quinta-feira, 8 de julho de 2010

Encontro Cultural fortalece políticas públicas locais


Segundo os organizadores do 10º Encontro das Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros,  realizou-se uma grande mobilização das lideranças tradicionais.
O melhor exemplo é o Projeto Turma que Faz, coordenado pela arte-educadora Dorothy Marques, para a discussão da realidade sócio-econômica dos Povos e Comunidades Tradicionais da Chapada.

Atuou-se também no fortalecimento das instituições e na introdução de novas formas de associação para a resolução de problemas comuns, através da demanda de políticas públicas mais efetivas e próximas aos anseios da população local.

Atualmente, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região é baixo, de apenas 0,68, demonstrando também baixos indicadores de educação formal, renda e longevidade.


Ainda segundo os coordenaores do projeto, as dificuldades iniciais foram sendo superadas com  políticas mais incisiva, sobretudo na área da cultura, e com o aprendizado proporcionado pela criação do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial, gerido pelo IPHAN.

A luta dos organizadores obteve, em grande parte da história do Encontro, o patrocínio da PETROBRAS, via Lei Rouanet, além de outros apoios institucionais, públicos e privados, comos os recebebidos este ano através do Ministério da Cultura.

E mais, com a ascenção da cultura e da área social, como campos estratégicos para as políticas públicas, uma série de outros programas, ações e projetos puderam ser acessados ou discutidos dentro do processo de organização do Encontro, tais  como:

Programa Cultura Viva (Secretaria de Cidadania Cultural), Identidade e Diversidade Cultural: Brasil Plural (Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural), Brasil Quilombola (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), Territórios da Cidadania (Ministério do Desenvolvimento Agrário), Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (Ministério do Meio Ambiente e Ministério do Desenvolvimento Social), o Turismo de Base Comunitária (Ministério do Turismo), o Economia Solidária (Ministério do Trabalho e Emprego), o Arteíndia (FUNAI), dentre outros inúmeros mecanismos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.