segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Rio de Janeiro importa estratégia militar do Haiti e a impõe por todo o Brasil

Militares cariocas ocupam o morro Chapéu Mangueira
Antes da chegada ONU bandos armados aterrorizavam o Haiti
No Haiti, crianças e adolescentes eram facilmente encontrados armados




Nesta segunda-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em evento na favela Dona Marta (zona sul do Rio), falou que o modelo das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), criado no Rio de Janeiro,  será implantado "nos próximos anos" em todo o país.

O presidente age acertadamente, pois o modelo das UPPs mudou o paradigma de combate ao narcotráfico nas favelas cariocas.

O Governo entendeu que a problemática que envolve as comunidades pobres do Brasil é mais do que um simples caso de polícia.   

Apreendeu o que muita gente falava e escrevia, que muito além da polícia o cidadão dos morros necessitava era da presença do Estado.

O Governador do estado do Rio de Janeiro tem muitos méritos  e teve coragem de enfrentar a bandidagem de forma eficiente e eficaz, diferentemente de governos anteriores, que, ao contrário, se aliou ao crime organizado.

Porém, o que pouca gente sabe é que este modelo de segurança pública foi copiado das Forças Armadas Brasileiras,  posto em prática em suas operações de manutenção de paz no Haiti.

A estratégia não tem nada de fenomenal. É apenas uma lógica de combate. 

Em Porto Príncipe, capital do Haiti, o teatro de operações dos Batalhões Brasileiros, todos os bairros eram, antes da chegada das tropas da ONU, bastiões de grupo armados e “habitat natural” das centenas de integrantes das mais variadas gangues.

Nos bairros haitianos, o Estado não tinha vez. A polícia não entrava e todos os serviços públicos não funcionavam, das escolas aos hospitais. Lá quem mandavam eram os bandidos, com uma peculiar imposição do terror.  

A estratégia dos militares brasileiros, diversas e reiteradas vezes elogiadas pelos staffs das Nações Unidas, era de fácil entendimento e, claro, muito eficiente.

Resumidamente, consistia na seguinte forma: depois estudado todo o perfil de determinada comunidade, terreno, população, grupos armados, tipos de moradias e  tantas outras informações, os militares desencadeavam as operações de ocupação de um local estratégico,  no coração da localidade, e lá impunha uma base de operações, chamada de Ponto Forte.

Do ponte forte, aos poucos, os militares iam ocupando todos os espaços. 

Depois  de escorraçar a bandidagem, começavam uma nova estratégia de combate, agora para angariar a simpatia e o coração das milhares de pessoas residentes da comunidade.

Provida a segurança, traziam assistência médica, alimento, reformas de escola, pequenos serviços de engenharia, alguns empregos e mais, propiciavam aos outros organismos das Nações Unidas a segurança necessária para a ajudar  a população  necessitada.

Em resumo, traziam a presença do Estado.
Entre 2004 , início das operações, e 2006  mais da metade dos bairros de Porto Príncipe estavam pacificados.

Em 2006, por exemplo, o 5º Contingente do Batalhão Brasileiro pacificou o bairro de Cité Militaire e a grande Cité Soleil, uma das maiores e a mais miserável favela da América Latina.   
O Haiti foi dado como pacificado, sem gangues armadas, já em 2008.
A estratégia dos militares brasileiros no Haiti foi importada para o Rio de Janeiro e, devidamente adaptada, virou  as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora).

Mais tarde, obviamente,  foi também devidamente cooptada  para o cenário político eleitoral.

Duvida?! então leia o que está escrito nos jornais de hoje.

"O que foi feito aqui, pelo governo do Estado do Rio, é um exemplo que está sendo seguido por outros Estados. E eu acho que é um exemplo que a gente vai conseguir implantar nos próximos anos em todo o território nacional", afirmou o presidente Lula.

A UPP é a principal bandeira do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), aliado de Lula candidato à reeleição. Durante o evento de lançamento do programa Rio Top Tour --para incentivar o turismo na favela--, o presidente evitou citar o nome de Cabral. Mas o mencionou indiretamente.

"Estou aqui hoje sobretudo por um pedido do governador que insistiu, há mais de 20 dias, que eu não poderia deixar de vir aqui inaugurar o começo desse programa", disse Lula.

O evento contou com a presença seis ministros, mas a quadra da escola de samba local não abrigou mais do que cem pessoas (a maioria assessores de ministérios, secretarias e imprensa).
Já o prefeito Eduardo Paes citou nominalmente o governador em seu discurso.

"Não posso falar aqui o nome do governador Sérgio Cabral, mas faço questão de registrar (os avanços na segurança)", disse Paes em discurso.”

Mas apesar dos pesares, os cariocas estão voltando a ter paz, depois de muitos  e muitos anos sob o terror dos traficantes. 

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Divulgada fotografia de imigrantes mortos no México. Segundo fontes, há quatro brasileiros

Corpos de imigrantes em rancho perto de San Fernando: vendados, amarrados e fuzilados junto do muro

Depois das pesquisas, o óbvio: Aécio Neves seria o nome do PSDB



Dilma tem 49% e Serra, 29%, informou o Data Folha nesta quinta-feira.

A nova rodada de números  para as eleições presidenciais 2010 revelou o óbvio: José Serra não era (ou é) o candidato ideal para o PSDB.

Mas o "cabra" é tinhoso e persistente, que de tanto apertar a cúpula do partido, conseguiu sair-se candidato.

Desde sempre, precisamente há cerca de 6 anos, que o Governado de Minas Gerais, Aécio Neves, vinha se despontando e era, sem sombra de dúvidas, o nome  natural para concorrer à Presidência.

Mais forte do que ele, só o Lula.

Aécio tinha tudo a seu favor: neto de um dos mais respeitados políticos brasileiros, experiente, duas vezes governador, mais de 60% de aprovação no seu estado.

Ele seria um páreo duro para Dilma.

Mas o PSDB deu mole.  Caiu novamente no conto do Serra e vai ficar, no mínimo, 16 anos fora do principal  poder da República.

Motivo: Dilma será eleita no primeiro turno; se der certo no governo, ficará 8 anos. Se não der certo, Lula volta para mais 8 anos.

Canditato do PT vai a Campos Belos e se encontra com pessoal da saúde



O deputado estadual Mauro Rubem (PT-GO) esteve reunido, na última sexta-feira (13), com servidores da saúde do município de Campos Belos para pedir apoio nas eleições de 2010, além de ouvir as reivindicações dos trabalhadores. 

O encontro aconteceu na casa de um de seus apoiadores e rendeu bons encaminhamentos, segundo o site de campanha do candidato. 

"O Parlamentar recebe apoio de trabalhadores da saúde de Campos Belos e destaca a luta que “sempre foi e será o salário digno e suficiente para a qualidade de vida dos trabalhadores”.

 Uma das maiores reivindicações da classe, manifestada durante a reunião, foi o desejo de retorno para seus órgãos de origem, sem que sejam transferidos de cidade.
Mauro Rubem se comprometeu a encaminhar o caso para a Secretária Estadual da Saúde e adiantou que este procedimento tem tudo para dar certo. “É direito do trabalhador voltar ao órgão de origem. 


As regionais se encontram enfraquecidas e não possuem a quantidade necessária de servidores, o que facilita o processo”, declarou.

Além disso, o parlamentar e também diretor do Sindsaúde, evidenciou que sua meta para 2010 é a regulamentação do piso salarial para os agentes de endemias em Goiás, luta cujo mandato tem participação decisiva. “Nossa briga efetivamente é o salário. 

As coisas melhoraram, mas ainda é preciso valorizar o servidor. Para o país continuar avançando, precisamos eleger Dilma”, alertou.

Mauro Rubem aproveitou também para destacar algumas lutas e conquistas obtidas durante o último mandato, principalmente, e ouvir as demais solicitações dos moradores de Campos Belos, adiantando que pretende voltar à cidade em breve".

Marconi recebe adesão de dez prefeitos do Nordeste Goiano. Sardinha é um deles



O candidato a governador pela coligação Goiás Quer Mais, Marconi Perillo (PSDB), recebeu o apoio coletivo de prefeitos e lideranças do Nordeste Goiano.

A reunião aconteceu no Papilon Hotel ontem e contou com a presença de Marconi Perillo, do candidato a vice, José Eliton, dos candidatos a deputado estadual Iso Moreira (PSDB) e a deputado federal Vilmar Rocha (DEM), além dos senadores Demóstenes Torres (DEM) e Lúcia Vânia (PSDB).

Na oportunidade, Marconi recebeu apoio de dez prefeitos: Maria Aparecida da Cruz (PR), de Buritinópolis; Neldivaldo Xavier Sardinha (PP), de Campos Belos; ; Wilmar Ferreira de Araújo (PR), de São João d’Aliança; Iran Lago Ferreira (PTdoB), de Colinas do Sul; Josias Magalhães (PTN), de Cavalcante; Odete Teixeira (PR), de Terezina de Goiás; Andréia Lins (PDT), de Damianópolis; Valter Gonçalves (PR), de Campo Limpo; Anizio Florentino Alves (PR), de Ouro Verde, e o prefeito de Rubiataba, José Luis Fernandes, do PP, que também declarou apoio à candidatura de Marconi.

Estiveram presentes também o vereador Wagner Barbosa (PSDB), representando o prefeito de Posse, Paulo de Souza (PMDB), que declarou apoio semana passada à candidatura de Marconi, a prefeita Maria do Socorro (PSDB), de Mambaí, Divaldo Rinco (PSDB), de Alto Paraíso, David Moreira (PSDB), de Alvorada do Norte, e o prefeito de Simolândia, Celso Zanon, que é do PT.

Segundo o ex-prefeito de Campos Belos Aurolino dos Santos Ninha (PR), a presença de José Eliton (DEM) na chapa do candidato Marconi Perillo reforçou o entusiasmo dos prefeitos do Nordeste, que viram em Marconi e José Eliton uma oportunidade para os avanços de que o lugar precisa.

“Conheço a seriedade e o compromisso de José Eliton com a região.

Quando prefeito, eu e o seu pai, doutor Eltinho, levantamos a bandeira do desenvolvimento do Nordeste Goiano e melhor oportunidade de diminuir as diferenças regionais”, disse Ninha, afirmando que “essa é a vez do Nordeste”.

Vereadores de Cabeceiras também declararam apoio à candidatura de Marconi Perillo: Ronir (PTN); Gerson Ataídes (PTC); João Rosa (PDT), que é presidente da Câmara; Gilberto (DEM), Ederval (PP); Jorge Lino (DEM), Bion Diomes (PTN) e Ozanei Paiva (PMN).

O ex-prefeito de Cavalcante Eduardo Passos e o ex-prefeito de Monte Alegre Airton José da Rocha estiveram presentes e também manifestaram apoio à candidatura de Marconi Perillo ao governo.

O candidato a vice governador, José Eliton (DEM), que é da região Nordeste, enfatizou que pretende ser um elo constante do governo com a região, em todas as suas necessidades. Falou que muitos prefeitos que aderiram ao projeto de Marconi fizeram a escolha acertada, vez que essa é a proposta de governo que apresenta maior atenção à região Nordeste do Estado.

Marconi destacou a importância de contar com o apoio das lideranças desta região, que será, em seu governo, caso vença as eleições, cenário para investimentos e desenvolvimento.

Marconi pontuou que não só seu plano de governo reserva atenção especial ao Nordeste como já conversou com os candidatos a deputado e a senador para criar medidas de incentivo ao desenvolvimento da região.

O candidato reconheceu o trabalho de José Eliton nessas eleições como sendo de fundamental relevância para o Nordeste Goiano.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Famílias brasileiras pedem socorro com o avanço do crack


Ainda a pouco, publicamos uma notícia sobre a apreensão de duas pessoas viciadas em crack e que por sua vez, também, estavam comercializando a droga na cidade de Campos Belos, Goiás, a cerca de 400 km de Brasília.

Segundo a polícia, os viciados (um menor de 17 de anos e outro adolescente de 19 anos) informaram que trouxeram o "produto" da cidade de Planaltina/GO, cidade dormitório no entorno de Brasília.

A análise dessa notícia não poderia ser pior. O crack avançou interior a dentro e tem levado aflição a muitas e muitas famílias por todo o Brasil.

No interior, essa droga, subproduto da cocaína, é mais perversa do que nas capitais. Óbvio que não nos seus resultados físicos e psicológicos provocados nos indivíduos, mas em termos e circunstâncias sociais.

As cidades pequenas, por ter uma população mais pobre, com menos informações e com pouca assistência do Estado tendem a sofrer mais as consequências.

Especialistas dizem que o crack já é no Brasil uma questão de saúde pública.

Centenas de milhares de pessoas estão estão viciadas e  não conseguem "sair" do problema.

O crack é perigoso, vicia muita das vezes na primeira tragada e daí por diante deteriora o individuo dia a dia e está à disposição por pouco mais de um real.  É muito barata!

Tanto no âmbito dos governos federal, estadual e municipal a catastofe é única: o governo não está preparado para combatê-lo.

A pergunta básica que todos fazem é o que fazer com os viciados?

Os hospitais  não os aceita; não é questão de prendê-los, pois não são criminosos, ao contrário, são vítimas
 ( a maioria crianças e adolescentes).

A família não tem o poder e nem as ferramentas necessárias para enfrentar a questão e ajudar o seu ente querido, que está preste a até perder a vida.

A quem recorrer? 

A problemática do crack é tão séria  que virou mote eleitoral na campanha dos presidenciáveis ao Palácio do Planalto. 

Só que as famílias de todo o Brasil não podem esperar e  pedem socorro.

É preciso uma ação de emergência, nos três níveis de governo, para tentar amenizar  essa tragédia que tem abatido capitais, regiões metropolitanas, grandes e pequenas cidades e até mesmo nas zonas rurais.

MPU: chegou a hora de revisar



Meus amigos,

Agora é hora da revisão para quem pretende uma vaga no concurso público do MPU.

A dica é você se debruçar sobre os exercícios e esquecer as matérias que ainda não viu.

Não dá tempo de vê-las.

Depois de resolver os exercícios por matéria, se dedique à resolução de provas anteriores da banca (CESPE).

O site www.pciconcursos.com.br tem prova para todos os gostos. E o que é bom, você pode baixá-las  gratuitamente.

Vamos  nessa, meu povo. Não dê mole na reta final...

Avanço do Crack: Policiais da 3ª Cia PM/24º BPM, em Campos Belos-GO, prendem traficantes em flagrante








Na tarde do último dia 18 de agosto de 2010, uma viatura  da PM/GO, composta pelo sargento Evangelista e pelos Soldados Neurismar e Gonçalves, patrulhava o centro da cidade de Campos Belos, quando se deparou com um taxista, que expulsava duas pessoas de dentro do seu taxi. 

Os militares fizeram a abordagem e identificaram Weslei do Nascimento Silva (19 anos) e uma menor (17 anos), que  tinham a posse de 170 g (cento e setenta gramas) de crak e 120 (cento e vinte) gramas de maconha.

Ambos foram conduzidos para a delegacia de polícia da cidade. 

Na delegacia, o maior foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e a menor apreendida pela mesma infração.

A droga, segundo os infratores, tinha sido traficada de Planaltina/GO para ser comercializada na cidade de Campos Belos.

Com informações da PM/GO


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Eleições 2010: e agora josé?

Você precisa conhecer o Jalapão. Fica "pertinho" de Campos Belos


O nome Jalapão vem de uma trepadeira chamada Jalapa-do-Brasil.

As dunas cor-de-cobre movimentam e transformam a região, a sudeste Estado do Tocantins, revelando os mistérios do grande ciclo da vida.

O Jalapão é constituído pelos municípios de Ponte Alta do Tocantins, Mateiros, São Félix do Tocantins, Novo Acordo e Lizarda.

Visitar a região do Jalapão requer muita disposição para dirigir por cerca de 600 km em estradas de terra.

Distante 260 km de Palmas, capital do estado, ou 200 km de Campos Belos, última cidade de Goiás na rota Palmas-Brasília,  o Jalapão oferece condições excepcionais para a observação da natureza e para o turismo de aventura. 

As chapadas imponentes, formações de relevo curiosas, são desgastadas pelo vento minuto após minuto e sedimentam suas areias no solo local. Daí vem o deserto do Jalapão.

No que diz  respeito aos recursos hídricos, a região do Jalapão está inserida na Bacia Hidrográfica Araguaia - Tocantins.


São praias de areias claras e águas límpidas no rio do Sono, rio Novo e vários ribeirões que brotam das nascentes entre as matas e campos. 

Em um breve passeio é possível apreciar no Jalapão, praias, cachoeiras, conjunto de montanhas, lagos e dunas, paisagens que só vendo para crer.

Entre os principais rios destacam-se: Sono, Balsas, Novo, Galhão, Prata, Soninho, Vermelho, Ponte Alta, Come Assado, Frito Gordo, Caracol. 



A região conta ainda com uma grande quantidade de nascentes formadoras de caudais, águas borbulhantes, também chamadas de "fervedouro" ou "frevedouro" pela população local. 
Alguns lugares são imperdíveis: Dunas, Cachoeira da Velha, Cachoeira do Formiga, Rio Vermelho e Fervedouro.

Lá também a quantidade de pessoas  é mínima. A densidade demográfica é de 1,3 habitantes por quilômetro quadrado e só não é menor que na Amazônia.

Qualquer pessoa pode passar dias sem ver outra. 

Está na hora de você conhecer. 


Com informações de sites de turismo. 

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Jornal português conta a história do meio-campo Laionel



Há três anos, durante a preparação da época 2007-08, o Boavista mandou um emissário ao Brasil para observar o Vila Nova, clube de Goiânia.

O alvo da atenção era o defesa central Marcelão, mas foi um jovem de 21 anos, franzino e muito veloz, que se destacou num treino.

A contratação do defesa foi relegada para segundo plano e, antes de Marcelão assinar pelo Boavista, os "axadrezados" já tinham assegurado o empréstimo de Laionel por uma época.

Apresentado no Bessa como um extremo "à Jaime Pacheco", por ter como principais características a velocidade e o drible fácil, Laionel sentiu dificuldades nos primeiros tempos.

 A adaptação ao futebol europeu e a concorrência de Mateus e Zé Kalanga deixaram o brasileiro fora das opções de Pacheco na primeira volta, mas a carreira de Laionel sofreu um volte-face no início de 2008.

Mateus e Kalanga foram convocados pela selecção angolana para disputar a Taça das Nações Africanas, o brasileiro ganhou espaço no "onze" boavisteiro e explodiu a 3 de Fevereiro: três golos ao Paços de Ferreira - os únicos marcados ao serviço da equipa Bessa -, exibição de luxo e respeito conquistado junto dos adeptos "axadrezados".

Veja aqui a matéria completa no jornal português.

Jornal português enaltece golaço de Laionel














O golaço de Laionel, craque campobelense, marcado no último domingo, ainda repercute em terras lusitanas.

O jornal Correio da Manhã, um dois mais importantes jornais portugueses, afirmou que " o magnífico golo de Laionel é um daqueles momentos capazes de gerar conversa de café durante muito".

A diário também diz que o gol é a maior proeza de uma carreira discreta, parcialmente passada em Portugal.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Craque campobelense, Laionel marca golaço em Portugal e torna-se destaque na TV Globo


Nascido na cidade de Campos Belos,  o jogador Laionel , de 24 anos, marcou um golaço neste fim de semana, em Portugal e foi destaque da TV Globo.

Um golzinho até parecido com aqueles dos velhos  tempo do "Campo do Mixto"...rsssss

É isso aí  "Lionel Richie".... Golaço!!!

acesse aqui e veja a matéria completa no Portal da Globo.