sexta-feira, 29 de maio de 2009

Quem acompanha nosso Blog, sabe o quanto nós estamos sendo incisivos em relação ao tratamento desigual, imoral e mesmo inconstitucional que vem sendo dado aos problemas enfrentados (há quase três meses!) por milhares de pessoas no nordeste e no norte do Brasil, vítimas das chuvas.

Um tratamento muitíssimo diferente do dado aos flagelados de Santa Catarina, no final do ano passado, quando aquele estado também sofreu com a fúria das águas.

O Brasil inteiro foi solidário. Surgiu uma enorme corrente de “SOS Santa Catarina”, como nunca visto. publiquei que "aqui em Brasília, em muitos órgãos públicos, escolas, associações, paradas de ônibus, voluntários se juntavam, numa corrente de ajuda, em busca de doações de roupas, colchões, comida, água".

E foi assim de norte a sul do país. Uma mobilização gigantesca em todo o Brasil, que foi preciso a Defesa Civil pedir para não mandar mais doações.

Enfim, dizia que a mídia se mobilizou para o caso de Santa Catarina e estava se lixando com o mesmo problema, ainda que maior, sofrido pelas populações pobres do norte. E por tabela nós, brasileiros, também.

Eu perguntava naquela ocasião, quantos brasileiros "cara de índio" valiam um de olhos azuis do sul do país. Quantos nordestinos e nortistas daqueles estados teriam que morrer para que a tragédia pudesse virar notícia de fato e mobilizar para ajudar.

Falei até de uma teoria jornalística/européia, que fala de valor-notícia, onde um operário inglês vale mais do que 40 trabalhadores chineses; que 300 mortos em Mogadíscio valem menos do que 10 mortos nos arredores de Lisboa.

Pois é. O Piauí agora é notícia.

Foi preciso um barragem se romper, matar mais de seis pessoas e desaparecer com mais quinze.

E claro, pressionado, o governo resolveu agir.

Eis a notícia de hoje à noite, sexta-feira(29/05).

Governo do Piauí vai liberar R$ 750 mil para municípios atingidos por enxurrada


Os municípios atingidos pela enxurrada provocada pelo rompimento da Barragem Algodões 1 em Cocal, no Piauí, vão receber R$ 750 mil do governo estadual para o atendimento de obras emergenciais.

De acordo com a assessoria do governo, R$ 500 mil serão repassados para Cocal e R$ 250 mil para Buriti dos Lopes.


Segundo o prefeito do município de Cocal, Fernando Sales, o plano de trabalho prevê a reconstrução de casas, estradas, escolas e postos de saúde. Mas, de acordo com ele, a prioridade continua a ser o resgate das vítimas.

"Quando todos forem resgatados e estiverem em lugares seguros, nós vamos começar a trabalhar nisso [plano de recuperação]", disse.


A mídia agora também dá atenção. Será que a ajuda agora chega??


Seis mortes

A Polícia Militar do Piauí resgatou no início desta noite o corpo de Maria Andreina Pereira, de 6 anos, na comunidade de Franco, em Cocal (PI). Com a localização do corpo, sobe para 6 o total de óbitos confirmados após a inundação.

A criança era uma das pessoas que estavam na lista de desaparecidos oficialmente, que agora cai para 3.

Mais cedo, o Corpo de Bombeiros havia localizado o corpo de José Francisco Alves dos Santos, 36, também em Cocal. Ele era morador da comunidade Angico Branco para onde o corpo será transportado.

As últimas informações da Defesa Civil são que 2.853 pessoas foram atingidas pela enxurrada, sendo 2.000 desabrigados e 953 desalojados. Ao todo, 120 casas ficaram destruídas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.