Banner 1

Banner 2

Banner 2

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Brasília: bilhete pede socorro em roupa vinda da China


"Acho que grande parte da mulherada conhece o site chinês Ali Express, onde costumamos achar roupas e acessórios a preços irrecusáveis. 

Pois é, hoje a tarde minha mãe @sandrarmiranda recebeu sua encomenda e, ao abrir, estava esse bilhete de socorro. 

Meu coração se aperta e lágrimas descem ao ver que do outro lado do mundo, nesse exato momento, existe alguém sendo escravizado, torturado e sabe-se lá o que mais, para confeccionar os produtos que eu e você compramos. 

É um sentimento que não tenho como descrever... Impotência, revolta, tristeza... O que podemos fazer a respeito? Eu realmente não sei. 

A única coisa que sei é que a igreja que o Senhor levantou deve orar e interceder por essas vidas que tanto precisam de ajuda! 

Que o amor do Senhor alcance esses corações e que de alguma forma o grito de socorro dessas pessoas seja ouvido! 

Não tenho mais palavras."

Prefeitura de Formosa abre 136 vagas para guarda municipal


A Prefeitura de Formosa, no Entorno do DF, abriu concurso para guarda municipal. No total são 136 vagas oferecidas.

Dessas, 34 são para início imediato e 102 para formação de cadastro reserva (CR).

Profissionais diplomados no ensino médio podem se candidatar ao cargo que paga R$ 1.327,94 mensais. A jornada de trabalho é de 40 horas por semana.

As inscrições custam R$ 73 e seguem abertas até dia 16 de novembro no site do Instituto Brasileiro de Educação e Gestão (Ibeg): www.ibeg.org.br. A taxa pode ser paga em qualquer agência bancária até dia 17 de novembro.

O processo seletivo possui seis etapas, duas delas têm provas.

A primeira é o teste objetivo de conhecimentos gerais, que será aplicado no dia 21 de dezembro das 15h às 18h. Serão 40 questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa, matemática, informática e conhecimentos específicos.

O resultado desse exame será divulgado em 14 de janeiro do ano que vem, quando os 400 primeiros colocados serão convocados para um teste de aptidão física.

Depois dessas duas fases, ainda haverá a avaliação psicológica, a investigação social, exame toxicológico e curso de formação. Todas têm caráter eliminatório e ainda não têm data marcada. 

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Campos Belos: escola de música Minueto abre inscrições e oferece cursos até para viola caipira e guitarra


Quem deseja aprender música em Campos belos, tem agora uma boa oportunidade.  É que o educador musical Raimundo Vagner abriu a Escola de Música Minueto.

A intenção do músico é educar, produzir e disseminar o saber e o fazer musicais na perspectiva de contribuir para o desenvolvimento humano e social, proporcionando, assim, formação musical de qualidade para todos.

Estão sendo oferecidos cursos de viola caipira, guitarra, violão (solo/erudito e popular), baixo, canto coral, canto popular, teclado, sax, clarinete e musicalização Infantil (Iniciação Musical para crianças a partir de 4 anos).

Raimundo Vagner está concluindo este ano o curso superior em licenciatura em música na UnB  e já ingressou em uma especialização em educação musical.

Ele também é professor registrado na Ordem dos Músicos do Brasil e possui cursos de aperfeiçoamento e um studio para gravação, arranjos e pré-produção para cantores e bandas e manutenção em instrumentos musicais.

Anote os contato do músico: celulares (62)9956-4028_vivo/8252-6632_tim;

E-mails: vagnerminueto@yahoo.com.br e vagnerminueto@gmail.com

General no banco dos réus no STM. Em acidente, cabo ficou paraplégico


Por Dinomar Miranda, (publicado originalmente no site do STM)

O Superior Tribunal Militar (STM) iniciou nesta quarta-feira, 22, a ação criminal originária em que figura como acusado um contra-almirante (equivalente a general de brigada do Exército) acusado do crime previsto no artigo 210 do Código Penal Militar – lesão corporal culposa.

O oficial-general foi denunciado pelo Procurador-Geral da Justiça Militar, Marcelo Weitzel Rabello de Souza, por ter na madrugada de 27 de setembro de 2013, segundo a denúncia, tomado a direção de um veículo militar Land Rover Defender, que era conduzido por um cabo do Corpo de Fuzileiros Navais. 

Os militares participavam da Operação Felino, um exercício militar internacional com membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizado na base de militar de Itaoca, no Espírito Santo.

Ainda segundo o Ministério Público Militar, o contra-almirante pegou a estrada em direção à cidade do Rio de Janeiro, informando que iria dirigir até que o dia clareasse.  No entanto, perto das quatro horas da manhã, no Km 50 da rodovia RJ- 224, em São Francisco de Itabapoana (RJ), o acusado perdeu o controle do veículo e capotou numa curva.

O acidente deixou o cabo que deveria estar dirigindo a viatura paraplégico. O prejuízo aos cofres públicos foi da ordem de R$ 108 mil pelo dano à viatura militar. 

Ao denunciar o caso ao Superior Tribunal Militar, o procurador-geral Marcelo Weitzel  disse que o contra-almirante tomou a direção da viatura sem destreza, apresentando nítido cansaço, após ter ingerido bebida alcoólica e trafegava em velocidade incompatível com o limite da via.

O STM recebeu a denúncia e iniciou a ação penal, que é conduzida pelo ministro Artur Vidigal de Oliveira.

Nesta quarta-feira, com a presença do advogado do réu e do procurador-geral do Ministério Público Militar, ocorreu a primeira fase da ação penal, com a qualificação e o interrogatório do acusado.

No interrogatório de hoje, o ministro Artur Vidigal inquiriu o acusado, fez perguntas sobre os detalhes da viagem e permitiu que o réu contasse a sua versão, assim como à defesa dele e ao Ministério Público Militar para que também fizesse perguntas ao acusado.

As próximas fases serão a oitiva das testemunhas, que ocorrerá na cidade do Rio de Janeiro, em 26 e 27 de novembro; a fase de requisição de provas pelas partes; as alegações escritas, um segundo interrogatório do acusado, a pedido da defesa e deferido pelo ministro e o julgamento, que deve ocorrer no primeiro semestre do ano que vem.

Oficial General tem ação penal iniciada no STM

Por se tratar de um oficial general das Forças Armadas, a ação penal está sendo processada e julgada originariamente no Superior Tribunal Militar, competência definida pela Lei de Organização da Justiça Militar da União (Lei 8.457/1992). Ou seja, a ação penal já começa na Corte Superior, a segunda e última instância da Justiça Militar Federal.

O julgamento da ação penal será feito pelo Plenário da Corte. Como se trata de foro especial, não há a possibilidade de apelação. Entretanto, existe o recurso dos embargos, dependendo do resultado do julgamento.

Fonte: STM

Arraias (TO): família de jovem pivô de polêmica se manifesta


Por Carlos Alencar, 

O jovem que teria sido agredido por policiais e causou uma onda de opiniões contra e a favor nas redes sociais é filho de Arraias e passa sim por alguns distúrbios.

Em uma entrevista ao nosso Blog, Paulo Ribeiro, primo de Fabrício,fala sobre o jovem e esclarece algumas questões e sobre a personalidade do rapaz.

Segundo Paulo Ribeiro, ele “já esteve uma vez internado em Anápolis (GO)e segundo os médicos, ele tem um pequeno distúrbio e depressão. ficou lá por volta de 3 ou 4 meses, voltou para casa já bem tranquilo sem problemas. Mas depois de alguns anos ele voltou a ficar ruim. Acho que por ter parado de tomar os remédios. Para muitos dos irmãos dele, isso é problema espiritual não só de cabeça não”, disse Paulo Ribeiro.

De acordo com a família do moço, ele realmente fez curso e tem toda a documentação que comprova que é mesmo bombeiro civil.  "Por tanto estão todos equivocados. O problema é que falam muito e sabem pouco”, desabafou Paulo Ribeiro, que se disse indignado com as posições no Facebook em defesa dos policiais ou em tom de ironia em relação ao caso do parente, que é muito sério.

A família de Fabrício Farias está tentando conseguir para ele mais uma internação, já que ele começa a dar sinais de que realmente está piorando. 

"Não é motivo para que os policiais agissem da forma como agiram, ele tem distúrbio, mas não é bandido, pelo contrário”, disse Paulo.

A situação deverá ser resolvida logo, pois de acordo com o primo, a mãe de Fabrício vai levar o jovem amanhã por volta das 04:00 horas da manhã para Anápolis onde, provavelmente será internado.

Conforme nos informou o irmão de Fabrício Patrício Araujo, ainda há pouco, de Goiânia, onde mora, tudo o que o seu primo Paulo Ribeiro informou é verdade e que seu irmão é muito inteligente e nunca agrediu ninguém, apesar de seu quadro ter piorado agora. 

O irmão informou também que "muitos não gostam dele porque, apesar da doença, ele sabe muito de lei e quando é pressionado pela polícia começa a falar sobre elas. Deram choque em uma pessoa indefesa e doente", finalizou.

Fonte: A1 Notícias

Revista Encontros: "Um novo cenário na Chapada"

Os turistas colombianos Rafael Bermudez e Ana Horta
acreditam que o calçamento das ruas não afetará a
beleza do lugar: desenvolvimento bem-vindo

Marcos Coimbra, guia e empresário, mora há 20 anos em
São Jorge e aprova a mudança: "Comer em um restaurante
tornou-se terrível, pois a terra sobe e vem para cima do prato.
Que visitante acha isso charmoso? "

Publicação original da Revista Encontros,

Desde dezembro de 2013, a pacata Vila de São Jorge (GO), o portal de entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a 210 km de Brasília, vive um grande debate. 

Alguns dias antes do Natal, o prefeito de Alto Paraíso (GO), Álan Gonçalves Barbosa, convocou o distrito de 700 habitantes para anunciar mudanças. Poucos moradores compareceram. 

Uma parte estava nas cidades de origem para passar o feriado com as famílias. Os que ficaram não se comoveram com o pedido do político. Por isso, o quórum foi baixo. 

Ficou a cargo de quem participou da reunião espalhar pela cidade, que, depois de dez anos de promessas, as ruas de terra batida iam dar lugar a bloquetes de cimento. Não só isso: a estrada de terra de 27 km, que liga a vila a Alto Paraíso, terminaria de ser asfaltada. São Jorge nunca mais seria a mesma.

Conforme as pessoas voltavam do feriado, o boato se espalhava – e aumentava. No início, muitos se posicionaram contra as interferências no visual da cidade. Pois estavam tomados pelo receio de afastar os turistas que buscam um roteiro rústico – afinal, a principal atividade econômica do local é o ecoturismo. Mas logo o medo foi substituído por satisfação. 


Obras de asfaltamento da rodovia que liga
Alto Paraíso ao povoado de São Jorge: eco-
nomia de 40 minutos na viagem



De uns anos para cá, aumentou o número de carros que circulam pelas estreitas ruas e, quando passam – normalmente em alta velocidade –, levantam a poeira. “Comer em um restaurante tornou-se terrível, pois a terra sobe e vem para cima do prato. Que visitante acha isso charmoso?”, avalia Marcos Brasil, há 20 anos morador do local e dono de uma loja de suvenires.

Além disso, com as novas medidas, seria o fim das infecções respiratórias por conta da terra batida na temporada de seca, a diminuição da sujeira dentro das casas e comércios, o fim das valas de um metro na época de chuva e também o chamariz para um público mais refinado e resistente à simplicidade da vila. 

O item mais importante na lista, entretanto, não afeta apenas o dia a dia dos moradores e turistas, mas toda a preservação da Chapada dos Veadeiros.

Na época de chuva, o cascalho jogado nas ruas, para segurar a poeira, cai dentro do córrego Preguiça, que margeia o distrito. 

O riacho está assoreando. E não é o único afetado. Os detritos estão desembocando nas águas que correm no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. “A obra virou uma questão de sobrevivência para a reserva natural”, avalia Carla Guaitanele, chefe do local. Por isso, a administração do parque tomou o importante papel de fiscalizar os acontecimentos.

Em fevereiro, eles notaram que os funcionários das empreiteiras se instalaram e em São Jorge. Começaram a produzir os bloquetes de cimento de 12 lados, fazer as obras de drenagem e também o asfalto na rodovia. 

Outdoors foram montados, espalhando as boas novas e causando uma pequena comoção nas ruelas. Cada uma das medidas, entretanto, foi licenciada para uma empresa diferente e, por isso, tomou uma velocidade diversa. No distrito, por enquanto, apenas construção do duto para a escoação da água está nos finalmentes. 

Mas, mesmo assim, ainda falta subir uma barragem para que não despenquem com as chuvas e piorem o asseoramento do corrégo Preguiça – se a edificação não for finalizada a tempo, a empresa corre o risco de ser multada pelo ICMBio, administrador do Parque Nacional.


A dúvida de Cecilio Gomes, da Asso-
ciação dos Condutores de Visitantes:
"Estamos preparados para o aumento
de viajantes?"
Fonte: Revista Encontros

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Autor de homicídio em Cavalcante (GO) é preso dentro de clínica de reabilitação em Brasília


A Polícia Civil de Cavalcante (GO), nordeste de Goiás, prendeu no último dia 15 de outubro um homem acusado de ter praticado homicídio no município.

Willian Augusto Galisa de Oliveira, de 21 anos, foi preso em razão de mandado de prisão temporária pelo assassinato de Anibas Francisco de Torres, de 24 anos, ocorrido no dia 5 de Julho de 2014.

Após obter a materialidade e indícios de autoria do crime, a Polícia Civil representou pela prisão temporária do investigado, que era imprescindível para as investigações e diante das fundadas razões, de acordo com as provas admitidas.

Segundo o delegado Sérgio de Sousa Arraes, o Poder Judiciário e o Ministério Público de Cavalcante se manifestaram de forma rápida e eficiente na concessão da prisão temporária.

A prisão foi realizada após investigações acerca do paradeiro do suspeito, que estava internado na clínica Renascer, no Paranoá, Distrito Federal. 

Willian foi encaminhado à cadeia pública de Cavalcante, onde permanece à disposição da Justiça.

Participaram da operação, além do delegado Sérgio Arraes, o escrivão Welzimar Dias de Morais, os agentes Fernando André Gomes Prado, José Rodolfo de Araújo Queiroz e Thafnys Rocha Oliveira.

Fonte: PCGO

Campos Belos: polícia prende mais de 500 munições



Os policiais civis lotados na delegacia de Campos belos, nordeste de Goiás, fizeram um apreensão surpreendente nesta semana. 

Além de duas armas, os policiais apreenderam 512 munições de diversos calibres, pólvoras e espoletas, que estariam sendo vendidas ilegalmente no município. 

A ação policial veio em boa hora, já que a polução está assustada com diversos casos de violência na cidade, inclusive homicídios. 

Morte de idosa por acidente de moto na Cana Brava poderia ter sido evitada


Por Carlos Alencar, de Arraias (TO)

Domingo passado ocorreu na região do povoado da Cana Brava, município de Arraias, sudeste do Tocantins, a visita de sétimo dia de morte de dona Efigênia, conhecida com Iaiá, provocada por um acidente automobilístico envolvendo uma moto e mais duas pessoas. 

Na ocasião, os tripulantes da moto, que segundo moradores trafegavam em velocidade não permitida pela via, fugiram sem prestar socorro a vítima, que morreu assim que chegou ao Hospital Regional de Arraias.

A Câmara Municipal de Arraias nos entregou no dia 21 de outubro cópia do Pedido de Providência nº 0092014, que “dispõem sobre construção de quebra molas no distrito de Cana Brava”, a ser reencaminhado ao Prefeito Municipal a pedido e assinado pelo Vereador Geraldo Martins de Souza, Geraldinho, representante da comunidade.

O curioso desse assunto, inspiração para o título dessa reportagem, é o fato de que na justificativa para o pedido de providência, Geraldinho cita um pedido já feito antes para a construção de quebra molas na comunidade, mas afirma que não foi atendido, o que poderia ter evitado o acidente.

Em contato com o vereador Geraldinho, o mesmo nos confirmou que realmente já tinha sido feito o pedido, mas não foi atendido, e ainda nos informou que obteve informações de que o prefeito teria dito que “prefeito que faz quebra molas não vai para frente, é prefeito preguiçoso”. Geraldinho afirma também que em reunião com o Executivo, houve a promessa de providências, mas até agora nenhum sinal.

Infelizmente, entre uma coisa e outra, entre as brigas políticas e entre os interesses particulares dos gestores, estamos nós, cidadãos, que concebemos a eles a prerrogativa de nos representar, mas isso dificilmente acontece, em detrimento de seus próprios interesses.

Cabe à família, se a essa restar força depois dessa tragédia, procurar seus direitos e responsabilizar os que de uma forma ou de outra, direta ou indiretamente contribuíram para que ela acontecesse.

Possível Tragédia

Foi ainda apresentado ao Blog o Pedido de Providência nº 019/2013 que “dispõem sobre a reforma da ponte sobre o Rio Formoso no Sapé”. 

De acordo com o presidente da Câmara, Tatarena, essa ponte encontra-se muito deteriorada e por ela trafegam muitos veículos diariamente, dentre eles ônibus escolares que trazem e levam as crianças daquela região para as escolas.

“Se nada for feito, estamos correndo o sério risco. A ponte está caindo e por lá passa ônibus pesado lotado de crianças”, afirmou o vereador, ao dizer que mesmo depois de tanto tempo, nenhuma providência foi tomada, e isso “pode custar muito caro para muitas famílias”.

Os vereadores fizeram seu papel e as providências deverão ser tomadas o quanto antes, caso contrário poderemos estar fazendo mais uma reportagem, Deus queira que não, sobre mais uma “tragédia anunciada”.

Fonte: A1notícias

Arma de choque: polêmica em Arraias (TO)


Meu nome é Maria Aparecida Aguiar. 

Penso eu que antes de se postar uma notícia dessa deve-se apurar os fatos. Você, caro jornalista Dinomar Miranda, perde sua credibilidade retuitando noticia de um "face sem face". 

Se são tão sabedores e conhecedores, digam então quais procedimentos a polícia deveria tomar para abordar alguém que estava andando pela cidade, transtornado querendo quebrar tudo que via pela frente?

E possivelmente até poderia ameaçar a vida de alguém?  e ao chegar ao hospital se tem notícia de que estava bastante alterado querendo quebrar o local?

Se é para ofender e denegrir a imagem dos policiais, então era preferível que os mesmos tivessem deixado o rapaz na rua, fazendo e acontecendo ou levado e deixado no hospital a mercê dos enfermeiros e médicos. 

Mas se isso tivesse ocorrido os mesmos seria também tidos como policiais incompetentes não era mesmo? 

Denegredir a imagem de um servidor da ordem e da paz na cidade é fácil, mas ninguém quer fazer algo pelo rapaz e quando isso ocorre ligam logo para a polícia, uma vez que é o único recurso que a cidade oferece.

Ao "face que usa o facebook", para promover a incitação contra os policiais, tome atitude e vergonha na cara e seja humano para da a cara a tapa, não se esconda atrás de um face sem face. 

E você, senhor jornalista, acaba de perder a  sua credibilidade perante sua leitora.

-------------------------------------------------------

Só para esclarecer: os modelos de "armas de choque" utilizados pela PMTO são os mesmos utilizados pelas Polícias Militares de todo o Brasil e também pelas polícias de vários outros países.Não é nada ilegal, algo que o governo do Tocantins trouxe para o Estado ilegalmente. 

São chamadas de armas menos letais. Serve para ,entre outros, casos como o que o autor do texto citou. 

Para conter, diminuir a capacidade de ação ou reação de alguém. É uma alternativa ao uso do cassetete e da arma de fogo (último recurso). O autor do texto disse bem: 

"Para lidar com esse tipo de pessoa, sabemos que tem que ser pessoas preparadas",Policiais não são preparados para fazer condução nem contenção de pessoas com distúrbios psicológicos ( o autor do texto conseguiu diagnosticar em pouco tempo que o cara tem problemas mentais, deve ser médico do), e nem é função destes. 

Com certeza a PM só foi chamada porque ninguém teve coragem de conter o rapaz.Para finalizar sou capaz de apostar que é falso o perfil do facebook onde se encontra péssimo texto-denúncia. O  Libell de Souza não existe. 

Se o autor existe e realmente é um cidadão preocupado com sua cidade,porque não cobra uma unidade do SAMU para Arraias?E a PM fará somente o serviço para o qual está preparada.

Anônimo

Arraias (TO): arma de choque e pessoas com distúrbios psicológicos


Por Libell de Souza, 

Hoje eu acordei muito triste. Ontem a tarde eu fui ao (HRA) Hospital Regional de Arraias TO e presenciei uma cena muito repugnante com esse rapaz aqui Fabrício Farias, mora nessa cidade, na Rua do Cristo ele tem um problema de distúrbios psicológicos. 

Para lidar com esse tipo de pessoa, sabemos que tem que ser pessoas preparadas.

E o que nos vimos? 

Dois policiais (não vamos divulgar o nome quem quiser aber passamos pelo bate papo) chegaram como cidadão, passou na frente nossa. 

Tinha criança, jovens, adultos e dos funcionários do hospital que estava ali naquele momento presenciando eles dando choque no rapaz com problemas. 

Uma cena muito triste. Esses dias eles estavam treinando era pra aprender dar choque no povo. Que comando é esse!

Os dois policiais deve pensar que nós, ser humanos, não temos direito, direito previsto em nossa Carta Magna, dentre esses direitos de cidadania destaca-se o respeito á dignidade e o amparo do estado a partir da necessidade gerado no exercício de sua profissão. 

Ficamos muito tristes e esperamos que esses Blog pesquisem é façam uma matéria sobre o acontecido, né Carlos Silva e Dinomar Miranda, para que chegasse às autoridades maiores do Estado e pune esses infratores delinquente.

Fui entrevistado pelo Data Folha. Mas dá pra confiar nas pesquisas eleitorais?



Grande parte das pessoas não acredita nas pesquisas eleitorais. Mas quando sai uma delas, todo mundo quer dar uma espiadinha. Não tem jeito.

O problema é que os institutos de pesquisas, como o Data Folha e o IBOPE, erraram feio no primeiro turno das eleições.  Bahia e Rio Grande do Sul quem o diga.

Uma das grandes reclamações é de que pesquisador de campanha eleitoral é igual a “pé de cobra”: ninguém vê.

E não é que semana passada fui entrevistado pelo Data Folha?!

E digo, a coisa é séria e bem organizada.

Se há erro, pode ser na questão do perfil da população de origem da amostra, porque a sistemática do pesquisador, considerei muito boa. Achei tudo muito organizado e de uma seriedade imensa.

Fui abordado em Brasília, no bairro do Cruzeiro Novo, ao me aproximar do Supermercado Veneza.  A pesquisadora se aproximou e perguntou se tinha interesse em responder a uma pesquisa. Perguntei pesquisa de quê?

Então, ela respondeu que era do Data Folha, da Folha de São Paulo,  para presidente e governador de estado, que seria pauta do Jornal Nacional de logo mais à noite.

Vou descrever mais ou menos as perguntas da pesquisadora, que eram anotadas em um sistema eletrônico de um tablet.  

Antes, porém, anotou meu nome completo, identidade, endereço completo, com CEP, e-mail, telefene de casa e celular e ainda me  fez responder uma pesquisa de perfil para saber renda salarial, nível de instrução educacional, filiação partidária, profissão, se era chefe de família  e outras inúmeras questões sociais e econômicas.

O senhor vota em Brasília?

Fez o cadastrado da biometria?

O senhor se interessa por política?

Muito, mais ou menos, pouco?

A política influencia sua vida?

O senhor acompanha as  notícias e a campanha eleitoral?

Assiste ou assistiu a campanha pela TV?

O escândalo da petrobrás influencia em seus votos?

O ex-presidente FHC influencia sua pessoa?

O ex-presidente Lula Influencia sua pessoa?

O senhor votou no primeiro turno?

O senhor decidiu seu voto 30 dias antes, 15 dias antes, ou no dia da eleição?

O senhor lembra os números de seus candidatos?

Quais foram? 

Em quem votou para deputado distrital?  deputado federal?  senador?

 Governador? E presidente da República?

Marina Silva influencia em seu voto?

Você votaria no candidato que ela apoiaria  ou decide seu voto por si só?

Se as eleições fossem hoje, em quem o senhor votaria para governador do DF?

Se as eleições fossem hoje, em quem o senhor votaria para presidente da República?

Após isso, a pesquisador me passou o tablet e pediu para que votasse numa urna eletrônica que apareceu na tela, inclusive com o mesmo som da urna eletrônica.

Primeiro votei para governador. Apareceu a foto e pediu para confirmar. Depois para presidente, que também apareceu a foto e pediu para finalizar.

Em seguida, a pesquisadora disse que a pesquisa não estava pronta. Só iria ser finalizada depois que eu recebesse um telefonema da Folha de São Paulo, de um auditor do Data Folha.

Justamente. Quatro horas depois, recebi a ligação de São Paulo, confirmei todos os dados que ele me passou e com todas as minhas respostas.  

E no final  da conversa, ele agradeceu e disse que a ligação foi gravada e se tinha algum problema.

À noite, no Jornal nacional, saiu a pesquisa com o empate técnico entre Dilma e Aécio.   

Obviamente, tem outras perguntas das quais não me lembro e elas também não estão aqui escritas literalmente da mesma maneiras como foram perguntadas. 




Motim: em novo julgamento, STM mantém condenação de controladores aéreos de Curitiba

Por Dinomar Miranda, (Publicado originalmente no site do STM)
O Superior Tribunal Militar (STM) manteve a condenação de oito militares da Aeronáutica acusados do crime de motim a quatro anos de reclusão. Eles participaram da paralisação ocorrida em março de 2007 que parou o tráfego aéreo do país e ficou conhecido como “apagão aéreo”. 
Os militares também receberam a pena acessória de exclusão das Forças Armadas. O julgamento aconteceu semana passada, em Brasília.
Em março deste ano, o Tribunal já tinha decidido no mesmo sentido. Porém, o julgamento da apelação foi anulado pela própria Corte, depois de um recurso de embargos de declaração impetrado pela defesa. 

O advogado de seis dos acusados entrou com o recurso informando, entre outras coisas, que não tinha sido informado da data de apelação no STM. 
O Tribunal acatou o recurso e marcou novo julgamento. Agora,  com a presença dos advogados, os ministros do STM mantiveram a sentença da primeira instância.
Em outubro de 2012, a primeira instância da Justiça Militar da União, em Curitiba  já tinha condenado os oito controladores de voo pelo crime previsto no artigo 149 do Código Penal Militar. 
Os cinco suboficiais e os três sargentos da Aeronáutica ocupavam as funções de supervisores dos demais controladores de voo e foram denunciados por terem se negado a obedecer às ordens do comandante do Cindacta II, sediado na capital do Paraná, para não interromper o controle aéreo. 

Os militares tinham a intenção de se juntar aos movimentos já iniciados em Brasília e Manaus.

Meia Hora


terça-feira, 21 de outubro de 2014

8 cidades do Tocantins são destaques como monumentos que se tornaram históricos


Por Nayara Rodrigues - Publicação Original: Conexão Tocantins 

O Tocantins que é rico em belezas naturais, em ambientes propícios ao turismo e lazer, também contempla cidades antigas e monumentos que se tornaram históricos. 

Arraias, Dianópolis, Monte do Carmo, Natividade, Paranã, Porto Nacional, Tocantínia e Tocantinópolis são os destaques, cidades monumentos do Estado. 

Arraias foi originada com a descoberta do garimpo em 1739, e é situada a 3 km da “Chapada dos Negros” antigo arraial riquíssimo em ouro. 

A formação étnica de Arraias é proveniente de descendentes de negros escravos e pessoas livres originárias, ao que tudo indica, de São Paulo e da Bahia. No entanto as características culturais apresentam maior influência baiana do que paulista.

Em Arraias, as construções mais antigas são datadas do século XIX. Algumas conservam paredões em tijolos de adobe, destacando-se a Igreja Matriz, que sofreu descaracterização dos seus traços originais em razão das reformas no século XX.

Dos patrimônios materiais, Arraias tem ruínas da casa do feitor na Chapada dos Negros, Igreja Matriz e Praça “Cel. Joaquim de Sena e Silva”.

Dianópolis é uma cidade que contempla obras de escritores, poetas e historiadores, especialmente por ter sido palco de movimentos armados. 

A cidade tem suas origens ligadas ao aldeamento indígena e à mineração em meados de 1750/51. A cidade pouco conservou a arquitetura passada, no entanto, ainda há prédios residenciais, restando duas casas do século passado.

Entre os patrimônios materiais estão a Capelinha dos Nove, Prefeitura Velha e Igreja Sagrada Família.

Monte do Carmo tem sua história datada ao período do ciclo do ouro no Brasil, quando aventureiros adentraram os sertões à procura das minas. 

No município, é possível encontrar muros, pedras, antigos casarões em ruínas que ficam em torno da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, como testemunhos do importante povoado minerador que foi Monte do Carmo.

Dentre outros monumentos materiais, Monte do Carmo tem a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e Ruínas do Arraial do Carmo.

Natividade nasceu com a exploração do ouro no século XVIII. Atualmente, Natividade tem o seu espaço urbano dividido em três zonas de usos específicos: Zona de Proteção Histórica, Zona de Proteção Ambiental, e Zona de Expansão. 

O conjunto arquitetônico é constituído pelas ruas estreitas de casarões e igrejas.

Entre os monumentos históricos, Natividade tem a Igreja da Matriz, Igreja do Rosário dos Pretos, Prédio da Antiga Cadeia Pública,  Ruínas de São Luis, entre muitos outros.

A cidade de Paranã é um tanto quanto especial no Estado por ter história semelhante a do Tocantins. 

O principal, é o fato desta cidade ter sido a Comarca do Norte, em momentos embrionários da própria luta pela emancipação do Estado. A data de 5 de outubro, que marca a elevação de Paranã à categoria de cidade (1857), é também a data de criação do Estado do Tocantins (5 de outubro de 1988). 

O nome da capital definitiva do Estado resgata o nome da antiga Vila de Palma, cujo, habitantes, inclusive conhecidos como palmenses, mesmo adjetivo dos moradores da atual capital (Palmas).

Dos monumentos materiais, Paranã tem a Cadeia Velha, Casas de coronéis e a Igreja Matriz de São João Batista.

A origem de Porto Nacional, segundo historiadores, deve-se a navegação pelo Rio Tocantins, fazendo ligação entre os dois centros de mineração: Pontal e Monte do Carmo. Porto Nacional se orgulha de ter na parte velha da cidade imponentes ruas, como a do Cabaçaco e a da cadeia, que contam ainda com lindos casarões coloniais.

Dos monumentos históricos, Porto Nacional é contemplado com a Catedral Nossa Senhora das Mercês, Seminário São José, Caetanato, entre outros.

Tocantínia é outra cidade com história importante para o Tocantins. Não diferente das demais, Tocantínia tem seus primeiros registros envolvidos com a busca por ouro, terras e outras riquezas. 

A região já era habitada pelos índios Xerente que ocupavam as terras próximas ao Rio Providência e ao longo do Rio Tocantins. No período, houve diversos conflitos entre os índios e os aventureiros.

Entre seus monumentos históricos, Tocantínia tem a Igreja de Tocantínia.

Não menos importante, Tocantinópolis é a cidade em que também houve acontecimentos marcantes. Espalhada a noticia da fertilidade do local, grande número de habitantes de Carolina – MA, se deslocaram para o então povoado. 

Tocantinópolis hoje é uma cidade bastante urbanizada, porém, sem deixar sua característica fluvial, preservando um cais, no porto do rio Tocantins.

Dos monumentos históricos, Tocantinópolis é composta pela Catedral de Nossa Senhora da Consolação e o Seminário João XXIII. (Com informações adicionais do Portal de Informações e Serviços do Tocantins)

Site do MP destaca inauguração de quartel da PM em Campos Belos


Foi inaugurada nesta terça-feira (14/10), em Campos Belos, no Nordeste goiano, a sede da 42ª Companhia Independente da Polícia Militar. 

A unidade, que atenderá ainda os municípios de Monte Alegre, Divinópolis e São Domingos, foi construída através do esforço conjunto entre Polícia Militar, Ministério Público de Goiás, Polícia Civil, Poder Judiciário, Secretaria de Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus) local, Conselho de Segurança de Campos Belos, prefeituras e pela sociedade civil organizada.

O projeto teve iniciou há cerca de um ano, com a cessão de um terreno pela Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) à Polícia Militar local, acordo intermediado pelo MP-GO. 

Os gastos com a obra, em torno de R$ 250 mil, foram custeados com recursos advindos de transações penais, termos de ajustamento de conduta (TAC) firmados pelo MP, doações da sociedade civil e auxílios pelas prefeituras das cidades atendidas pela companhia.

Um dos termos firmado pela Promotoria de Justiça de Campos Belos destinou ao projeto cerca de 12 mil tijolos, material que possibilitou a finalização do muro que cerca o prédio. Na unidade existe até um espaço destinado para o pouso de um helicóptero. No total, o efetivo da companhia é de 48 homens.

A parceria com a Polícia Militar, representada pelo capitão Leandro Carvalho, comandante da 42ª Cia Independente da PM, foi firmada por meio da atuação dos promotores de Justiça Paulo Brondi, Douglas Chegury e André Duarte.

Atuação conjunta
Entre os parceiros que possibilitaram a construção da unidade estão a Sapejus e o Poder Judiciário, que autorizaram a cessão da mão de obra de vários reeducandos. 

Em troca, eles receberam o benefício da redução da pena. Segundo destacou o promotor Paulo Brondi, o Conselho de Segurança de Campos Belos, por meio do empenho de sua presidente, Renata Medina Felici, foi de extrema importância, administrando com transparência todos os recursos e intermediando ações perante a sociedade civil.

“O complexo de segurança erguido na cidade, em questão de dois anos, é certamente um dos maiores do Estado e tudo praticamente com recursos da própria sociedade. Além disso, é preciso ressaltar a parceria que se estabeleceu entre MP e Polícia Militar e Civil, possibilitando ações de âmbito estadual”, afirmaram os promotores. 

Eles acrescentaram ainda que a ideia do MP Social Construtivo teve início em Campos Belos, um das regiões mais pobres do Estado, a partir da construção da sede da Polícia Técnico-Científica (IML) e da Polícia Civil e, agora, segue sua atuação com a instalação da 42ª Companhia, uma das mais bem instaladas em todo o interior do Estado. 

Estiveram ainda na cerimônia de inauguração da unidade o ex-prefeito de Campos Belos, Neudivaldo Sardinha; o presidente da Câmara, Sargento Abreu; o tenente-coronel Giovanni Valente, representando o Comando-Geral da PM, o delegado de Polícia local, Carlos Eduardo Florentino; o procurador-geral do município, Gesiel de Almeida, representando o prefeito de Campos Belos, e a presidente do Conselho de Segurança, Renata Felici. 

(Cristina Rosa / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO - foto: Arquivo da PJ de Campos Belos)

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

João Barbosa é encontrado morto em matagal


O corpo de João Barbosa dos Santos, 55 anos, foi encontrado nesta segunda-feira (20), em um matagal, na cidade de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana de Goiânia.

Segundo a polícia, a vítima morreu enforcada e o corpo foi encontrado já em estado de decomposição. 

João estava desaparecido desde a última quinta-feira (16), quando saiu de casa pela manha e não mais voltou.

A família espalhou fotos na internet e em várias ruas de Goiânia e Aparecida de Goiânia, no intuito de localiza-lo. Infelizmente, a vítima foi encontrada sem vida.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade e as causas estão sendo investigadas pela polícia.

Com informações de Antônio Carlos 

domingo, 19 de outubro de 2014

Família procura João Barbosa, desaparecido em Goiânia desde a última quinta-feira (16)


A família de João Barbosa dos Santos, 55 anos, está desesperada com a falta de notícias e o sumiço dele. 

João Barbosa está desaparecido desde a última quinta-feira (16), quando saiu cedo de casa e não mais voltou.

Várias fotos dele já foram espalhadas em redes sociais e nas ruas de Goiânia e Aparecida de Goiânia, no intuito de localizá-lo. Ele é natural de Divinópolis de Goiás e mora hoje em Aparecida de Goiânia. 

Arilson Barbosa, sobrinho dele que mora em Campos Belos, também pede qualquer tipo de informação, pois está muito aflito e preocupado com do desaparecimento repentino de João  Barbosa. 

Se você tiver alguma informação que possa levar á João Barbosa dos Santos, por favor, entrar em contato no telefone (62) 9385-5236 ou (62) 8539-3918.

Novo assalto em São Domingos (GO). Neste Domingo, homens armados assaltaram a Fazenda Maracujá



A população da cidade de São Domingos está pavorosa com a onda de assaltos que vem aterrorizando a comunidade, que fica a 300 km de Brasília, no nordeste de Goiás. 

Após roubos a mão armada a dois comércios, seguidamente, na sexta e sábado passado, neste domingo (19), pela manhã, o alvo foi uma propriedade rural conhecida como Fazenda do Maracujá, localizada no município, a cerca de 20 km da zona urbana. 

Segundo informações da polícia militar, quatro homens armados, que estavam em um corsa classic, com placas de Brasília,  invadiram a propriedade e anunciaram o assalto. 

Os bandidos levaram uma TV de 32 polegadas e três celulares. 

Os assaltantes ainda tentaram levar a caminhonete da propriedade, entretanto, quando notaram que a polícia havia sido avisada, fugiram sem levar o veículo.

A polícia informou também que os assaltantes agiram com violência e no local do roubo deixaram munições, que serão periciadas. 

A propriedade já foi assaltada este ano. Conforme publicamos aqui em nosso Blog, em 19 de fevereiro, os bandidos levaram dois veículos e um trator, além de fazerem os proprietários de reféns durante toda a noite. 

Na ocasião, ninguém foi preso (Impunidade?!).

Passa da hora de uma força tarefa do governo do estado de Goiás aportar na cidade, par atentar levar paz à comunidade, que já foi alvo de assalto a banco, assalto a mão armada, roubo de veículos e máquinas agrícolas, e pior, muitos casos de denúncia de corrupção e cassação de agente políticos.  

São Domingos parece estar entregue às baratas. 

É hora do Poder Público tomar as rédeas da situação, antes que episódios mais graves venham a ocorrer. 

Com informações de Victor Hugo Melo 




Já Publicamos: 

Homens encapuzados fazem reféns em fazenda de São Domingos e leva um trator, dois carros e eletrodomésticos

Corpo de Thayanara Gontijo é enterrado em Formosa



A estudante Thayanara Gonçalves Gontijo, que morreu vítima de uma queda em uma das cachoeiras do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Alto Paraíso-GO, foi enterrada na tarde deste domingo (19), em Formosa (GO). 

O acidente aconteceu por volta das 11h deste sábado. O resgate feito pelo Corpo de Bombeiros encontrou o corpo da jovem por volta das 15h. 

Moradora de Formosa, Goiás, Thayanara cursava o terceiro ano do ensino médio no Colégio dos Sagrados Corações e planejava prestar vestibular para direito.

A estudante mantinha interesse especial por pautas relacionadas aos direitos humanos: defendia melhores condições de vida para mulheres, a luta contra o racismo e o preconceito.

Com apenas 17 anos, sua lista de discos favoritos era tomada por músicas de grupos de rock dos anos 1970, como Led Zeppelin e Bob Dylan.

Cinéfila, mantinha em dia uma coleção de filmes desde Quentin Tarantino a Stanley Kubrick. 

Tinha um apreço especial pelo mestre do suspense, Alfred Hitchcock. Era dona de uma inteligência especial e um bom humor peculiar. 

Com informações do Correio Braziliense




São Domingos (GO) é terra sem lei, diz leitor


Por Victor Hugo Melo, 

Em menos de 48 horas São Domingos tem o terceiro assalto. Dessa vez a vitima foi a fazenda do maracujá, no pé da serra, novamente vitima de assalto. 


Alguns meses atras Davilas escreveu ao jornal "O popular" a respeito da insegurança que vive os dominicanos, na época ele descreveu sobre um assalto que ele foi vitima e de outros inúmeros casos que aconteceram nessa região. 


O comando de Posse respondeu, trata de fatos isolados isso não condiz com a realidade. 

Agora eu pergunto que realidade ele se refere, ao mundo de fantasia, ou poderia tirar a venda dos olhos e enxergar que nesses trechos da GO-463 e BR-020, assalto esta tornando rotina. 


Nos últimos anos tivemos assalto a banco, explosão de caixa eletrônico, assalto a casa lotérica, inúmeros assaltos a veículos de dominicanos que transitam em rodovias abandonadas e recentemente assalto a dois supermercados. 


Até quando vamos aguardar o posto de policia de fronteira prometido a quase 3 anos, até quando as policias militares e civis de São Domingos trabalharão sem qualquer infraestrutura, até quando aguardaremos um delegado para São Domingos, até quando pais de família serão reféns do medo.


Como a muito tempo essa região é chamada de corredor da miséria, agora poderemos acrescentar também de "terra sem lei"
.