sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Vice-Governador adia viagem ao nordeste goiano

Vice-Governador de Goiás 
Segundo informações do Goiás Agora, órgão oficial de informações do governo de Goiás, em função de compromissos na agenda, o vice-governador e presidente da Celg, José Eliton, adiou viagem que faria às cidades de Alto Paraíso, Campos Belos e Posse no próximo dia 3. 


Ainda segundo o site do governo, não há data definida para a remarcação. 


As visitas aos municípios do nordeste do Estado servirão para analisar as necessidades da região e empossar integrantes de cargos públicos.


A notícia foi divulgada às 12h30 desta sexta-feira (28 de janeiro). 

É hora do prefeito Sardinha "escancarar" a casa à comitiva do governo central do estado


No lixão, a usina de reciclagem foi completamente abandonada

Por Dinomar Miranda - Brasília/DF

O prefeito de Campos Belos, Sardinha, que nos últimos anos tem demonstrado disposição para resolver alguns gargalos no município, a exemplo da vergonhosa falta de magistrados na Comarca, tem mais um grande desafio pela frente.


No próximo dia 03 de fevereiro, quinta-feira, o vice-governador de Goiás e presidente da Celg (Centrais Elétricas de Goiás), José Eliton, lidera uma caravana que visitará três cidades da região Nordeste, a mais carente de Goiás, dentre elas Campos Belos.

O vice-governador vai acompanhado dos secretários mais importantes do novo governo de Goiás: saúde, Antonio Faleiros, da segurança pública, João Furtado, educação, Thiago Peixoto, da infraestrutura, Wilder Pedro Morais e do presidente da Agetop, Jayme Rincon.

É uma oportunidade ímpar para que Campos Belos reivindique maior atenção do poder central do estado e mostre os principais problemas, muitos deles há mais de 20 anos na fila de espera.

Os secretários que vão a Campos Belos representam as áreas das mais carentes da cidade.

O secretário de saúde, Antonio Faleiros, vai encontrar o hospital municipal com poucos leitos e, principalmente, necessitando de especialistas ( genicologistas, oftalmologistas, obstetras, psiquiatras, neurologistas).

É necessário mostrar à comitiva do governo o quão é pequeno o hospital para receber pacientes da cidade e de todas as regiões circunvizinhas .

Aumentar a estrutura do hospital municipal é urgentíssimo.

Outra área onde Sardinha pode barganhar projetos e verbas públicas com a visita é a infraestrutura.

Campos Belos ainda não é urbanizada.

O asfaltamento e a iluminação pública são precários.

Esgotamento sanitário ainda é privilégio de poucos.

Ruim mesmo é o estado da rodovia GO-118. Bem que a comitiva poderia deixar o conforto da aeronave e percorrer o nordeste goiano por suas rodovias.

Sentiriam na pele as auguras cotidianas de quem transitam por elas.

Outra questão mal resolvida e pouco comentada é o destino dos resíduos sólidos, o famoso lixão.

Recentemente publicamos aqui no blog a precariedade do aterro sanitário municipal e sobre a irresponsabilidade que alguns gestores municipais antecessores dispensaram ao problema.

Social e ambientalmente, o lixão de Campos Belos é uma irresponsabilidade política das mais perversas com a sua população.

Espero que dê tempo de Sardinha levar o nobre Secretário Wilder Pedro Morais ao lixão do município.

Outros links:

Catador vive agonia do desemprego em pleno aterro sanitário

Usina de reciclagem “apodrece” em Campos Belos

Casa de Saúde afirma que lixo jogado no aterro sanitário não é da Instituição

Lixo hospitalar é jogado sem nenhum tratamento no “aterro sanitário” de Campos Belos

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Vice-governador comanda primeira ação de governo no Nordeste goiano, região mais pobre do estado

Primeira ação: atenção à região mais pobre do estado

O vice-governador de Goiás e presidente da Celg (Centrais Elétricas de Goiás), José Eliton, lidera uma caravana que visitará três cidades da região Nordeste, a mais carente de Goiás, no próximo dia 03 de fevereiro.

Às oito horas da manhã, José Eliton, acompanhado dos secretários estaduais da Saúde, Antonio Faleiros, da Segurança Pública, João Furtado, da Educação, Thiago Peixoto, da Infraestrutura, Wilder Pedro Morais e do presidente da Agetop, Jayme Rincon, estará em Alto Paraíso para ver de perto as carências da cidade e região.

Durante a permanência no município, a comitiva visitará órgãos públicos como escolas, delegacias e escritórios da Celg e fará vistoria a obras que estão paralisadas.


A ação de governo prossegue no período da tarde em Campos Belos, onde as autoridades seguem a mesma sequência de visitas.

O dia de trabalho no Nordeste Goiano se encerra em Posse, cidade onde José Eliton viveu desde a infância.

Eu sua visita, o vice-governador dará posse coletiva aos integrantes de cargos públicos.

Entre eles, os comandantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e o diretor da Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) .

Em seguida José Eliton fará um balanço das visitas reforçando o compromisso do governo de adotar medidas urgentes para sanar os problemas e alavancar o desenvolvimento da região, uma das mais carentes de Goiás.

Cidades

Alto Paraíso - Distante 423 quilômetros de Goiânia, recebeu esta denominação por estar no ponto mais alto do Planalto Central e devido à beleza da paisagem.

O município é um dos mais procurados de Goiás, por turistas de várias localidades do país, graças à natureza exuberante e atraentes opções de lazer.

Alto Paraíso é uma cidade mística, pois o paralelo 14 que atravessa a lendária cidade de Machu Pichu, no Peru, também passa sobre Alto Paraíso, em um local denominado Jardim Zen.

Alí, pedras e flores compõem um cenário místico, originando fantásticas histórias sobre a região.

As mais comuns são sobre discos voadores e seres extraterrestres.

Alto Paraíso é considerada por espiritualistas de todo mundo como a capital do terceiro milênio.


Na região está o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, uma importante reserva ambiental.

Foi criado pelo decreto federal nº 49.875, de 11 de janeiro de 1961. A entrada principal do parque é o distrito de São Jorge.

Outra atração da Chapada dos Veadeiros são as várias espécies de flores (principalmente orquídeas) e animais, além de belíssimas cachoeiras formadas pelo Rio Preto, que atravessa o parque.


Campos Belos -  Com pouco mais de 18 mil habitantes, a cidade fica a 596 quilômetros da capital do estado (Goiânia) e a 400 quilômentros de Brasília (capital federal) e despontou com os garimpos de ouro nos municípios de Arraias e Monte Alegre.

O nome da cidade foi escolhido por Frei Domiciano, missionário da época, encantado com os vastos campos que cobriam a região, batizou o local com o nome de Campos Belos.

Cercada por montanhas de todos os lados a cidade relativamente nova cresceu baseando-se na pecuária.

Hoje o comércio  ocupa cada vez mais espaço no seu cenário econômico.

Atendendo o mercado consumidor em diversos ramos, esse setor alimenta o crescimento da cidade.

Campos Belos é a segunda maior cidade da região nordeste do estado, e, apesar da pouca população, o município ostenta o posto de pólo econômico da região, atendendo vasta área do norte de Goiás  e sul do Tocantins.

Cerca de 100.000 pessoas das cidades vizinhas de Campos Belos dependem de seus serviços.

Obras de infraestrutura realizadas nos últimos anos melhoraram a qualidade de vida de sua população, mas o munícipio ainda é muito carente de em serviços públicos, a exemplo de urbanização e saneamento básico.


Posse - A cidade de Posse deve sua formação ao trabalho de migrantes nordestinos que fugiam da seca e buscavam terras férteis, no século 19.

Entre os pioneiros também estavam portugueses, argentinos e paraguaios.

O povoado recebeu o nome de Posse devido ao fato de os habitantes se apoderarem da faixa de terras à margem do córrego Passagem do Gerais, em 1830.

Posse, com cerca de 30 mil habitantes, está a 503 quilômetros de Goiânia.



Com informações da Gerência da Assessoria de Imprensa da Vice-governadoria

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Polícia prende suspeito de matar o prefeito de Alto Paraíso

Ary Abadi Garcês, suspeito do crime
A polícia prendeu, na noite de quarta-feira (19/1), o marceneiro Ary Abadi Garcês, 55 anos, suspeito de matar o prefeito de Alto Paraíso (GO), Divaldo William Rinco, no dia 2 de setembro de 2010.

O marceneiro foi localizado e preso em Belo Horizonte (MG). O caso estava sendo investigado pela Polícia Civil de Goiás.


Segundo o delegado-chefe da Comunicação da Polícia Civil de Goiás, Norton Luiz Ferreira, a polícia já estava monitorando Ary pelo serviço de inteligência.

Por isso, policiais civis de Goiás foram enviados até a cidade mineira e conseguiram realizar a captura com a ajuda do efetivo de Minas Gerais.


O diretor-geral da Polícia Civil de Goiás, Edmundo Dias de Oliveira Filho, viajou, nesta manhã de quinta-feira (20/1), para Belo Horizonte. Ary deve ser apresentado primeiro em Minas Gerais.

O delegado Norton Ferreira explicou que antes de ser transferido para Goiás, a polícia terá que conseguir uma autorização na Justiça, que já está sendo negociada.


Memória

O prefeito de Alto Paraíso, cidade a 230km de Brasília, foi assassinado com três tiros às 22h50 de 2 de setembro, no bairro Cidade Alta.

O crime teria sido motivado pela rivalidade política no município que ficou exposta depois de uma vitória apertada de Divaldo Rinco (PSDB) nas últimas eleições municipais em 2008.

Divaldo venceu o oponente, Uiter Gomes de Araujo (PP), por uma diferença de 114 votos.

Divaldo conversava sobre política com o vice-prefeito, Alan Gonçalves Barbosa, o gerente de esportes do município, conhecido como Serginho, e com o major da reserva da Polícia Militar José da Cruz Batista. Após o bate papo Divaldo se despediu dos colegas e foi abordado por Ary.
 
Quando os amigos de Divaldo deixaram o local, o prefeito foi atingido pelo disparos que causaram sua morte.
 
Em outubro, a polícia havia divulgado a foto de Ary como principal suspeito de matar o prefeito.
 
Informações do Correioweb

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Mais uma do "jeitão" Dilma de governar


Sem alarde, uma alegre rotina que existe desde sempre para os ministros brasileiros foi proibida por Dilma Rousseff.

A partir de agora, nenhum deles poderá usar jatinhos da FAB para passar o fim de semana em seu estado.

Usualmente, os ministros marcam reuniões em sua cidade às sextas ou segundas-feiras somente para usufruir a mordomia.

Em sua esmagadora maioria, são reuniões tão relevantes quanto um jogo de futebol da terceira divisão.

Em 2009, um campeão da modalidade, Tarso Genro, então ministro da Justiça, fez mais de quarenta viagens para Porto Alegre em aviões oficiais.

O primeiro escalão de Dilma foi avisado: jatinho da FAB é só para compromisso de verdade.

Do contrário, que o distinto ministro se dirija ao balcão de uma companhia aérea.

Fonte: Veja

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Ex-ditador volta ao Haiti


Jean-Claude Duvalier, o "Baby Doc"

Baby Doc, com o pai, Papa-Doc
O ex-presidente do Haiti Jean-Claude Duvalier, conhecido pelo apelido de "Baby Doc", que governou o país entre 1971 e 1986, chegou neste domingo de surpresa a Porto Príncipe, em um voo da companhia Air France procedente de Paris.


Uma multidão recebeu o ex-ditador no aeroporto internacional Toussaint Louverture, onde chegou acompanhado de vários colaboradores pouco depois das 17h30 (horário local, (20h30 de Brasília), e foi amparado na sala diplomática, informaram emissoras locais.

Cerca de três horas após sua chegada, ele deixou o aeroporto, com destino desconhecido, em um veículo oficial com forte escolta de oficiais da Polícia e da Missão das Nações Unidas para a estabilização do Haiti (Minustah).

A notícia da presença de "Baby Doc" de novo no Haiti 25 anos após ser derrubado por uma revolta popular e no meio da crise que vive o país circulou pela capital e foi retransmitida ao vivo por várias emissoras de rádio.

Centenas de pessoas se reuniram no aeroporto, entre eles curiosos, outros que aclamaram o ex-governante e outros que aproveitaram para pedir o retorno do ex-presidente Jean Bertrand Aristide.

O retorno de Duvalier fez surgir perguntas na capital sobre o significado do retorno deste ex-líder, considerado, junto com seu pai, François, presidente entre 1957 e 1971, responsável por um regime que governou com mão de ferro, desprezo aos direitos humanos e corrupção.

Seus governos são considerados responsáveis pela morte de milhares de opositores e do desvio de recursos significativos do país durante 29 anos.

O presidente haitiano, René Préval, advertiu em 1997, durante seu primeiro mandato, que Duvalier seria preso se retornasse ao Haiti.

Comentaristas destacaram que não é possível imaginar que as altas autoridades do país não estavam conscientes das diligências de Duvalier para voltar ao Haiti, como também não as autoridades da França, onde se refugiou após ser deposto em 1986, e as dos Estados Unidos.

Um porta-voz da Polícia Nacional, no entanto, disse não saber que ação a corporação tomaria perante sua chegada.

Após a notícia de sua chegada aconteceu em Porto Príncipe um intenso fluxo de mensagens e ligações telefônicas entre cidadãos que se aconselhavam uns aos outros para manter uma atitude de prudência e manter a calma.


Duvalier chegou ao poder em 1971, aos 19 anos, após a morte de seu pai, François Duvalier, o "Papa Doc", que previamente o havia nomeado seu sucessor.

Após permanecer na Presidência do Haiti até 1986, teve que exilar-se perante o agravamento da situação no país caribenho, indo para a França, onde morou em várias localidades durante todos estes anos.
 
Com informações da Agência EFE

Dilma começa a impor seu estilo de Governo

Estilo durão começa a aparecer
Insatisfeita com o loteamento de cargos nas estatais do setor elétrico, a presidente Dilma Rousseff já acertou com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que fará uma varredura nos postos estratégicos das empresas do setor.

Uma fonte do PT revelou ao jornal O Estado de S. Paulo que a presidente eleita, quando convidou Lobão para retornar à pasta, impôs a condição de que fosse feita uma reorganização generalizada no setor, que é bastante estratégico para garantir o fornecimento de energia elétrica para sustentar o crescimento econômico brasileiro.

E que ele aceitou essa condição, mesmo sabendo que o PMDB corria o risco de perder postos importantes. "Ela ajustou isso como Lobão.

Ela vai acompanhar o setor elétrico com mão de ferro", afirmou a fonte.

Conhecida como "dama de ferro" do setor elétrico, por ter adotado um novo modelo na época em que foi ministra de Minas e Energia, no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Lobão sabia que, quando Dilma assumisse a Presidência, essa seria uma área prioritária.



(Com informações da Agência Estado)

sábado, 8 de janeiro de 2011

Quatro milhões de acesso na internet. "Vou Não, Minha Mulher Deixa Não" estoura no Recife e promete ser o ritmo do verão 2011

Amigos,


Acabo de retonar do Recife, onde fui passar Natal e as festividades de Ano Novo.


De lá, trago na bagagem um rítmo feito artesanalmente, na Praia de Maria Farinha, litoral norte do estado de Pernambuco, que tem contagiado milhões de internautas Brasil a fora.


O nome do hit é "Minha mulher não deixa não", que tomou conta das rádios da capital pernambucana e promete ser a música do verão 2011.


É simples, alegre e muito contagiante.  O clipe oficial já conta com mais 4 milhões de acesso na internet.


Até Ivete Sangalo cantou a música na virada de ano em Recife.


Também na capital pernambucana, Alexandre Pires revezou com o público os versos mais conhecidos da letra: “Vou não, quero não, posso não, minha mulher não deixa não”.


Uma rápida busca no YouTube revela ainda versões ao vivo em shows de Garota Safada e Aviões do Forró.


Se você nunca ouviu a canção que vem de lá da praia de Maria Farinha, pode ter certeza de que ainda vai ouvi-la com frequência nesse comecinho de ano.


“A dancinha é o que tá pegando”, brinca o cantor e compositor Reginho, como é conhecido Reginaldo Alves da Silva, 39 anos.




Ele é o criador do hit musical, que caiu rapidamente na boca do povo e nos dedos agitados dos internautas.


Veja abaixo o Clipe original do hit "Vou não, quero não, posso não, minha mulher não deixa não”.



Aviões do Forró foi rápido e também gravou - Vou Não, Minha Mulher Deixa Não

TV Globo Nordeste deu destaque e entrou na onda do hit