quarta-feira, 29 de junho de 2011

Escola integral: um pedido de socorro

Escola integral é solução 
Por Dinomar Miranda 

É inequívoco o crescimento social e econômico do Brasil nos últimos dez anos. 

Enfim, há uma maior divisão do bolo, como desejavam os velhos economistas. Uma divisão ainda injusta, é verdade, mas há uma melhor distribuição da renda. 

Entretanto, nosso país está se esbarrando numa necessidade das mais urgentes e inadiáveis: a melhoria na educação e instrução de seu povo, tanto em quantidade de horas-aulas, quanto em qualidade e eficiência. 

Em 1996, quando eu ainda morava em Recife e esperava a burocracia de um emplacamento de um automóvel no Dentran local, observava o corre-corre de dezenas de crianças de uma localidade vizinha à repartição. 

Eram crianças pobres de uma comunidade chamada de "favela do Detran".  Era quase dez horas da manhã, e aquela rua "coalhava" de crianças  no vai e vem da infância, driblando as valas de esgotos que serpenteavam as vielas.  

Todas ociosas  e a espera de uma oportunidade, seja ela do bem e do mal. 

A grande maioria tinham entre 6 e 10 anos. Cabeça fértil a espera de serem cultivadas e germinadas.

E infelizmente, a oportunidade que se apresentava não era nada interessante: pais ausentes, Estado falho, escola maltrapilha, bandidos exemplares, drogas, tráfico, roubos, assaltos, malandragem.... tudo que a “rua” pode oferecer.

Naquela hora, veio-me à cabeça o que se poderia fazer para "salvar" aquelas crianças do destino tão trágico que se desenhava. 

A única solução vislumbrada naquele instante era uma fórmula tão velha, mas inquietantemente, a mais eficiente: educação.

Só uma estrutura escolar, em regime integral, seria capaz de mudar o destino nada agradável estendido àqueles pequenos brasileiros. 

Cheguei a comentar, com a pessoa que me acompanhava, dos benefícios de uma escola integral.

Todas aquelas crianças teriam quatro refeições diárias; educação regular em um dos turnos e no seguinte atividades lúdicas, como esporte, lazer, cultura, música, teatro e mais do que isso, teria a oportunidade de conhecer um  mundo diferente daquele. 

Abateu-me a alma o pesar, que persegue-me até hoje, de não poder fazer nada, absolutamente ou quem sabe alguma coisa. Mas nada fiz.

Um pesar que continua a me atormentar e que passava em brancas nuvens na consciência ética de quem tinha a obrigação de desenhar  uma vida melhor para os pequeninos.

Quem  deveria pensar em educação integral, não achava a mesma coisa ou não tinha peito suficiente para implantá-la em todos os bairros e em todos os municípios do país. 

Quinze anos se passaram.

A pergunta óbvia não se cala. 

E aquelas dezenas de crianças eternizadas em minha memória? Como estão?   

Hoje são adultos, entre 20 e 25 anos. 

Quais os destinos de cada uma?

Não as conheci pessoalmente, mas arrisco-me a dizer que muitas delas estão hoje, senão a maioria, ocupadas no subemprego, envolvidas com o tráfico de drogas local ou hospedadas nos presídios do estado.  

Quanta diferença teria feito a escola integral na vida dessas crianças.    

Presidenta Dilma, salve nossas crianças. Implante o mais rápido possível a escola integral em todos os cantos deste país. 

Não é difícil.  

Dinheiro há de sobra. Invista hoje nos pequenos e diminua, no futuro, tanto sofrimento social.

Dizem que o Brasil é hoje o país do presente, a terra do pré-sal, celeiro do mundo. Mas do que adianta, se não é competente nem mesmo para instruir seus filhos.   

2 comentários:

  1. A escola integral é uma peça-chave para uma construção de uma educação construtivista e democrática. Todavia, há um porém.Nossos governantes investem pouco na educação e esse pouco é mal empregado.Uma educação integral neste âmbito é inviável, pois a alfabetização nesta tende a ser irrisório e castrador daquilo que Paulo Freire chama de pedagogia da autonomia.

    ResponderExcluir
  2. Seria um bom passo rumo á instrução decente que tanto se almeja! Vou twittar... gostei, Dinomar!

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.

De Campos Belos (GO): Escolinha K10 mede forças com o Goiás e Atlético Goianiense

Por Morgana Tavares, A Escolinha de Futebol K10, presidida pelo ex-jogador de futebol profissional Kássio Fernandes, compareceu pe...