quinta-feira, 23 de abril de 2009

"Vossa excelência me respeite. Vossa Excelência está destruindo a Justiça deste país e vem agora dar lição de moral em mim. Saia à rua, ministro Gilmar. Faça o que eu faço", afirmou Barbosa.

Foi esse o tom do bate-boca entre presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, e o ministro Joaquim Barbosa, nesta quarta-feira, 22 de abril, no plenário do tribunal.

Barbosa acusou o presidente da Corte de estar "destruindo a credibilidade da Justiça brasileira" durante o julgamento de duas ações - referentes ao pagamento de previdência a servidores do Paraná e à prerrogativa de foro privilegiado.

Mas o fato é que o Ministro Joaquim Barbosa falou a Gilmar Mendes o que muitos brasileiros desejavam dizer.

Assim escreve um internauta de São Paulo, "O Excelentíssimo Ministro Joaquim Barbosa expôs a nós, meros "mortais", aquilo que já era notório: "O comprometimento do Ministro Gilmar Mendes com os poderosos". Que o povo, a partir deste episódio, possa se interar das atitudes descabidas do presidente do STF. Sou grato ao Excelentíssimo "Negro" como cidadão brasileiro e como negro que sou".

E mais de que tudo isso, o Ministro Joaquim Barbosa tem bala na agulha para ratificar o que disse.

Nos julgamentos do STF, Barbosa tem adotado posições fortes e já se envolveu em várias discussões acaloradas com outros membros do tribunal máximo do país.

O magistrado é o relator da ação penal mais importante em andamento no tribunal: a do caso do mensalão. Para acelerar o desfecho dessa causa --que possui 39 réus-- e evitar a prescrição dos crimes contra os acusados, Barbosa adotou inovações, como a digitalização total dos autos do processo.

Barbosa é professor licenciado da Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Possui os títulos de doutor e mestre em direito pela Universidade de Paris-2 (Panthéon-Assas). Nasceu pobre na cidade mineira de Paracatu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.