GO -118, que liga o Distrito Federal a Campos Belos, nordeste de Goiás, foi iniciada.




A empresa responsável por um dos trechos, entre a divisa do DF e São João da Aliança, já concluiu cerca de 10 km. O asfalto antigo está sendo removido, com nova terraplanagem, e recomposto o piso no modelo “à frio”.




Este primeiro trecho possui cerca de 140 km, com previsão de conclusão das obras em 6 meses. A placa do governo afirma que serão gastos, neste primeiro trecho, cerca de 20 milhões de reais.




Porém, a Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) nada informou sobre a reconstrução dos outros 380 km de rodovia até Campos Belos.




A Agetop silenciou-se em relação ao trecho entre Teresina de Goiás e Campos Belos, o mais deteriorado e absurdamente mais abandonado pelo Governo Estadual e não o determinou como crítico.




A data, tempo, valor e quando darão atenção a esse trecho nem foram ventilados.






A Agetop especificou na terça-feira passada, 1º de novembro, quais os pontos críticos que receberão reparos e obras emergenciais nas rodovias estaduais.




De acordo com o órgão as obras vão permitir o escoamento da produção e a movimentação de veículos. A primeira etapa de obras do Programa Rodovida Reconstrução, dos mais de 1.500 quilômetros, começa nos próximos dias.




A Agetop  diz que até o final deste ano, dependendo da intensidade das chuvas, todos os segmentos apontados como críticos receberão algum tipo de intervenção.


Informa, também, que deseja garantir que os produtores não tenham prejuízos e perdas maiores na produção agropecuária.


O diretor institucional secretário da Faeg, Bartolomeu Brás Pereira, disse que há máquinas trabalhando, mas ainda não é suficiente para atender todos os trechos, que segundo ele “estão bastante precários”.


Sobre os produtores goianos, Bartolomeu disse que estão tendo prejuízo.




“Nós transportamos nossos insumos agrícolas nesse início de safra com uma dificuldade muito grande, pois o frete está mais caro. O que acaba gerando um custo maior que também atinge o consumidor”, explica Bartolomeu.


O vice-presidente da Agetop, Adriano Rodrigues, disse que pretendem concluir o máximo de trechos que foram apontados pelo relatório elaborado pelos sindicatos rurais, pelo menos 1000 km.




Segundo o governo serão três patrulhas, contendo patrolas, caminhões e veículos para intervenções em rodovias.


Uma equipe será instalada em Jataí para atender cerca de mil quilômetros de rodovias pavimentadas na região Sudoeste.


Outras duas patrulhas estarão localizadas em Goiânia para atender as demais regiões do Estado.




Adriano disse que as patrulhas vão atuar nos períodos de chuva intensa, para que não haja interrupção de tráfego.


A partir do ano que vem a Agetop pretende, junto ao financiamento do BNDS, retomar o asfaltamento das rodovias.


A meta é concluir a reconstrução de 6 mil quilômetros de rodovias estaduais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.