domingo, 29 de março de 2009

Passados pouco mais de dois meses, ainda é cedo para avaliar o desempenho do novo Prefeito de Campos Belos, Sardinha, à frente da Administração Pública municipal.

Mas não há dúvidas de que o seu grande desafio será o de urbanizar a cidade. Apesar de ser um dos mais importantes polos econômicos do nordeste de Goiás, Campos Belos ainda é uma cidade que deixa muito a desejar no que diz respeito à urbanização.

Tendo em vista o seu peso econômico e a sua importância para todos os municípios vizinhos, inclusive tocantinenses, a cidade está longe de ser bonita. Suas ruas, principalmente as centrais, estão com a pavimentação asfáltica totalmente danificada, muitos buracos, remendos mal feitos, inexistências de placas e sinais de trânsito e à noite, ruas, vielas e praças mal iluminadas.

E o que me dizem das entradas e saídas da cidade? teoricamente deveriam ser o cartão postal e o toque de boas-vindas. Longe disso, a “saída de Brasília” e a “saída de Arraias” parecem mais a de uma periferia completamente desorganizada.

Pelo descrito, os desafios são grandes para o novo Prefeito.

Estaremos atentos ao seu comportamento. Ao final de contas, os campo-belenses merecem uma cidade organizada e bonita!

sábado, 28 de março de 2009

Campos Belos agora tem também espaço na internet

A partir de hoje, estaremos dando mais atenção ao ambiente político, social e econômico de Campos Belos, esta cidade do nordeste de Goiás, de crucial importância para a economia regional.

Estaremos, sempre que possível, com um passo à frente do ti ti ti político, das mudanças partidárias, dos bastidores dos poderes Executivo e Legislativo local. Enfim, estaremos dando mais importância à nossa promissora Campos Belos.

Cobertura da posse do prefeito e vereadores de Campos Belos


Recentemente, estivemos em Campos Belos-GO, momento em que pudemos prestigiar o rito final da maior festa democrática de nosso país, a posse dos vereadores e prefeito eleitos em novembro de 2008.

Na ocasião, fizemos a cobertura televisiva do evento, que reuniu milhares de pessoas no Centro Olímpico do Setor Buritis. Foi neste local que fisgamos a intenção do ex-prefeito Ninha se candidatar a Deputado Estadual. Confira.

Cópie o link abaixo e assista o vídeo no site da Campos Belos TV.

http://www.camposbelostv.com.br/tv_posse.htm

quinta-feira, 26 de março de 2009

Não conheço o teor da sentença, mas parece que a juíza Maria Isabel do Prado, da 2ª Vara da Justiça Federal de Guarulhos, na Grande São Paulo, exagerou na dose.

Ela aplicou a pena total de 94 anos e seis meses de prisão por crimes como formação de quadrilha, descaminho (importação fraudulenta de produto lícito) e falsidade ideológica a Eliana Tranchesi, dona da loja Daslu, um dos maiores impérios de produtos de luxo do país.

Segundo o Ministério Público, a Daslu chegou a sonegar perto de um bilhão de reais.

Penso que Eliana Tranchesi e seus executivos empreendedores mereciam uma condenação, inclusive ressarcindo os valores devidos aos cofres do Tesouro Nacional.

Mas 94 anos de prisão é muito, principalmente se comparando com crimes bem mais nocivos à sociedade, que sempre nos surpreende negativamente, com absolvições inexplicáveis, a exemplo do caso do assassinato da missionária americana Dorothy Stang, em Anapu, no Pará ou o caso do jornalista-assassino Pimenta Neves, que mesmo depois de condenado, continua em liberdade em sua residência, sem falar de milhares de outros, principalmente os homicídios chocantes.


E o que me dizem dos crimes de colarinho branco? tenho que são muito mais prejudiciais e incentivadores, que acometem impiedosamente o Brasil, dia após dia e que passam incólume pela justiça.

Eis alguns: Caso Daniel Dantas, Mensalão, a boiada de Renan , a fazenda de rãs de Jader Barbalho, os vampiros das ambulâncias, o Foro de São Paulo ( onde está Luiz Estevam?), os cartões corporativos, o dinheiro de Collor e PC, o cheque da bezerra de Joaquim Roriz, o escândalo da Sudan, a CPI do Banestado, o Dossiê Cayman, Encol, a Operação Navalha, o caso Celso Daniel, o surreal trio parada-dura Delegado Álvaro Lins, Rosinha e Garotinho.

Será que alguém se lembra de Ellen Ruth, Ronilton Capixaba, João da Muleta, Kaká Mendonça, Daniel Néri, Emílio Paulista, Amarildo de Almeida. Pois é, são aqueles deputados de Rondônia acusados de surrupiar escandalosamente a grana dos contribuintes rondonienses.

Será que a dona da Daslu está pagando por todos eles?

domingo, 22 de março de 2009

Cruzada contra o Delegado Protógenes

É de impressionar o ambiente político vivido pelo país nos últimos meses, em torno da cruzada do Delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz em favor do desfecho legal da Operação Satiagraha.

Uma investigação policial, feita pelo Estado e sob responsabilidade de um de seus agentes administrativos, que se transformou numa guerra particular de um delegado contra o crime organizado. E frise-se, com o apoio incondicional da opinião pública brasileira.

O banqueiro já foi condenado a 10 anos de prisão; teve bloqueados mais de três bilhões de reais no exterior e acumula processos penais, civis e tributários.

Nada surpreende o gigantesco loby criado em favor do banqueiro Daniel Dantas, homem poderoso, muito influente no Congresso Nacional, conhecedor das artimanhas dos bastidores políticos.

Seus tentáculos promíscuos, de nada surpreendente, estão infiltrados junto às grandes autoridades dos três poderes da federação.

Tudo parecia um conto de fadas. Um banqueiro preso e condenado, numa investigação feita e conduzida pelo poder público nacional.

É, mas não demorou muito para o real poder deste país logo se colocar no seu devido lugar.

O banqueiro condenado virou a vítima. O Delegado, antes herói, virou bandido. Querem a sua cabeça. Mas quem? Todos os incomodados e preocupados com a cruzada anticorrupção desferida pela equipe do Delegado. O que não é de se estranhar. Uma fera cutucada tende a agredir, a se proteger.

Mas o que impressiona é a tão propalada e dita defensora da democracia: a grande imprensa brasileira.

Ao invés de também se juntar aos investigadores oficiais e procurar descobrir os caminhos percorridos pelo banqueiro e sua rede de corrupção; de procurar ouvir as pessoas envolvidas; de procurar e apresentar ao seu público apenas os fatos; ao invés de querer ver apenas cumprida a Lei e feita a justiça, essa imprensa, que muitos a chamam, e com razão, de imprensa marrom, tenta transformar o herói em anti-herói, o investigador em investigado, o delegado em bandido.

Ainda se entende que em sua maioria a grande imprensa é patrocinada pelas grandes empresas, pelos grandes conglomerados financeiros e que no “frigir dos ovos” são estes quem mandam no que a imprensa deve ou não dizer; é quem diz o que deve ou não estar em pauta; o que deve ou não ser notícia.

Porém é inadmissível que jornalistas de “grande nome”; jornalistas com alta credibilidade junto à população e a órgãos de imprensa se ponham em defesa do banqueiro Daniel Dantas, sabidamente corrupto e condenado.

Tristeza enorme foi ver o programa Roda Viva da TV Cultura de São Paulo, tão zeloso ao longo do tempo, tratar com “sorriso aos dentes” o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e de forma maldosa e com pegadinhas o Delegado Protógenes, quando entrevistados daquele programa.

Na bancada estavam jornalistas de peso: Lillian Witte Fibe, como mediadora e, ainda, Ricardo Noblat (colunista do jornal O Globo e titular do Blog do Noblat), Renato Lombardi (comentarista do Jornal da Cultura), Fernando Rodrigues (colunista e repórter do jornal Folha de S. Paulo em Brasília) e Fausto Macedo (repórter de política do jornal O Estado de S. Paulo). Todos querendo “pegar” o Delegado.


Tomo emprestado o comentário de um dos internautas do programa, que escreveu “estes jornalistas do Roda Viva deveriam ter vergonha na cara, "cara de pau", tentando transformar o delegado Protogenes como bandido (pegadinhas) e o Senhor Gilmar Mendes como Anjo. Qual será o dia que o Brasil terá jornalistas honestos e cientes das suas obrigações de defender o povo e não bandido como o Senhor Dantas”.

Veja outro comentário: “apesar dos entrevistadores quererem pegar o Delegado a todo momento da entrevista, ele se saiu muito bem; com muita coragem e muita inteligência que faltava aos mesmos insistindo com pegadinhas e tentando desmoralizá-lo. A TV Cultura escolheu muito mal tais entrevistadores, mas ao mesmo tempo, e a contra gosta mostrou quem de fato é o Delegado, (íntegro, honesto e principalmente corajoso). Mas aqui uma crítica a emissora, que eu sempre tive uma ótima impressão: foram dois programas armados, estas duas semanas; um tentando ajudar o Ministro que está encurralado moralmente e o outro eu já falei...”


E para finalizar essa horrenda inversão de valores, cito algumas das últimas manchetes de grandes jornais e sites brasileiros, publicadas nos últimos dias. Ainda bem que a internet é um escape à grande imprensa e local, digamos, livre dos grandes filtros.

Querem tirar o poder do Delegado. Mas não se surpreenda se o povo brasileiro der poder político a esse homem. E a verdade é que o Brasil não tem candidato-herói. Principalmente o Executivo nacional, como já foi o Presidente Lula.

Eis as manchetes:

Revista Veja: Protógenes usou métodos de investigação ilegais

Cerco a Protógenes e o 1° de Abril: - O Globo

PF prepara exclusão de Protógenes de seus quadros - TV Canal 13

Polícia Federal indicia o delegado Protógenes Queiroz

Erros de Protógenes a favor de Dantas - Diário Catarinense

CPI apura grampo de Protógenes - Diário Catarinense

MPF lamenta não ter sido ouvido por Veja em matéria sobre Protógenes - Portal Imprensa

Ministério Público desmente notícia de Veja - Expresso da Noticia

Temer convoca CPI para discutir revelações de VEJA sobre Protógenes -
Abril - ‎07/03/2009‎

Carta do Delegado Protógenes Queiroz ao Presidente Obama

Estimado Presidente Barack Obama –

Como é amplamente reconhecido, a sua eleição ao cargo supremo dos EUA reafirma e fortalece a luta pela democracia e pela justiça travada por cidadãos honrados em nações do mundo inteiro. Acreditamos que existe, de fato, "uma luta em andamento que vai além do oceano" dizendo respeito ao bem-estar de toda a coletividade humana. É nesse espírito que estamos enviando essa comunicação à sua atenção.

O Brasil vive momentos de fragilidade, pois evidências de esquemas de corrupção que ameaçam a soberania de nosso país estão presentemente sendo avaliadas nos EUA. Precisamos, portanto, do seu apoio. Sabemos, afinal, que o crime organizado internacional não tem qualquer comprometimento com o valor público das nações do planeta, mas apenas com a sua dizimação, fato que perpetua o flagelo e o sofrimento de centenas de milhões de seres humanos em todos os países.

A luta brasileira contra a corrupção tem se tornado mais intensificada nesses últimos meses conforme a operação Satiagraha da Polícia Federal tem evidenciado ao povo brasileiro o envolvimento dos três poderes da república em esquemas de corrupção. Isso se tornou público a partir da apreensão e condenação do banqueiro-bandido Daniel Dantas, o agente financeiro de inúmeras fraudes e atos criminosos realizados nos últimos 15 anos em conjunto com os mais altos representantes públicos dos poderes executivo, legislativo e judiciário do Brasil.

Como resultado desse quadro lamentável, os poderes da república brasileira têm agido de forma patentemente arbitrária e antidemocrática, visando obstruir os processos da lei e da ordem, dessa forma traindo os interesses 190 milhões de cidadãos brasileiros ao favorecer bandidos já condenados pelas leis do país.

O fato é que os 2 bilhões de dólares já bloqueados com a ajuda de governos estrangeiros – do total de U$ 16 bilhões desviados pelo banqueiro-bandido Daniel Dantas – mostram a veracidade dos crimes e provam que a luta vai, sim, além dos oceanos. Mesmo assim e apesar de ter sido condenado a dez anos de prisão bem como ao pagamento de multa de R$ 12 milhões por tentar subornar um delegado da Policia Federal, o banqueiro-bandido condenado responde a sentença em liberdade após receber dois Hábeas Corpus sucessivos contrariando todo o histórico de julgamentos e súmulas da Suprema Corte brasileira.

Infelizmente, não é apenas o judiciário que está no payroll do banqueiro-bandido Daniel Dantas. O próprio presidente da república, o Lula, acaba de colocar los amigos para assumir controle do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin) com um decreto no dia 19 de fevereiro de 2009, visando obstruir processos relativos à soberania da nação – aliás, uma jogada não muito distante do Patriot Act do presidente G.W. Bush que custou aos EUA um atraso que o senhor pode mensurar melhor do que ninguém. No caso em questão, 11 entidades autônomas, incluindo as forças armadas brasileiras, formavam um conselho consultivo que coordenava a Sisbin. Esse conselho foi agora substituído por um comitê de seis indivíduos amigos de Lula, todos com um passado ético extremamente questionável.

Como é de conhecimento público, as informações da investigação Satiagraha contendo provas irrefutáveis dos crimes mencionados acima se encontram em 12 discos rígidos, encontrados dentro de uma parede oca na residência do banqueiro-bandido Daniel Dantas, os quais estão presentemente nas mãos da CIA nos EUA para serem analisados e revelados os esquemas de corrupção no Brasil com reflexos no seu país. Não é difícil imaginar as razões que levaram essas evidências para longe do Brasil ao considerarmos a seriedade dos crimes cometidos e o poder dos criminosos envolvidos, cuja lista abrange expoentes do sistema financeiro internacional, alguns já bem conhecidos do público estadunidense.

Assim como o senhor, o senador Russ Feingold e milhões de homens e mulheres honrados em seu país, a grande maioria dos brasileiros acredita que a lei deve valer para todos equitativamente, caso contrário a democracia se torna uma mentira e colocamos em risco o futuro da liberdade e da cidadania no mundo. Temos que lutar juntos pela transparência e pela justiça dia e noite para que as forças corruptas não se imponham sobre as forças do bem e por isso acreditamos vigorosamente que não pode haver protelações quanto à justiça clamada pelo povo brasileiro em face da crise moral que assola o Brasil.

Finalmente, lutamos pela justiça HOJE. Como escreveu Martin Luther King Jr., "Justiça atrasada é justiça negada". Então, contamos com a sua vigilância e o seu apoio para que os processos de avaliação e divulgação dos dados contidos nos 12 discos rígidos em poder da CIA não sejam obstruídos. Queremos apenas a verdade, pois sabemos que basta a verdade para que a soberania do nosso povo seja garantida.

Deus abençoe o senhor, sua família, o povo americano e todas as suas iniciativas visando o aprimoramento social da humanidade.

Atenciosamente,

Protógenes Queiroz

De Campos Belos (GO): Escolinha K10 mede forças com o Goiás e Atlético Goianiense

Por Morgana Tavares, A Escolinha de Futebol K10, presidida pelo ex-jogador de futebol profissional Kássio Fernandes, compareceu pe...